Representantes do PTI de Itaipu Visitam o IAE


Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (10/11) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) destacando a visita de representantes do Parque Tecnológico Itaipu Brasil (PTI) ao Instituto, nesta terça-feira, dia 10 de novembro.

Duda Falcão

IAE Recebe Visita de Representantes de Itaipu

10/11/2009

A visita de representantes do Parque Tecnológico Itaipu Brasil (PTI) ao Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), nesta terça-feira, dia 10 de novembro, abre espaço para a formação de uma parceria científica e tecnológica entre as duas organizações. O interesse pelas áreas de Ciências Atmosféricas, Sistemas Espaciais e Aeronáuticos, Propulsão Aeronáutica e Ensino, impulsionou a comitiva do PTI a viajar até a cidade de São José dos Campos para conhecer o instituto.

Os projetos de desenvolvimento e inovação tecnológica do IAE foram apresentados ao grupo formado pelo assessor do PTI, o senhor Nelisson Sergio Hoewell, pelo coordenador do Polo Industrial, o senhor Janer Vilaça, e pela assessora de comunicação social, através de várias de suas divisões e de acordo com o foco de interesse. As parcerias estratégicas com empresas públicas e privadas é um objetivo do PTI, que procurar criar uma rede de relacionamentos institucionais para o desenvolvimento, a pesquisa e a busca de inovação tecnológica.

O PTI mantém em seu espaço três instituições de nível superior – a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), a Universidade Aberta do Brasil (UAB) e o Instituto Federal do Paraná (IFPR) - , além da Universidade Corporativa Itaipu, destinada a gestão do conhecimento, incentivando parcerias na área de ensino e projetos nos vários níveis educacionais e corporativo.

Uma oportunidade de parceria nesse sentido são as linhas de pesquisa promovidas pela Divisão de Ciências Atmosféricas (ACA) do IAE, destinadas aos alunos de nível iniciação cientifica, de mestrado e de doutorado. Especializada em Meteorologia Aeroespacial, os trabalhos de caracterização de sistemas atmosféricos e os estudos de mudanças climáticas compõem algumas das possibilidades oferecidas pela divisão, cuja experiência científica alcança quatro décadas.

Trabalhos como a caracterização e estatística do vento, a dispersão turbulenta lateral e vertical do vento, a aplicação de modelos matemáticos, dentre outros, são algumas das linhas do Projeto Camada Limite Planetária e Difusão Atmosférica oferecidas pela ACA, destinado a estudar a turbulência atmosférica no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA). Informações estratégicas para viabilizar as operações de lançamento de foguetes, como as características da turbulência atmosférica, o comportamento do perfil de vento até 100 metros de altura e o desenvolvimento da camada limite interna, já foram obtidas sobre a região com as pesquisas relacionadas a esse projeto.

Grande incentivador da formação de um ambiente produtivo e favorável à pesquisa científica e tecnológica, o PTI volta-se às ideias vibrantes, em um espaço de livre pensar. Um exemplo disso é o projeto Veículo Elétrico, desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia Aplicada à Inovação (ITAI), idealizador do PTI e que atualmente é um de seus parceiros estratégicos nos projetos na área de automação industrial e gestão ambiental.

O IAE entra por essa linha sustentável com os projetos desenvolvidos pela Divisão de Propulsão Espacial (APE), local também visitado pelo grupo. A APE, com a responsabilidade de realizar as atividades de pesquisa nas áreas de motores foguete e componentes pirotécnicos, inova ao desenvolver os projetos L5 e L15, motores foguetes movidos a oxigênio líquido e a álcool.

Os representantes de Itaipu, buscando unir Astronomia e as tecnologias de ponta, também visitaram o Observatório Astronômico do IAE, local que proporcionou a formação da primeira geração de Astrônomos no Brasil e gerou inúmeras teses de graduação e de mestrado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica, o ITA.

O interesse pelo observatório de São José volta-se à idéia de oferecer para a sua comunidade de jovens e alunos atividades inovadoras, além de meios para uma comunicação interativa. No Parque eles oferecem um atrativo turístico e educacional semelhante em seu objetivo, chamado Pólo Astronômico Casimiro Montenegro Filho.

Esse encontro demonstra que o trabalho de integração entre os dois organismos é viável. Ambos apresentam projetos de inovação em Ciência e Tecnologia, buscam a inovação aliada à sustentabilidade, e podem, juntos, ampliar as suas ações, aproveitando o que de maior potencial cada uma possui.


Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: Parcerias como essa são sempre benéficas para ambos os lados e normalmente muito mais fáceis de darem certo por serem entre instituições do mesmo país. Quem sabe essa parceria possa ajudar ao IAE encontrar soluções para alguns de seus entraves.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial