Brasileiros Desenvolvem Foguete a Propulsão a Laser


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada hoje 20/11 no site “G1 do globo.com” destacando uma vez mais a tecnologia de propulsão a laser que está em desenvolvimento no Instituto de Estudos Avançados (IEAv) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) do Comando da Aeronáutica.

Duda Falcão

Cientistas Brasileiros Desenvolvem Foguete com Propulsão a Laser

De uma base na Terra, serão emitidos feixes do raio
que vão aquecer o ar.Explosão vai empurrar o veículo,
sem necessidade de combustível.

Do G1, com informações do Bom Dia Brasil
20/11/09 - 12h37

Cientistas brasileiros estão desenvolvendo uma nova tecnologia na área espacial: a propulsão a laser. Uma fonte aqui na Terra dispara um feixe de laser que atinge o foguete. Esse foguete, então, decola, sem precisar levar combustível. O projeto é coordenado por pesquisadores brasileiros, que trabalham em parceria com cientistas americanos.

No vídeo ao lado, uma simulação mostra como será o lançamento do primeiro foguete não tripulado movido a laser. De uma base na Terra, serão emitidos feixes do raio que vão aquecer o ar, provocar uma explosão e empurrar o veículo para cima.

“Colocar 1 kg em órbita custa US$ 20 mil. Com essa
tecnologia, se espera que o custo seja reduzido para US$ 200"

As experiências para transformar em realidade o que por enquanto é só uma simulação de computador estão sendo feitas em um laboratório da Aeronáutica em São José dos Campos (SP). A propulsão a laser pode deixar a viagem ao espaço mais barata.

Os EUA, parceiros do projeto, forneceram as fontes de laser. A luz segue por uma tubulação preta até o túnel de vento, que suporta temperaturas e pressão extremas. Lá dentro ocorre a explosão que vai mover a aeronave.

Pesquisas com propulsão a laser também são feitas por outros países, como Estados Unidos e Japão, mas essa é a primeira vez que a tecnologia é testada dentro de um túnel de vento, equipamento que simula todas as condições de um vôo até o espaço.

Sem precisar levar combustível, o foguete poderá carregar até 50% de seu peso em carga, no caso, satélites. Hoje a carga pode chegar a no máximo 5% do peso do foguete. Os 95% restantes correspondem à estrutura e ao combustível.

"Atualmente, para se colocar 1 quilo em órbita custa US$ 20 mil. Com essa tecnologia, se espera que o custo seja reduzido para US$ 200", explica o diretor do Instituto de Estudos Avançados, coronel Marco Antônio Minucci.

Os pesquisadores também estão desenvolvendo um foguete ultrasônico, movido a hidrogênio. Ele será chamado de 14 xis em homenagem ao 14 bis.


Reportagem do Jornal Bom Dia Brasil
(Rede Globo - 20/11/2009)


Fonte: Site G1 do globo .com

Comentário: Mais uma notícia sobre esse inovador desenvolvimento de propulsão a laser que está sendo realizado pelo IEAv. É verdade que é um tecnologia a longo prazo ainda, mas que coloca o Brasil na vanguarda dos estudos realizados no mundo atualmente nesse tipo de propulsão. Sucesso ao IEAv.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial