Gilberto Câmara à Frente do INPE por Mais Quatro Anos


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (27/11) no site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destacando que o engenheiro eletrônico Gilberto Câmara Neto permanecerá por mais quatro anos à frente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Duda Falcão

Gilberto Câmara à Frente do INPE por Mais Quatro Anos

27/11/2009 - 07h55

O engenheiro eletrônico Gilberto Câmara Neto foi reconduzido ontem (26) pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, ao cargo de diretor geral do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCT), em São José dos Campos (SP). Câmara, que tem o novo mandato até 2013, era o primeiro nome da lista tríplice encaminhada ao ministro pelo Comitê de Busca nomeado para a seleção do novo diretor.

Esse sistema de escolha de dirigentes é o adotado pelo MCT para os cargos de direção de todas as suas unidades de pesquisa. A seleção, que dá origem a uma lista tríplice encaminhada ao ministro, é sempre realizada por comitês de especialistas, que buscam identificar, nas comunidades científica, tecnológica e empresarial, nomes que se identifiquem com as diretrizes técnicas e político-administrativas estabelecidas para cada instituição.

O comitê para o INPE foi presidido por Marco Antônio Raupp, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), com a participação de Alberto Passos Guimarães, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCT), Carlos Henrique de Brito Cruz, da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Hadil Fontes da Rocha Vianna, do Ministério das Relações Exteriores (MRE), e Michal Gartenkraut, da Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLus).

Câmara disse que na nova gestão dará continuidade aos projetos de pesquisa em desenvolvimento, mas direcionará esforços para duas questões que lhe foram solicitadas com prioridade pelo ministro Rezende. “Uma é para que ampliemos a participação interministerial no Programa Espacial Brasileiro”, ou seja, para que haja um envolvimento maior de outros atores como os ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, e da Defesa, por exemplo. “Entre outras coisas, esse aumento no número de envolvidos permite que o Programa Espacial tenha maior visibilidade e seja mais bem entendido pela sociedade”, diz Câmara.

A outra questão é para que seja ampliada a coleta de informações meteorológicas hoje já sob a responsabilidade do INPE. “O ministro pediu que se aumente a recepção de informações via satélite, no sentido de prover com mais dados e qualidade os estudos realizados com vista às mudanças climáticas”, informou Câmara.

O novo mandato de Câmara à frente do INPE começa no próximo dia 5 de dezembro.


Fonte: Site do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)

Comentário: Bom, leitor deu o nome que se esperava. Essa solicitação do ministro Rezende ao Gilberto Câmara de se ampliar a participação interministerial no Programa Espacial Brasileiro é interessante e se funcional, poderá realmente realizar o que se espera dela. No entanto, dependerá muito da competência do senhor Gilberto Câmara na busca por essa participação e evidentemente do interesse dos outros ministérios nessa participação, que não resta dúvida, seria benéfica para todos e principalmente para o Brasil. Já quanto a questão meteorológica, o Brasil tem de deixar de brincadeira e partir para compra, desenvolvimento conjunto ou mesmo de forma autônoma de um verdadeiro satélite meteorológico urgentemente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022