Brasileira Coordena Grupo de Especialistas Internacionais


Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada ontem (12/11) no site do jornal “Correio Braziliense” destacando que uma pesquisadora brasileira é a coordenadora de um grupo de especialistas internacionais envolvidos com a elaboração de um “Catálogo de Estrelas de Alta Massa”.

Duda Falcão

Pesquisadora Brasileira Coordena Grupo de Especialistas
Internacionais na Elaboração de Catálogo
de Estrelas de Alta Massa

Os corpos são Fundamentais no Processo de Evolução das Galáxias

Gisela Cabral
Publicação: 12/11/2009 19:14

A cada dia, as mulheres têm ocupado mais espaço no universo da ciência. A pesquisadora do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP) Elysandra Figueredo é um exemplo disso. Ela é a coordenadora de um projeto que busca criar %u2014 com a participação de especialistas japoneses, ingleses e norte-americanos %u2014 o primeiro catálogo de estrelas de alta massa: corpos celestes raros, de luminosidade impressionante e ainda pouco conhecidos pelo homem.

O levantamento tem como objetivo revelar o real mecanismo de formação estelar. As estrelas em questão podem chegar a ter massas até 120 vezes maiores que a do Sol. "As grandes estrelas nascem a partir de nuvens moleculares gigantes %u2014 regiões com grande concentração de gás e poeira, formando associações ou aglomerados de estrelas. As teorias sobre a formação das estrelas de baixa e média massas, porém, não conseguem explicar satisfatoriamente a formação das estrelas de alta massa", explica a especialista.

De acordo com Elysandra, encontrar esses corpos durante o processo de formação é muito difícil. As megaestrelas também duram menos. %u201CSão milhões de anos, em vez de bilhões, como ocorre com as demais%u201D, esclarece. Além disso, as regiões onde as estrelas massivas se formam contêm grande quantidade de poeira, que acaba absorvendo a luz visível emitida. "Ou seja, é impossível vê-las com telescópios e instrumentos tradicionais", afirma.

Grande parte das informações sobre as estrelas de alta massa será obtida pelo telescópio espacial japonês Akari. A pesquisadora já havia trabalhado com o satélite japonês durante seu pós-doutorado, na The Open University, na Inglaterra. De acordo com ela, o Akari é bastante sensível à luz no infravermelho. Ele permitirá que seja obtida a distribuição de energia das estrelas de alta massa em formação em vários comprimentos de onda infravermelha. "A partir daí, possibilitará a determinação de vários parâmetros físicos dessas regiões, como temperatura e luminosidade", diz. A ideia de criação do catálogo de estrelas rendeu a Elysandra um prêmio de US$ 20 mil por intermédio do Programa L'Oréal/ Unesco Para Mulheres na Ciência (veja quadro).


Supernovas

As estrelas massivas têm um grande impacto sobre a evolução das galáxias. Elas são as principais fontes de radiação ultravioleta, massa e energia para o meio interestelar. Ao explodirem como supernovas, contribuem com elementos específicos e desencadeiam formação estelar subsequente. %u201CO efeito coletivo das explosões de supernovas ioniza o meio e o enriquece por meio dos superventos galáticos. As extremamente massivas terminam com surtos de raios gama, permitindo o mapeamento do universo%u201D, afirma, lembrando que os produtos finais da evolução das estrelas massivas, as estrelas de nêutrons e os buracos negros, são valiosos laboratórios para a física relativística e nuclear.

Pesquisas brasileiras ou que contam com a participação de brasileiros no campo da Astronomia vêm apresentando resultados excelentes nos últimos anos. Em 2010, ocorrerá a inauguração do primeiro laboratório de astrobiologia do país. Vinculado ao IAG, o espaço foi criado com o intuito de estudar a origem, a evolução, a distribuição e o desenvolvimento da vida no universo. Esse campo de pesquisa inclui, ainda, a busca por locais habitáveis no Sistema Solar e em planetas e luas mais distantes, por meio da primeira câmara de simulação de ambientes espaciais do hemisfério Sul.

Personagem da Notícia: Currículo Impecável

Ela é doutora em astronomia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutora pela The Open University, na Inglaterra. Além dos títulos já conquistados, a pesquisadora Elysandra Figueredo, única brasileira responsável pelo projeto do catálogo de estrelas de alta massa, venceu o Prêmio L'Oréal / Unesco para Mulheres na Ciência 2009, uma parceria da empresa de cosméticos com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura e a Academia Brasileira de Ciências (ABC). "O prêmio em questão é um dos mais prestigiosos da minha área. Ter meu trabalho julgado e contemplado por uma banca de peso incontestável, com membros da Academia Brasileira de Ciência (ABL), foi realmente algo inesquecível", afirma.

O trabalho surgiu a partir de uma cooperação estabelecida anteriormente entre Brasil e Japão. A iniciativa fará com que Elysandra trabalhe em parceria com cientistas renomados de países como Japão, Inglaterra e Estados Unidos. Segundo a pesquisadora, ampliar a participação das mulheres na astronomia tem sido seu maior incentivo. Ela ressalta que a criação de catálogos importantes, ao longo da história, contou com a participação ativa de mulheres.


Fonte: Site do Jornal Correio Braziliense

Comentário: Mais uma vez o blog apresenta mais um exemplo de como a Astronomia Brasileira vem se desenvolvendo nos últimos anos e se destacando a nível mundial. Parabéns a pesquisadora Elysandra Figueredo da USP pelo trabalho que vem desenvolvendo e pelo "Prêmio L'Oréal / Unesco para Mulheres na Ciência 2009", que já foi abordado aqui no blog (veja a nota Pesquisadora da USP Ganha o Prêmio L’Oréal-Unesco)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022