Projeto da Plataforma SARA


Encontra-se em desenvolvimento no IAE - Instituto de Aeronáutica e Espaço do CTA – Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial em São José do Campos-SP, o projeto de uma plataforma espacial para experimentos em ambiente de microgravidade, denominada Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA) que será destinada a operar em órbita baixa, circular, a 300 km de altitude, por um período máximo de 10 dias.



Modelo da Plataforma SARA

O projeto SARA se encontra em uma fase em que os seus subsistemas serão verificados em um vôo suborbital. Esta fase de desenvolvimento de subsistemas, denominada SARA Suborbital, deverá testar em vôo o subsistema de recuperação, o subsistema de redes elétricas e o módulo de experimentação.

O SARA Suborbital consiste em um veículo suborbital de 350 kg, que esta previsto para ser lançado através de um veículo de sondagem VS-40 modificado, a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (MA) em 2010, com a finalidade de realizar experimentos de microgravidade de curta duração (cerca de 8 min).

Os experimentos embarcados no SARA Suborbital poderão ser de cunho científico ou tecnológico e serão acionados após a separação da plataforma do veículo lançador VS-40 e em seguida à estabilização em zero de suas velocidades angulares nos três eixos (pitch, roll e yaw).

Trajetória de vôo da Plataforma SARA

O vôo do SARA Suborbital deverá atingir um apogeu de 350 km e um alcance de 300 km, com amerissagem na água a 100 km da cidade de Parnaíba (PI), de onde será coordenada a operação de resgate. Esta operação contará com um avião patrulha para a localização da plataforma no mar. Após a localização, serão acionados dois helicópteros que levarão a equipe de resgate até o ponto de impacto e organizarão o transporte da plataforma até Parnaíba. De lá, após a retirada dos experimentos, a plataforma será transportada de volta para Alcântara.

Todos os subsistemas da plataforma SARA serão testados para o vôo ainda em São José dos Campos, transportados para Alcântara e integrados no Centro de Lançamento antes de seu acoplamento final no veículo VS-40.

Duda Falcão

Comentário: Diferentemente do projeto do 14X que conta com o apoio financeiro contínuo da FAPESP, os recursos do projeto SARA estão sob a responsabilidade da AEB que é o órgão oficial de repasse dos mesmos as instituições que compõem o Programa Espacial Brasileiro. Sendo assim, existe dúvidas se o cronograma estabelecido pelo IAE/CTA para o lançamento da SARA Suborbital será cumprindo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial