Agência Espacial Brasileira quer mais Recursos


Durante a realização da reunião com o Conselho de Altos Estudos da Câmara ocorrida em 29/04 (já abordada no blog) o presidente da AEB - Agencia Espacial Brasileira, Carlos Ganem defendeu mais recursos e vontade política para desenvolver o Programa Espacial do País.

Veja abaixo o vídeo da entrevista dada pelo presidente da AEB ao telejornal Câmara Hoje da TV Câmara em 29/04.

Segundo ele o orçamento deste ano para o programa espacial é de R$ 283 milhões. Para ele o investimento deveria ser no mínimo igual ao da Índia, que é dez vezes maior do que o do Brasil. Esse orçamento segundo Ganem, se justificaria porque o programa espacial é necessário para garantir a soberania e o sigilo das comunicações, obter informação sobre a geografia do País e controlar o espaço aéreo.

Ainda segundo a Ganem a maior prioridade do programa espacial hoje é o lançamento do primeiro satélite fixo (geoestacionário), que deverá ser lançado daqui a dois anos. No entanto, para isso será necessário que, além de recursos, o programa passe a ser tratado como uma questão de Estado e não de Governo.

Duda Falcão

Comentário: Como já havia comentado na publicação anterior e em outras (aqui e no blog PANORAMA ESPACIAL do companheiro André Mileski) sobre o que penso sobre isso, concordo com o Sr. Carlos Ganem que um dos grandes entraves do programa espacial é a falta de recursos necessários e contínuos, como também o fato do programa ser um programa de governo. No entanto, nada funciona sem planejamento de curto, médio e longo prazo. Para tanto é necessário pessoas capazes e preparadas para realizá-lo, implementá-lo e administrá-lo. Além disso, a AEB precisa se transformar numa verdadeira agencia espacial (bons exemplos estão ai: NASA, ESA, JAXA, NSAU) e não uma simples repassadora de recursos. Na parte política, tem de se criar uma verdadeira Força Tarefa Espacial preparada para ter voz ativa e contínua dentro do Governo e Congresso Brasileiro. Nenhum programa espacial funciona sem apoio político incondicional de suas instituições políticas e de seu povo. Portanto, a divulgação das atividades espaciais no país precisa ser constante e para isso em minha opinião a criação da AEB TV seria de grande valia nesse sentido, pois buscaria não só a divulgação do programa junto ao povo brasileiro, mas também o seu apoio. Outra ação necessária e que já esta sendo em curta escala adotada pela a AEB é o programa AEB Escola. Esse sim fundamental para qualquer programa espacial no mundo, pois além de divulga-lo é uma fonte futura de recursos humanos, essencial para o programa. É do AEB Escola que sairão os engenheiros, astrônomos, técnicos e cientistas espaciais que no futuro suprirão o programa. Ou seja, é a nossa divisão de base.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022