O Versátil Foguete VS-40


Inicialmente o foguete VS-40 foi desenvolvido pelo IAE - Instituto de Aeronáutica e Espaço do CTA - Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial como o objetivo de realizar testes do quarto estágio do VLS - Veículo Lançador de Satélites em ambiente de vácuo e de outros experimentos de interesse do projeto.


O VS-40 na Plataforma de Lançamento

O desenvolvimento desse foguete tornou-se necessário pela ausência no Brasil de instalações de ensaios capazes de simular as condições de vácuo em altitude. Extremamente caras e complexas essas instalações seriam de difícil contratação no exterior, devido ao alto risco que acarretariam de seu uso, já que se trataria do desenvolvimento e um novo produto e, portanto de baixa confiabilidade.

O VS-40 é um foguete de sondagem bi-estágio à propulsão sólida não-controlado, estabilizado aerodinamicamente, com propelentes (mistura de materiais combustíveis e oxidantes) distribuídos entre o primeiro estágio (4.200 kg) e o segundo estágio (810 kg).

O primeiro estágio do VS-40 é composto pelo propulsor S40, uma saia traseira com empenas e uma saia dianteira, e o segundo estágio é composto por um propulsor S44, tendo em sua parte dianteira uma baia de instrumentação e, em seguida, uma coifa que deve abrigar uma carga útil tecnológica ou experimentos científicos.

Características do VS-40

Comprimento (mm) 7.390
Massa da carga útil (kg) 500
Diâmetro (mm) 1.007
Massa total de decolagem (kg) 6.737
Massa da carga útil (kg) 197
Massa de propelente (kg) 5.054
Massa estrutural (kg) 1.028
Apogeu (km) 640
Tempo de microgravidade (s) 760


Esquema do Foguete VS-40

Até o momento já foram realizadas duas operações de lançamento do foguete VS-40, denominadas Operação Santa Maria e Operação Livramento:

Operação Santa Maria - VS-40 PT01

Data do vôo: 02 de abril de 1993 - CLA
Missão: Qualificação S44
Tempo de microgravidade: 760 s

No seu primeiro vôo o foguete VS-40 qualificou o quarto estágio do VLS, do tipo S-44, em ambiente de vácuo, e atestou a capacidade do foguete ao transportar grande quantidade de carga útil com um desempenho considerável: o vôo atingiu um apogeu de 950 km, para uma carga útil de 500 kg e um tempo de microgravidade de 760s.

Operação Livramento - VS-40 PT02

Data do vôo: 21 de março de 1998 – CLA
Carga útil: Lastro de 236 kg e VAP-1 (Fokker)

Já em seu segundo vôo o foguete VS-40 (VS-40 PT02), lançado do Centro de Lançamento de Alcântara em 21 de março de 1998, transportou uma carga útil de 483 quilos da empresa holandesa Fokker Space. Nessa Operação denominada Livramento, dados sobre o comportamento do VS-40, como o empuxo, pressão, aceleração e vibração também foram monitorados.

No momento uma equipe de especialistas do IAE prepara uma revisão do foguete para a realização do seu terceiro vôo (VS-40 PT-03), previsto para 2010, no CLA - Centro de Lançamento de Alcântara no Maranhão.


Concepção Artística do novo VS-40

O objetivo principal dessa revisão é a de aprimorar o primeiro estágio do foguete, assim como suas interfaces, de modo se padronizar componentes e a utilizar soluções técnicas do terceiro estágio do VLS. Também o aproveitamento de sistemas e de componentes qualificados do veículo e o atendimento às recomendações previstas no relatório pós-acidente do VLS são prioridades dessa revisão.

As semelhanças entre o primeiro estágio do foguete VS-40 e do terceiro estágio do VLS, como a utilização do mesmo envelope de motor (do tipo S-40), possibilitam a aplicação de soluções como a substituição de peças mecânicas na configuração do Sonda IV por outras da versão do 3º estágio do VLS, assim como a utilização da solução pirotécnica do mesmo.

As alterações no foguete VS-40 para o seu terceiro vôo prevêem ainda, a incorporação de correções em itens que provocaram perturbações durante o segundo vôo do foguete, além de inovações para se atender às necessidades do projeto da Plataforma SARA em vôos sub-orbitais e orbitais.

O sucesso desse empreendimento permitirá o aprimoramento das características do VS-40 como foguete de sondagem, cuja finalidade será de qualificar componentes e subsistemas a serem embarcados em veículos lançadores e de lançar cargas úteis tecnológicas e científicas que requeiram experimentos em ambiente de microgravidade.


Duda Falcão

Comentário: Para a comunidade científica brasileira a tecnologia desse foguete é uma excelente plataforma para lançamento de cargas úteis científicas e tecnológicas que requeiram experimentos em ambiente de microgravidade. O VS-40 é um foguete versátil que em seu terceiro vôo estará envolvido diretamente com o importante projeto da Plataforma SARA e que ainda trará muitos benefícios ao Programa Espacial Brasileiro.

Comentários

  1. Alguém sabe se esse foguete tem possibilidades de se tornar um míssil balístico intercontinental???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecnicamente não,porque ele não pode ser controlado, já o foguete VSB-30 possui essa capacidade, mas esqueça isso, o Brasil é um pais pacífico, a AEB e o IAE trabalham para o bem do Brasil e do mundo.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial