Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial Comemora Cinquentenário

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (15/03) no site da Força Aérea Brasileira (FAB) destacando que o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) comemorou no dia de ontem o seu cinquentenário de existência.

Duda Falcão

ANIVERSÁRIO

Departamento de Ciência e Tecnologia
Aeroespacial Comemora Cinquentenário

A Organização Militar já desenvolveu diversos
projetos tecnológicos importantes para o país

Por Tenente Raquel Alves
Revisão: Capitão Landenberger
Fonte: Agência Força Aérea
Edição: Agência Força Aérea
Publicado: 15/03/2019 - 19:25

Fotos: Paulo Roberto / ITA

Nesta sexta-feira (15), foi realizada, em São José dos Campos (SP), uma cerimônia alusiva aos 50 anos de criação do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Organização Militar voltada para o desenvolvimento aeroespacial no Brasil. A solenidade foi presidida pelo Ex-Ministro da Infraestrutura e Comunicações Ozires Silva e contou com a presença de diversas autoridades.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, destacou a importância do DCTA para o Brasil. “A vertente tecnológica é a marca que eleva uma instituição. Não podemos deixar de destacar, neste cinquentenário, o pioneirismo do Marechal do Ar Casimiro Montenegro Filho, idealizador da criação de um complexo científico-educacional baseado no tripé Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento no setor aeronáutico, para a formação de engenheiros capazes de dar suporte às atividades aeronáuticas no país”, destacou o comandante, que foi homenageado com a moeda comemorativa do cinquentenário durante a solenidade.


Desde sua criação, o DCTA tem coordenado e acompanhado a implantação de vários projetos que contribuíram para o crescimento da Força Aérea Brasileira e do país, com destaque para o fomento à indústria aeronáutica brasileira e o desenvolvimento de pesquisas espaciais.

O Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, destacou em seu discurso os próximos passos da Organização Militar. “Tenho convicção de que nos próximos 50 anos alçaremos voos tão altos e transformadores quanto o país merece e necessita, gerando benefícios à sociedade e aumentando do poder dissuasório da nação, por meio de ciência, tecnologia e inovação”, concluiu.


Ainda durante o evento, foram homenageados os servidores mais antigos, os ex-diretores e ex-comandantes do DCTA. O Tenente-Brigadeiro José Marconi de Almeida Santos, ex-Diretor do DCTA no período de 1997 a 2000, foi um dos agraciados. “Sinto-me honrado em ter contribuído, em minha gestão, para que o DCTA se tornasse esse grande complexo tecnológico”, comentou.

O Suboficial Wanduir José da Silva foi homenageando como o militar que trabalha há mais tempo na Guarnição. Há 23 anos ele atua na Prefeitura de Aeronáutica de São José dos Campos (PA-SJ), unidade subordinada ao DCTA. “Tive a oportunidade de colaborar e de participar de vários momentos marcantes e espero que os próximos anos sejam de muito sucesso”, disse.


Selo Alusivo ao Cinquentenário

Durante o evento, o DCTA e os Correios lançaram um selo e um carimbo personalizados alusivos ao Cinquentenário da Organização Militar. Todas as correspondências que saírem das unidades subordinadas ao DCTA receberão o carimbo.

DCTA

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) é o órgão de direção setorial ao qual compete planejar, gerenciar, realizar e controlar as atividades relacionadas com a ciência, tecnologia e inovação, no âmbito do Comando da Aeronáutica. O DCTA tem sua origem no Comando-Geral de Pesquisa e Desenvolvimento criado em 1969.


Sob sua responsabilidade estão as seguintes Organizações Militares e comissões subordinadas: Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA); Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI); Instituto de Estudos Avançados (IEAV); Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV); Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica de São José dos Campos (CPORAER-SJ); Centro de Lançamento de Alcântara (CLA); Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI); Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC); Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE); Grupamento de Apoio de São José dos Campos (GAP-SJ); Comissão de Obras do DCTA (CO-DCTA) e a Prefeitura de Aeronáutica de São José dos Campos (PA-SJ).

Assista abaixo ao vídeo da solenidade.



Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentários

  1. Fala Duda.
    Tenho uma duvida, o DCTA pode ser considerado uma "Segunda agencia espacial brasileira?", Eu ainda não sou nenhum especialista, mas o DCTA já fez bem mais do que a agencia espacial de brinquedo, inclusive eu diria que nem precisava criar a AEB, mas acredito que o DCTA não poderia ser uma agencia espacial devido algum acordo internacional que não pode militar ou algo assim, estou certo?
    O DCTA forma seu engenheiros (ITA), constrói seus foguetes (IAE), e faz o lançamento deles no espaço (CLA e CLBI) entre outras coisas.
    Agora a AEB só tem o Astronauta, este ultimo que foi treinado para ser piloto pela AFA (FAB), treinado para ser engenheiro pelo ITA (DCTA) e treinado para ser Astronauta pela NASA. Logo a AEB não ficar com os méritos nem do único Astronauta brasileiro.
    Olhando assim fica claro para mim que o DCTA merecia mais ser a agencia espacial brasileira e não a AEB, mas como já disse, dele ser algum acordo internacional que não permite militares ou algo assim né?
    Se eu falei alguma besteira me corrige ai, sou relativamente novo nisso de pesquisar sobre o Programa espacial brasileiro e tals, então sempre aceito quando me corrigem algo, buscando melhorar sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernando F.!

      A AEB foi criada em 1994 para substituir a Comissão Brasileira de Atividades Espaciais (COBAE) na condução das Atividades Espaciais Brasileiras que, naquela época, atendia pelo nome de "Missão Espacial Completa Brasileira (MECB)", inclusive para dar uma cara civil (politicamente correta) a nível internacional ao nosso PEB. O DCTA e seus institutos são órgãos de execução e desenvolvimento da parte militar do programa, como o INPE, as empresas e as universidades hoje envolvidas são da parte civil do programa, tá ok amigo? Continue nos acompanhando.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite