Empresa da Ucrânia Anuncia Vinda Para São José dos Campos

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (17/12) no site “www.defesanet.com.br“, destacando que empresa da Ucrânia anuncia vinda para São José dos Campos-SP.

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - ESPECIAL ESPAÇO - TECNOLOGIA

Empresa da Ucrânia Anuncia
Vinda Para São José dos Campos

Júlio Ottoboni
Valor Econômico
17 de Dezembro, 2013 - 16:19 ( Brasília )

A Ucrânia tem como meta superar a Rússia no segmento bélico e aeroespacial, principalmente na concorrência junto aos mercados emergentes, como o do Brasil.  A empresa estatal ucraniana Yuzhnoye, que desenvolve projetos de alta tecnologia no setor espacial revelou sua intenção em estabelecer  um escritório de representação no polo aeroespacial de São José dos Campos -SP.

O anúncio foi nesta segunda-feira (17) no seminário organizado pela estatal do governo da Ucrânia no Parque Tecnológico de São José dos Campos, com o apoio institucional da Agência Espacial Brasileira (AEB) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SDECT).

Os ucranianos estão realmente interessados em vender uma imagem desvinculada da antiga união soviética, quando era a principal base militar da cortina de ferro. O encontro é voltado à empresários e técnicos do setor, com palestras ministradas por especialistas ucranianos sobre temas como desenvolvimento de foguetes, veículos de lançamento, satélites e sistemas de defesa.

A notícia da abertura de uma representação da Yuzhnoye em São José foi comemorada pelos diretores da AEB e representantes da Prefeitura, do Parque Tecnológico e da Associação Aeroespacial Brasileira que estiveram no evento. Pois essa empresa é um dos braços da Cyclone Space, criada como uma binacional Brasil-Ucrânia para alavancar o combalido programa do VLS.

“Por ser um polo brasileiro da indústria, da tecnologia e da inovação, São José dos Campos aparece como o lugar ideal”, justificou Maria Terekhova, gerente sênior de Desenvolvimento de Negócios da Yuzhnoye.

O parque tecnológico da cidade já tem a Boeing, a EADS e a Safran Aeronáutica, que abriram centros de pesquisa no Parque Tecnológico. Além da Embraer, Inpe e pequenas empresas em estágio inicial em incubadoras.

“A Yuzhnoye veio aqui com o objetivo claro de estabelecer parcerias e identificar oportunidades de cooperação com o setor espacial brasileiro. Esperamos que essas oportunidades se concretizem com a instalação da empresa no Parque”, disse o professor Carlos Alberto Gurgel Veras, diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB.

Brasil e Ucrânia mantêm um amplo e polêmico acordo de cooperação no setor aeroespacial que resultou, inclusive, na binacional que já consumiu mais de US$ 100 milhões sem demonstrar resultados concretos. O major brigadeiro da reserva Reginaldo dos Santos, diretor-geral da binacional Alcântara Cylcone Space (ACS), participou do evento.

O principal produto da companhia é o lançador de satélites Cyclone-4, apresentado em 2003. A parceria prevê o uso conjunto do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão, para lançamentos comerciais.



Comentário: Bom leitor, corrigindo uma grave informação passada pelo autor dessa matéria quando disse: “criada como uma binacional Brasil-Ucrânia para alavancar o combalido programa do VLS”. Na verdade a empresa Alcântara Cyclone Space (ACS) não tem, jamais teve e espero para o bem do Brasil que assim continue, qualquer relação com o programa do VLS, muito menos como motivação para alavancar este programa. O que motivou a assinatura do acordo com a Ucrânia que gerou esta empresa sem futuro, foi à compensação política que se fez necessária na época ao PSB, para manutenção do apoio desse partido a base de apoio do governo LULA no Congresso, sendo conduzido por um debiloide irresponsável, endossado por um presidente humorista e mais tarde implantado por uma presidentA inconsequente. O programa VLS é um programa desenvolvido pelo DCTA/IAE do Comando da Aeronáutica (COMAER), que visa o desenvolvimento de um veículo lançador de médio porte para órbita baixa, bem diferente do extremamente tóxico veículo ucraniano Cyclone-4 que está sendo desenvolvido as nossas custas pela estupidez e irresponsabilidade desses energúmenos lesa-pátria. Quanto ao tema da matéria, dizer o que? O Brasil é uma grande festa ciceroneada pela Mãe DILMA, e certamente os ucranianos não iriam perder a oportunidade de participar. Portanto, esta investida ucraniana já era esperada que acontecesse e vem mais por ai, é só aguardar. Afinal leitor, onde passa um boi, passa uma boiada.

Comentários

  1. "O SÍMBOLO DA JUSTIÇA NÃO É CEGA!......ELA É VESGA!"

    “Neste mundo cabe tudo, mesmo o que não tem cabimento. Cada um é como é. Não vale a pena entendermo-nos ou tentarmos concordar. O que é engraçado é sermos diferentes e, sendo diferentes, podermos discutir. A discussão – o desentendimento – é não só a prova de que existimos e somos diferentes, como um luxo; mas também uma recompensa por sermos capazes de nos compreendermos uns aos outros.
    A verdade é, que tentam fazer os fieis guerreiros do blog e do programa espacial em marionetes. O mal da rainha de copas de Brasília NÃO É SER MÁ, o PT saudações e os personagens do passado, que simbolizam "Os Revolucionários Sofredores", deram-lhe o poder de cordas, para transformar O CULPADO DO PAÍS CHAMADO BRASIL, as maldades e os desleixos contra o progresso do "PROJETINHO PEB", em desertos, tempestades e principalmente em OMISSÕES."

    ResponderExcluir
  2. Bom, sobre a vinda da Yuzhnoye, tudo ótimo, e pena que seja só um escritório de representação. Dessa empresa, o Brasil poderia obter muitos benefícios, desde que fossem feitos acordos visando o nosso benefício de AMBAS as partes, e não só o lado deles.

    Mas o que mais me chamou a atenção na matéria (já devia ter feito essa observação a um bom tempo), foi o seguinte trecho: "O major brigadeiro da reserva Reginaldo dos Santos, diretor-geral da binacional Alcântara Cylcone Space (ACS)".

    Então, isso dá uma pequena amostra do porque as coisas são como são. Um militar da reserva (estou supondo que da Aeronáutica), que sabia e sabe as agruras que esse "governo" faz o nosso PEB e de resto as nossas forças armadas passarem, se prestar a isso.

    Quando eu digo, que quem está "dentro" do programa deveria tomar atitudes enérgicas CONTRA esse estado de coisas, como se pode esperar isso, se o pessoal do "alto escalão", que nesse caso, deveria ser um "estranho no ninho", uma daquelas indicações completamente políticas, e no entanto, o que se vê é alguém que veio "de dentro", sabendo de tudo que se passa, que deveria ser o primeiro a se recusar a participar dessa "coisa", vai lá e aceita.

    Não dá pra entender, ou até dá, mas fica a saudade da época em que o bem do país ficava acima de interesses pessoais. E olha que em relação ao restante da população, um major brigadeiro da reserva, não ganha mal não, muito pelo contrário.

    Eu, assistindo tudo isso, só posso ficar cada vez mais desanimado.

    ResponderExcluir
  3. Vocês não sabiam que 4 brigadeiros ex comandantes do CTA, IAE e ITA, todos que participaram da chefia do VLS hoje são diretores da ACS? A FAB apoia totalmente este projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo!

      Sua informação de que 4 brigadeiros ex-comandantes do CTA, IAE e do ITA são diretores da ACS, eu não sei se é verdadeira, pois só sei de um da reserva que é Diretor-Geral da empresa. Agora, quanto a outra informação de que a FAB apoia totalmente este projeto ela não é verdadeira, eles apenas seguem o que é determinado por falta de atitude do atual Comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, que aparentemente está deslumbrando com o dia-a-dia dos bastidores de Brasília.

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  4. Pelas perspectivas e acontecimentos que aparecem, parece que se reserva à São José dos Campos o patrimônio da espionagem tecnológica no Brasil.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial