INOTECH - Projeto de Foguete Universitário, Será?

Olá leitor!

É sabido por aqueles que acompanham diariamente o blog “BRAZILIAN SPACE” que atividades privadas na área espacial começam a surgir no Brasil através de iniciativas de microempresas preocupadas com o atual rumo de nosso programa espacial.

Entre as que mais se destacam (em nossa opinião) estão a Acrux Aerospace Technologies, a INOTECH e o grupo paulista Edge Of Space, que até aonde sabemos ainda não atua como empresa.

Entretanto, vale dizer que felizmente entre eles existem um ponto em comum muito importante para o futuro do PEB, ou seja, a preocupação com a formação de novos profissionais e o interesse na divulgação da área espacial entre os jovens de nosso país.

Este é o caso da Acrux, que recentemente lançou no Brasil com sucesso o modelo dos Spacecamps e segue nessa trajetória com convicção.

Também é o caso do grupo paulista “Edge Of Space” que atua na área de desenvolvimento e comercialização de foguetes educativos, além de ter o seu coordenador (José Miraglia) como professor da FIAP de São Paulo, faculdade esta que realiza desde 2010 a competição Spacecup sob a orientação do Eng. e Prof. Miraglia.

Já a INOTECH, empresa dirigida pelo Eng. Rene Nardi, vem realizando um convênio com três universidades brasileiras (UNIVAP, UFMG, PUC Minas) visando ensinar alunos dessas universidades na arte de produzir motores-foguetes líquidos e tecnologias associadas.

Os projetos desenvolvidos ou em desenvolvimento fruto desses convênios são os seguintes:

* Motor-Foguete RE 50 (UNIVAP) - 500 N de empuxo - Oxigênio Gasoso e Etanol

* Motor-Foguete RE 200 (UNIVAP) - 2000 N de empuxo - Oxigênio Líquido e Etanol

* Motor-Foguete RE 100 (UFMG) - 100 Kg de empuxo - Oxigênio líquido e Bioquerosene

* Motor-Foguete RE 500 (UFMG) - 500 Kg de empuxo - Oxigênio líquido e Bioquerosene

* Calibração da Unidade Injetora do Motor RE-100 (UFMG)

* Banco de Provas para Motor Completo (PUC Minas)

Vale lembrar que recentemente a empresa lançou no mercado uma “Injetora Modular” para motores-foguetes líquidos que pode ser utilizado em motores com empuxo na faixa entre 300 N e 1000 N, tanto mono quanto bipropelente.

Segundo informações que constam do site da empresa, a INOTECH pode construir injetoras para uso em motores-foguetes de pequenas dimensões para uso em satélites, injetoras para motores educacionais, injetoras para foguetes amadores, além do que essa injetora pode ser fornecida com um vasto conjunto de componentes internos, para serem utilizados em bancadas de teste educacionais e para treinamento de engenheiros no projeto de novas injetoras.

Além disso, a INOTECH também promoveu em 2009 e 2010 dois seminários (estava marcado para outubro de 2011 a realização do III Seminário, mas pelo que parece o mesmo não foi realizado) sobre motores-foguetes liquidos e suas tecnologias associadas que contou com grande participação de profissionais do setor, inclusive do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

Vale lembrar também que durante a realização do III Seminário de Defesa, ocorrido durante LAAD Defence & Security 2011, o Eng. Rene Nardi (diretor da empresa) fez uma apresentação exclusiva sobre o trabalho voluntário desenvolvido por sua empresa junto aos estudantes universitários dessas universidades e o leitor pode ter acesso a essa apresentação clicando aqui.

Segundo essa apresentação feita na LAAD pelo Eng Rene Nardi, o próximo passo do convênio da empresa com essas universidades é o desenvolvimento de um projeto de foguete universitário que pelo tempo já deve ter sido iniciado. Com a palavra a INOTECH.

Duda Falcão


Fonte: Com informações do site da Empresa INOTECH - http://www.inotechweb.com/

Comentários

  1. Olá ,não sei se já conhecia a noticia apesar de já ser um pouco velha sobre o desenvolvimento conjunto entre a Canadense COM DEV e a Orbital engenharia para o desenvolvimento de componente passivo de microondas para aplicações em satélites de telecomunicações e de transmissão de dados


    http://www.bv.fapesp.br/pt/projetos-pipe/7194/desenvolvimento-componente-passivo-microondas-aplicacoes/

    http://www.istpcanada.ca/_files/file.php?fileid=fileTuoJxlFZWh&filename=file_Canada_Brazil_Developing_Technology_for_Satellites_English_Story_2010.pdf

    ResponderExcluir
  2. Olá Rafael!

    Valeu pela dica. Vou procurar me informar melhor sobre esse projeto que eu desconhecia.

    Abs

    Duda Falcão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial