Situação dos Projetos de Satélites do INPE


Olá leitor!


Segue abaixo uma notícia postada hoje (14/05) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski com informações da situação em que se encontram os projetos de satélites do INPE.


Duda Falcão


"WikiInpe" e Atualizações Sobre Missões de Satélites


14/05/2010

Semana passada, em visita ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP), fui informado sobre a existência do portal "Planejamento Corporativo" do INPE, também chamado "WikiInpe". O website tem informações muito interessantes sobre os diversos programas e unidades do Instituto, e segundo informações dadas ao blog, abastece o relatório de gestão divulgado anualmente. Cada programa tem seu planejamento constantemente atualizado, indicando, inclusive, o status de seus andamentos entre "adequado", "atenção" e "preocupante".

Numa breve análise sobre o andamento de alguns programas, como o do satélite de observação Amazônia-1, é possível de se apurar que o sensor de estrela para o sistema de controle e atitude em órbita (ACDH, sigla em inglês), por exemplo, já teve seu processo de contratação iniciado, devendo ser finalizado no primeiro semestre. O desenvolvimento do ACDH, aliás, realizado em conjunto com a argentina INVAP avança de acordo com o desejado, esperando-se a sua conclusão em 2012.

A intenção é também iniciar e concluir ainda este ano o processo licitatório para o lançamento do satélite, em linha com o objetivo de se ter o satélite em órbita até 2012. O desenvolvimento do imageador AWFI avança bem, tendo sido avaliado em 2009 como "adequado". Meta que preocupa é a qualificação do sistema de suprimento de energia da Plataforma Multimissão (PMM), contratado junto a uma indústria brasileira e que já há tempos é um grande incômodo para o INPE (há pouco mais de dois anos, publicamos no blog uma nota sobre um problema associado a este subsistema: "Problemas com a Plataforma Multi-Missão"). O INPE tem feito um "acompanhamento sistemático na contratada visando mitigar atrasos".

As metas de lançar em 2013 o satélite científico Lattes, em 2014 o MAPSAR, de observação, estão classificadas como preocupantes, indicando prováveis atrasos nas missões. Já o objetivo de ter o satélite GPM-Br operacional em 2016 é descrito como em estado de "atenção". O término da Fase A desta missão, de meteorologia, é aguardado para o mês que vem, junho.

Na área de tecnologias críticas para as missões de tecnologia espacial do INPE, as metas de desenvolver até 2013 o ACDH, e o computador e o software de Data Handling (DH) do Lattes, foram avaliadas em março de 2010 em estado de atenção e preocupante, respectivamente. A razão principal para essas avaliações é a falta de recursos humanos.

Em relação ao Programa CBERS, a meta de lançar os dois novos satélites da série, CBERS 3 e 4, em 2011 e 2014, respectivamente, em 2009 foi avaliada como adequada, mas em março de 2010 recebeu a classificação de estado de atenção.


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Em resumo, faltam recursos humanos e provavelmente financeiros para que o INPE possa cumprir a missão que lhe foi conferida. A realidade é que após sete anos de governo LULA nada foi feito pra resolver os problemas estruturais do PEB e a situação não poderia ser outra com atrasos em cima de atrasos. Para complicar ainda mais as coisas, estão ai os novos projetos do Satélite SABIA-Mar (novo na questão de ter sido iniciada sua "FASE A" semana passada, já que o acordo foi assinado em 1998, ou seja, há 12 anos) e o “Programa IBSA de Satélites” que os ingênuos irmãos sul-africanos acreditam que será finalizado e lançado em quatro anos. Lamentável!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial