O IEAv e a Tecnologia Hipersônica a Ar Aspirado

Olá leitor!

No dia 26/05 a Força Aérea dos Estados Unidos (United States Air Force) testou em vôo com sucesso o avião espacial experimental hipersônico não tripulado X-51A, fabricado pela empresa americana Pratt & Whitney, o que resultou na quebra do recorde mundial de velocidade para este tipo de aparelho.

Segundo foi informado pela US Air Force, o X-51A acelerou até March 5 durante mais de 200 segundos o seu motor scramjet a ar aspirado, quebrando assim os 12 segundos conseguidos pelo X-43 da NASA. Abaixo segue o vídeo do teste do X-51A, liberado pela AIRBOYD TV.



Vôo Teste do X-51A - 26/05/2010


Enquanto os Estados Unidos e Austrália (outra nação que esta desenvolvendo esta tecnologia) vêm desenvolvendo tecnologia na área de aeronaves hipersônicas a ar aspirado, o Brasil através do "Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica Henry T. Nagamatsu" do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) de São José dos Campos (SP), vem também desenvolvendo um projeto nesta área que já foi abordado aqui no blog anteriormente.



Concepção Artística do 14-X

Trata-se do projeto da espaçonave não tripulada 14-X que segundo o Cel. Eng. Marco Antonio Minucci (diretor do IEAv) se justifica o investimento pois a propulsão aspirada é uma alternativa promissora aos motores-foguetes atuais, funcionando, por exemplo, como opção em uma ou mais fases de missões de aceleração e acesso ao espaço. O interesse nela reside no fato de um estato-reator de combustão supersônica (scramjet) possuir uma séria de vantagens sobre o motor-foguete, dentre elas, maior impulso específico em velocidades hipersônicas, menor complexidade do sistema de apoio em solo, redução de tempo entre duas missões e maior capacidade em peso de carga útil.

Ainda segundo o coronel Minucci, a importante etapa a ser alcançada nessa tecnologia são os testes em vôo desse conceito. Assim sendo, a Divisão de Aerotermodinâmica e Hipersônica (EAH) do Instituto, em conjunto com a Divisão de Sistemas Espaciais (ASE) do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), estão desenvolvendo um veículo waverider integrado a um combustor supersônico denominado 14-X, denominação esta em homenagem ao pioneiro 14-Bis de Santos Dumont.

A intenção é então lança-lo de uma plataforma de lançamento de Alcântara e acelerá-lo horizontalmente até March 6 (velocidade seis vezes maior do que a velocidade do som), por meio de um foguete tipo VS-30 ou VS-40 modificado, ou mesmo usando como plataforma um avião C-130 Hércules adaptado. Mediante esse procedimento, o veículo poderia iniciar seu vôo autônomo acelerando até March 10.

Segundo divulgado pela mídia o Brasil não esta longe de realizar o primeiro ensaio de vôo do 14-X, previsto para o ano de 2012. Abaixo, segue uma reportagem de 2005 da TV Vanguarda sobre esta tecnologia desenvolvida no IEAv. Vale lembrar leitor que esta tecnologia hipersônica a ar aspirado é uma tecnologia de vanguarda (só terá uso prático daqui a 15 a 30 anos) e que na época da reportagem ainda não se tinha o desenho do 14-X, visto na concepção artística acima.



Reportagem - TV Vanguarda - 26/11/2005


Duda Falcão


Fonte: Diversas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial