terça-feira, 12 de agosto de 2014

O Fracasso do Programa Espacial Brasileiro

Olá leitor!

Segue abaixo um pequeno artigo postado dia (10/08) no Blog do jornalista Maurício Tuffani locado no site do jornal “Folha de São Paulo” dando destaque ao fracasso do Programa Espacial Brasileiro (PEB).

Duda Falcão

BLOG MAURÍCIO TUFFANI

O Fracasso do Programa Espacial Brasileiro

Por Maurício Tuffani
10/08/14 - 11:03

A Folha publica neste domingo (10.ago) no caderno “Ilustríssima” minha reportagem “O espaço, esse rabo de foguete brasileiro” (veja aqui), que informa o novo atraso do lançamento do Veículo Lançador de Satélites VLS-1, que estava programado para este ano, e aponta as principais causas do atraso do PNAE (Programa Nacional de Atividades Espaciais), que deixa nosso país praticamente fora de uma parte importante  desse novo, competitivo e importante setor da economia, que é o aeroespacial.

Esses três fatores de atraso são a insuficiência de investimentos por parte do governo, o baixo grau de integração com a indústria e a falta de um comando unificado e estruturador, com foco em resultados. Acrescento aqui mais informações sobre o primeiro aspecto.

A tabela a seguir mostra quanto foi planejado de investimentos para o PNAE, os valores que foram previstos nas leis do Orçamento da União e o que foi efetivamente gasto nos anos seguintes ao lamentável desastre em agosto de 2003 no Centro de Lançamentos de Alcântara, quando um dos propulsores do VLS-1 entrou em funcionamento acidentalmente três dias antes do lançamento previsto, matando 21 técnicos.


A tabela detalha o que está explicado na reportagem: além de as leis orçamentárias de cada ano não terem alcançado os investimentos previstos no PNAE, os valores liberados pelo governo e gastos foram ainda menores.

Esses números evidenciam a enorme falta de comprometimento desde os anos 1980 por parte do governo federal com o planejamento do próprio PNAE. Associando esse desinteresse à grave deficiência gerencial do comando desse programa, também explicada na reportagem, dá para entender por que no setor espacial o Brasil continua retardatário.


Fonte: Site do Jornal Folha de São Paulo - 10/08/2014

Um comentário:

  1. Lamentável! Se o Brasil (os governantes), soubessem o potencial econômico que tecnologia pode trazer!

    ResponderExcluir