quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Satélite CBERS-4 - Diretor do INPE Fará Parte da Comitiva Que Acompanhará o Lançamento

Olá leitor!

Diário Oficial da União (DOU) de hoje (27/11) publicou outros dois despachos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), autorizando o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Chefe Substituto da Assessoria de Assuntos Internacionais do MCTI,  a comporem a Delegação do Ministro Clélio Campolina Diniz que acompanhará o lançamento do Satélite CBERS-4 da China. Pois é leitor, começa a se formar o circo que acompanhará este lançamento. Abaixo segue os despachos como publicados no DOU.

Duda Falcão

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

DESPACHO DO MINISTRO
Em 26 de novembro de 2014

Afastamentos do país autorizados na forma do Decreto nº 1.387, de 07 de fevereiro de 1995:

LEONEL FERNANDO PERONDI, Diretor do INPE, compor a Delegação Brasileira que acompanhará o Senhor Ministro Clélio Campolina Diniz em visita ao navio oceanográfico e no lançamento do satélite CBERS-4, em Cantão-Guangzhou e Pequim/China, no período de 01.12 a 11.12.2014, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

MANUEL MARCOS MACIEL FORMIGA, Chefe Substituto da Assessoria de Assuntos Internacionais do MCTI, acompanhar, na qualidade de assessor especial, o Senhor Ministro de Estado, Clélio Campolina Diniz, em Missão à China, onde participará do lançamento do satélite CBERS-4, no Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan, realizará visita ao navio hidroceanográfico Vital de Oliveria, em construção no estaleiro Hangtong, e participará de reuniões bilaterais na cidade de Pequim, em Cantão; Xinhui; Taiyuan e Pequim/China, no período de 01.12 a 10.12.2014, com ônus para o MCTI. Art. 1º, inciso V.

CLELIO CAMPOLINA DINIZ


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 2 - pág. 08 - 27/11/2014

IFI Recebe Visita dos Ministérios da Defesa e do Planejamento, Orçamento e Gestão

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/11) no site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) destacando que o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) recebeu visita dos Ministérios da Defesa (MD) e do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Duda Falcão

IFI Recebe Visita dos Ministérios da Defesa
e do Planejamento, Orçamento e Gestão

IFI
27/11/2014

No último dia 21, Júcilli Ferreira e Herval Lacerda, do Ministério da Defesa, e Mauro Henrique Macedo e Kesley Morais, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, visitaram o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial – IFI. A visita teve como objetivo mostrar aos órgãos federais a necessidade de aumento de mão de obra especializada no Instituto, com vistas à aprovação da contratação temporária de 34 servidores por até quatro anos, através da Lei nº 8.745/93.

O diretor do IFI, Coronel Aviador Marcelo Franchitto, apresentou aos visitantes o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial – DCTA - e ressaltou a importância das atividades para o desenvolvimento do complexo aeroespacial nacional, além de abordar a questão de necessidade atual de reposição de pessoal e o cenário iminente de aumento expressivo das aposentadorias de servidores civis na organização. Dando sequência, o Tenente Coronel Aviador Araujo apresentou o IFI, sua missão, organização e a diversidade de processos gerenciados pelo Instituto. Por fim, o Engenheiro Limonge destacou os desafios relacionados à certificação dos Projetos KC-X (aeronave KC-390) e F-X2 (aeronave Gripen E/F), o que irá demandar aumento temporário na carga de trabalho do Instituto nos próximos anos.

Os visitantes percorreram algumas instalações do Instituto, incluindo a Divisão de Certificação de Produto Aeroespacial (CPA), que já possui estrutura para receber os servidores temporários pretendidos, bem como conheceram o Laboratório de Medidas Eletromagnéticas. Além disso, os integrantes dos Ministérios aproveitaram para conhecer os programas do Instituto Tecnológico da Aeronáutica – o ITA , o Túnel do vento, laboratório Aerodinâmico Subsônico do Instituto de Aeronáutica e Espaço – IAE e o Memorial Aeroespacial Brasileiro – MAB.



Fonte: Site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)

Comentário: Para mim pura perda de tempo, pelo menos no que diz respeito ao aumento de mão de obra no IAE visando às atividades do PEB. Por mais que esses servidores do MD e do MPOG se sensibilizasse com toda esta situação (coisa que eu não acredito, para mim eles foram a SJC passear) a política na área foi estabelecido desde que a “Ogra” assumiu o poder, e neste segundo governo dela só será dado sequência na mesma. Entretanto é louvável notar nesta iniciativa do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) que a direção do DCTA está fazendo de tudo a seu alcance para mudar esta situação. Temo infelizmente que não seja o suficiente.

Nova Atlualização das Campanhas do Blog

Olá leitor!

Pois é, hoje é quinta-feira e assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas. Segue abaixo a atualização dessa semana.

Em relação à campanha da “Petição Online da ACS - Mudanças Já ou o Destrato do Acordo”, esta semana uma vez mais não obtivemos nenhum avanço permanecendo com as mesmas 749 assinaturas da semana passada. O resultado continuou extremamente ruim e esperávamos algo bem melhor esta semana. A notícia de que o governo criou uma comissão (pra mim fajuta) para analisar este desastroso acordo que gerou a ACS demonstra que a empresa realmente pode está em processo de implosão e correndo o risco de sofrer uma CPI (da mesma forma para mim fajuta, mas que ajudaria pelo menos a impedir o andamento do projeto). Entretanto continuamos lamentando profundamente o infeliz envolvimento da SpaceMETA com essa iniciativa desastrosa para o nosso país, mas enfim, quem planta colhe. Leitor esta é a hora de fazermos valer a nossa luta contra este acordo candiru’ e altamente prejudicial que vem literalmente boicotando o verdadeiro Programa Espacial Brasileiro. Vamos lá gente, vários profissionais sérios do PEB já assinaram essa petição e precisamos do seu apoio nessa luta contra esses energúmenos irresponsáveis.

Já quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, esta semana continuamos com os mesmos dez grupos inscritos desde o lançamento da campanha, ou seja, os grupos Auriflama FoguetesBANDEIRANTE Foguetes Educativos, Carl SaganCEFABCEFECInfinitude FoguetismoNTAITA Rocket DesignUFABC Rocket Design e PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo). Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar?

Agora leitor, em relação á “Campanha de Manutenção do Blog”, apenas 6 colaboradores  realizaram até agora as suas colaborações no mês de novembro no vakinha.com.br. Foram Eles:

1 - Carlos Cássio Oliveira (presidente do CEFAB)
2 - Diego LvM
3 - Elison Gustavo (idealizador da campanha)
4 - Fabrício de Novaes Kucinskis (INPE)
5 - José Félix Santana, Prof. (Presidente do CEFEC)
6 - Leo Nivaldo Sandoli

Enfim... vamos continuar aguardando que a partir dessa semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

OBS: Leitores continuam votando na campanha do VLM-1/ITASAT-1. Por favor, peço uma vez mais aos nossos leitores que não votem nessa campanha, pois a mesma não está mais ativa, já que não houve a resposta necessária e assim perdeu o sentido. Afinal não há mais tempo para cumprir o prazo de lançamento estabelecido na campanha, e ela continua visível no blog apenas a título de registro. Se quiseres realmente ajudar votem na Petição da ACS, está sim é a campanha que precisa avançar para combater este desatino.

Duda Falcão

Programa SERPENS - O Mistério Continua - 1

Olá leitor!

Quando fiquei sabendo pela primeira vez sobre o tal Programa SERPENS (Sistema Espacial para Realização de Pesquisas e Experimentos com Nanossatélites - finalmente escreveram certo) de nossa Agência Espacial de Brinquedo (AEB), confesso que a minha impressão inicial foi de que este projeto era positivo para o PEB e chegava em boa hora.

Com o passar do tempo e após algumas informações colhidas junto a profissionais do setor, aliada as poucas informações divulgadas pela AEB, resolvi então beber da fonte, e assim procurei a coordenadora do programa a Dra. Chantal Cappelletti, professora da Universidade de Brasília (UnB), que inicialmente acolheu minha solicitação de entrevista com cortesia, mas que ao final do contato protagonizou um incidente desagradável me obrigando a não mais publicar a entrevista enviada por ela após tanto custo.

Evidentemente se já tinha dúvidas quanto a este projeto, após este incidente, elas só fizeram aumentar, e seguiram pelo mesmo caminho, já que a AEB continuou com a sua postura de apenas divulgar a Sociedade Brasileira o mínimo sobre o Programa, se limitando a apresentar maiores informações em eventos fechados promovidos por ela ou não e talvez em eventos fora do país.

Em 12/09 deste ano recebi um e-mail do Dr. Carlos Alberto Gurgel Veras (Diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB) com um arquivo em PDF com a apresentação deste projeto realizada recentemente por ele no INPE, mas com a solicitação do mesmo para que não divulgássemos o arquivo e suas informações no BLOG, solicitação esta que foi atendida devido ao respeito que temos por este grande profissional, mas que na realidade só fez gerar ainda mais dúvidas sobre a lisura deste programa.

Para completar dias depois (19/09) a AEB postou em seu site que o primeiro nanosatélite deste programa havia sido aprovado em testes de segurança em Brasília por técnicos da Japan Manned Space Systems Corporation (JAMSS), e então na semana seguinte a equipe do Projeto se deslocaria para São José dos Campos-SP (muito provavelmente para o LIT/INPE), a fim de iniciar a campanha de segurança para o seu lançamento.  Bom leitor, após ter postado a nota no BLOG (veja aqui) e ter feito alguns comentários cobrando da AEB transparência, o leitor do BLOG Paulo Cesar (SJC) em seu comentário levantou ainda mais dúvidas, já que segundo ele era estranho adaptar as dimensões do tal nanosatélite em ultima hora e de forma artesanal, já que a equipe deveria ter as dimensões e requisitos do suporte desde o início do projeto. Afinal a própria JAXA disponibiliza essas dimensões e requisitos para quem participar desses lançamentos da JAMSS. Em resumo, o leitor Paulo Cesar colocou em dúvida também a competência da equipe na condução do projeto.

Diante disto tudo e da falta de transparência dessa agência de brinquedo conduzida por um incompetente de carreira, o BLOG BRAZILIAN SPACE inicia hoje uma investigação sobre este misterioso Programa SERPENS, na tentativa de esclarecer para Sociedade Brasileira do que realmente se trata este programa envolto em tanto mistério.

Dando inicio a nossa investigação descobrimos que o Laboratório de Engenharia de Processos de Conversão e Tecnologia de Energia (LEPTEN)” da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), campus de Joinville, esta desenvolvendo desde dezembro de 2013, sob a coordenação do Prof. Kleber Vieira de Paiva, um projeto intitulado “Controle Térmico de Nanossatélites”, que tem como objetivo o desenvolvimento do subsistema de controle térmico do primeiro nanosatélite do Programa SERPENS, bem como o desenvolvimento da parte estrutural do mesmo.

Segundo as informações colhidas pelo BLOG este projeto será desenvolvido utilizando software de simulação com código aberto para análise térmica do nanosatélite e um modelo de engenharia do nanosatélite seria fornecido pela AEB para os testes experimentais dos mecanismos de controle térmico.

Nota-se nesta informação que aparentemente algo de positivo surge dentro deste Programa SERPENS, mas é necessário realizar maiores investigações para termos certeza nas entre linhas se realmente não há algo de errado nesta iniciativa do LEPTEN, bem como no programa como um todo.

Vale dizer também que dentre as informações colhidas pelo BLOG sobre a participação do LEPTEN, uma coisa me chamou bastante a atenção, ou seja, o período de realização do projeto. Segundo consta o período do mesmo é de 03/12/2013 à 02/12/2015, ou seja, a AEB teria de fazer uma solicitação a NASA para usar um dos Ônibus Espaciais desativados, e assim através de uma missão de regate no espaço, regatar o Primeiro Nanosatélite do Programa, para assim um astronauta americano poder instalar este subsistema no nanosatélite.

Em resumo leitor, o Pinóquio da AEB (certamente por questões políticas de apoio a imagem da “Ogra” durante a sua campanha presidencial) aprontou mais uma, quando divulgou em março deste ano na mídia (veja aqui) que este nanosatélite seria lançado no segundo semestre deste ano. Isto tem que acabar, se esta agência de brinquedo quer ter credibilidade, precisa ser transparente e ter responsabilidade com o que divulga.

Duda Falcão

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

PRODES do INPE Estima 4.848 km2 de Desmatamento na Amazônia em 2013

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (26/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o Projeto PRODES do INPE estima 4.848 km2 de desmatamento na Amazônia em 2013.

Duda Falcão

Projeto PRODES do INPE Estima 4.848 km2
de Desmatamento na Amazônia em 2013

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

A estimativa da taxa anual do desmatamento medida pelo PRODES, o Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), aponta que foram desmatados 4.848 km²  no período de agosto de 2013 a julho de 2014.

A taxa estimada em 2014 indica uma redução de 18% em relação ao período anterior – PRODES 2013, em que foram medidos 5.891 km2. O resultado consolidado deve ser apresentado nos próximos meses e pode variar para mais ou para menos 10% do valor estimado.

Os dados do PRODES 2014 foram divulgados em Brasília na tarde desta quarta-feira (26/11) pelos ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Clelio Campolina Diniz, e do Meio Ambiente (MMA), Izabella Teixeira.

O PRODES utiliza imagens de satélites da classe Landsat (20 a 30 metros de resolução espacial e taxa de revisita de 16 dias) e computa como desmatamento as áreas maiores que 6,25 hectares onde ocorreu remoção completa da cobertura florestal – o corte raso.

As tabelas abaixo apresentam a distribuição da taxa de desmatamento nos estados que compõem a Amazônia Legal, bem como a comparação com a taxa calculada para 2013.

Estado
TaxaDesmatamento(KM2)
Acre
312
Amazonas
464
Amapá
NO
Maranhão
246
Mato Grosso
1048
Pará
1829
Rondônia
668
Roraima
233
Tocantins
48
AMZ. LEGAL
4848


Estados
PRODES 2013(KM2)
PRODES 2014(KM2)
Variação (%)
Acre
221
312
41%
Amazonas
583
464
-20%
Amapá
23
NO
-
Maranhão
403
246
-39%
Mato Grosso
1139
1048
-8%
Pará
2346
1829
-22%
Rondônia
932
668
-28%
Roraima
170
233
37%
Tocantins
74
48
-35%
AMZ. Legal
5891
4848
-18%

NO = Não Observado

Para gerar esta estimativa, o INPE analisou 89 imagens do satélite Landsat 8/OLI nas regiões onde foram registrados aproximadamente 93% do desmatamento no período anterior (agosto/2012 a julho/2013) e que também cobriram os 43 municípios prioritários referidos no Decreto Federal 6.321/2007 e atualizado em 2009. A figura abaixo apresenta as localizações das cenas Landsat utilizadas

Círculos indicam cenas Landsat utilizadas na estimativa
do PRODES 2014. Roxo - municípios prioritários

Abaixo, gráficos e tabelas sobre a série temporal do PRODES para a Amazônia Legal e por estados.

(a) Média entre 1977 e 1988, (b) Média entre 1993 e 1994 e (d) estimativa.
a) Média entre 1977 e 1988, (b) Média entre 1993 e 1994 e (d) estimativa
Variação relativa 2000 a 2014.

O projeto PRODES conta com a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e está inserido como ação do MCTI no Grupo Permanente de Trabalho Interministerial (GPTI) para a redução dos índices de desmatamento da Amazônia legal, criado pelo decreto presidencial de 3 de julho de 2005. O GTPI é parte do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm), lançado em 15 de março de 2004.

Esse sistema tem demonstrado ser de grande importância para as ações de planejamento de políticas públicas da Amazônia. Além de fornecer dados considerados confiáveis pela comunidade científica nacional e internacional, vem servindo de base para negociações e estabelecimento de metas de redução das emissões de CO2 nas convenções internacionais do clima.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Terra Class Revela Avanço de Áreas em Regeneração Sobre Pastagens na Amazônia

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (26/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o Projeto TerraClass do instituto revela avanço de áreas em regeneração sobre pastagens na Amazônia.

Duda Falcão

Terra Class Revela Avanço de Áreas em
Regeneração Sobre Pastagens na Amazônia

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Área equivalente ao total de corte raso verificado em 2011 está em processo de regeneração – em torno de 6 mil km2, segundo os novos dados do TerraClass, projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para mapear o uso das áreas desmatadas na Amazônia.

Os resultados foram apresentados nesta quarta-feira (26/11) pelos ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Clelio Campolina Diniz, e do Meio Ambiente (MMA), Izabella Teixeira, dirigentes e pesquisadores do INPE e Embrapa, durante entrevista coletiva na sede do MMA, em Brasília.

De 2008 até 2012, as áreas em regeneração (vegetação secundária = 113 mil km2) são 2,5 vezes maiores do que o total desmatado (44 mil km2) no mesmo período.

O relatório TerraClass 2012 aponta que a agricultura é responsável por apenas 2% dos desflorestamentos recentes na Amazônia Brasileira, pois as plantações estão avançando sobre locais onde havia pastagens.

Áreas antes destinadas à pecuária também cederam espaço para a vegetação secundária. Ainda assim, áreas de pastagem respondem por aproximadamente 60% do uso das terras desflorestadas na Amazônia. As áreas em regeneração (vegetação secundária) correspondem a 23%, enquanto a agricultura está relacionada a 6%.

O TerraClass qualifica as áreas mapeadas pelo PRODES, o sistema do INPE que contabiliza anualmente o desmate por corte raso na Amazônia Legal com base em imagens de satélites. Para este relatório foram mapeados 751 mil km2, o que corresponde ao total do desmatamento desde o ano 1988 até 2012.

A área mapeada em 2012 teve um aumento de 43,5 mil km2 em comparação com o primeiro relatório (TerraClass 2008). Dos desflorestamentos ocorridos desde 2008 até 2012, 63% tornaram-se pastagem (17.515 km2), 19% vegetação secundária (5.424 km2) e 2% agricultura (513 km2).

Para descrever a situação do uso e da cobertura da terra, o projeto considera as seguintes classes temáticas: Agricultura Anual, Pasto Limpo, Pasto Sujo, Pasto com Solo Exposto, Regeneração com Pasto, Vegetação Secundária, Mosaico de Ocupações, Mineração, Área Urbana e Reflorestamento.

O percentual de área ocupada pelas classes de pastagem apresentou uma pequena redução, mantendo-se nos três anos mapeados (2008, 2010 e 2012) próximo de 60%. A área ocupada desta classe em 2008 era de 447 mil km2, tornando-se 443 mil km2 em 2012. Os estados do Acre, Rondônia e Tocantins são os que, percentualmente, mais destinam as áreas desmatadas para pastagem, com mais de 70% convertido para este tipo de uso. A classe de pastagem é a que mais cede área para agricultura ou para vegetação secundária.

As classes com maior aumento de 2008 a 2012 foram mineração e área urbana - crescimento de 7,5% e 6,9%, respectivamente. Já a classe mosaico de ocupações teve a maior redução, de 17,1%.

Também ocorreu um aumento da área de agricultura anual, passando de 35 mil km2 em 2008 para 42 mil km2 em 2012, representando uma taxa média de crescimento da ordem de 4%. Cerca de 70% das áreas agora mapeadas como agricultura já apresentavam este uso em 2008 - 12 mil km2 foram convertidos para agricultura entre 2008 e 2012. Destes, a expansão agrícola ocorreu quase que exclusivamente sobre áreas de pastagem (80%) e de vegetação secundária (9%).


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Patenteada Nova Tecnologia Para Imageamento do INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada ontem (26/11) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que foi patenteada nova tecnologia do instituto para imageamento.

Duda Falcão

Patenteada Nova Tecnologia
Para Imageamento

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Invenção para facilitar mapeamentos com imagens de radar obteve patente junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Criada por Leonardo  Sant'Anna Bins, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), e Max Henrique Machado Costa, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a nova tecnologia foi intitulada “Método de Estimação de Deslocamento de Fase”.

“Esse método é utilizado na interferometria  por radar de abertura sintética e permite a determinação (calibração) dos deslocamentos de fase em interferogramas sem a necessidade de instalação de refletores de canto no campo”, explica Leonardo  Sant'Anna Bins, pesquisador da Divisão de Processamento de Imagens do INPE.

A patente é resultado da tese de doutorado defendida neste ano pelo pesquisador do INPE.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Brasil e Canadá Planejam Cooperação Espacial Para 2015

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (26/11) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que Brasil e Canadá planejam Cooperação Espacial para 2015.

Duda Falcão

Brasil e Canadá Planejam
Cooperação Espacial Para 2015

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)

Fotos: Valdivino Jr/AEB
Da esquerda para a direita: José Monserrat, Keith Banerjee,
Alex Krell e o presidente da AEB, José Raimundo Braga Coelho.

Brasília, 26 de novembro de 2014 – O novo secretário da Embaixada do Canadá para assuntos comerciais, Keith Banerjee, e o delegado comercial do Consulado Geral do Canadá em São Paulo, Alex Krell, ambos responsáveis pela cooperação com o Brasil na área espacial, foram recebidos pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, e pelo chefe da Assessoria de Cooperação Internacional, José Monserrat Filho, nesta terça-feira (25).

Inicialmente, tratava-se de uma visita de cortesia, destinada a apresentar o novo funcionário Banerjee, recém-chegado ao Brasil. Mas a conversa evolui para uma reunião de trabalho, indo além de simples audiência para abordar ideais e planos sobre atividades futuras.

Confirmou-se a realização em 25 de fevereiro próximo de mais uma videoconferência entre diretores e técnicos das agências espaciais do Brasil e do Canadá, e, provavelmente, de outras instituições e empresas interessadas dos dois países, sobre um eventual projeto de cooperação em torno de satélites radar de abertura sintética, que completam a função dos satélites electro-ópticos, graças à capacidade de “enxergar” através das nuvens e da copa das árvores no monitoramento das florestas.

Ficou também decidida a promoção em meados de 2015 do 2º Workshop Missão Espacial Canadense no Brasil, a se realizar no Parque Tecnológico de São José dos Campos, em São Paulo, onde ocorreu o primeiro evento, em março último.

Resolveu-se ainda intensificar a colaboração na área de formação de especialistas, com a ida de pós-graduados brasileiros ao Canadá e a vinda ao Brasil de professores dos cursos de engenharia espacial canadense.

Acertou-se igualmente criar parceria entre universitários dos dois países em programas de construção de pequenos satélites.

Alex Krell conheceu o trabalho desenvolvido pelos engenheiros
bolsistas da AEB em projetos de pequenos satélites.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom leitor, pelo menos dessa vez tiveram a decência de tirar a foto sem o retrato da 'Ogra' ao fundo (também já passou a eleição). Agora quanto a notícia leitor, sinceramente espero e torço para que a mesma não seja mais uma palhaçada engendrada pelo Sr. José Raimundo Braga Coelho e que essa parceria ocorra como está escrito nesta noticia, e nas entre linhas seja realmente positiva para o Brasil. Realmente precisamos dessa tecnologia de satélites radar para região amazônica e o Canadá pode ser um bom parceiro para alcançarmos juntos este objetivo. Tomara, tomara mesmo que essa parceria saia do papel e com lisura. O Blog BRAZILIAN SPACE não defende pessoas, e sim o que pode ser de positivo para o PEB, este é o nosso interesse, independente de ideologia política, religiosa, racial, cultural e social, o nosso interesse sempre vai ser o desenvolvimento do PEB e do Brasil e quem caminhar nesta direção, terá de nós o reconhecimento, mesmo sendo um incompetente como o Sr. José Raimundo Braga Coelho.  Vale ressaltar leitor que o que mais me chamou a atenção nesta nota foi a foto em que aparece o foguete. Que modelo de foguete será este? Parece um foguete educativo, mas enfim... Como a nota cita que um dos interesses é intensificar a colaboração na área de formação de especialistas e criar uma parceria entre universitários dos dois países em programas de construção de pequenos satélites, pode ser, digo, pode ser, que daí esteja surgindo alguma competição universitária semelhante a que o Canadá tem com a Suécia na área de foguetes e experimentos estudantis. Algo que realmente seria muito positivo para o Brasil. Será?

Estudantes de Pernambuco e do RS Vencem Concurso de Astronomia

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (26/11) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que dois estudantes de Pernambuco e dois do Rio Grande do Sul venceram Concurso de Astronomia promovido pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA).

Duda Falcão

Estudantes de Pernambuco e do RS
Vencem Concurso de Astronomia

LNA

Foto: Divulgação/LNA
Foto da Galáxia M83 obtida pelo telescópio Soar.

Brasília, 26 de novembro de 2014 – Dois estudantes de Pernambuco e dois do Rio Grande do Sul venceram o Concurso de Astronomia para Estudantes 2014. O resultado foi anunciado hoje (26) pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), de Itajubá (MG).

Os 391 alunos inscritos indicaram um objeto astronômico interessante para ser observado com o telescópio Soar, localizado na cidade mineira. A escolha das melhores propostas foi feita com base no interesse científico, na justificativa apresentada e no apelo visual do objeto.

Ana Vitória Foletto Lasch e Emanuela da Silva Foletto, ambas com 13 anos, alunas da Sociedade Educacional Três de Maio, de Três de Maio (RS), venceram na categoria Ensino Fundamental 2. Com orientação da professora de Astronomia Lilian Maria Stoll, as estudantes escolheram a Galáxia NGC 2207 para observação.

Já a Galáxia NGC 1300 foi a escolha da dupla Maria Inês Arruda Gonçalves e Matheus Valença Correia, ambos de 18 anos, para ser observado pelo Telescópio Soar. Eles venceram na categoria Ensino Médio. Os estudantes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) foram apoiados pelo professor de Física Guilherme Pereira da Silva.

Requisitos – De acordo com o LNA, os projetos apresentaram objetos interessantes e justificativas que deixaram evidentes o empenho e o comprometimento com a pesquisa científica.

O Concurso de Astronomia para Estudantes é aberto a alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Os vencedores de cada categoria receberão fotografias captadas pelo telescópio Soar com o espectrógrafo e imageador no óptico Goodman.

Já as escolas vencedoras receberão a visita de um astrônomo do LNA para proferir uma palestra sobre a unidade de pesquisa e o telescópio Soar e sobre o objeto astronômico escolhido pelos estudantes.

O resultado do concurso pode ser conferido na página do LNA: www.lna.gov.br


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Servidor e Colaborador do IAE Vencem o IV Concurso de Estudos de Caso em Projeto Gráfico de Sistemas

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (26/11) no site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) destacando que um servidor e um colaborador do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)  vencem o “IV Concurso de Estudos de Caso em Projeto Gráfico de Sistemas”, concurso este promovido pela  National Instruments (NI).

Duda Falcão

Servidor e Colaborador do IAE Vencem o
IV Concurso de Estudos de Caso
em Projeto Gráfico de Sistemas

IAE
26/11/2014

Foto: IAE

Servidor e colaborador da Divisão de Propulsão Espacial (APE) foram premiados no IV Concurso de Estudos de Caso em Projeto Gráfico de Sistemas. Promovido pela National Instruments (NI), o concurso de trabalhos técnicos reconhece as aplicações mais inovadoras no uso da Instrumentação Virtual e Projeto Gráfico de Sistemas elaboradas por engenheiros da indústria e por profissionais de ensino.

O artigo intitulado “Banco de Teste de Motor foguete usando as Soluções NI”, de autoria de André N. de Almeida Prado, servidor do IAE, e do colaborador do Instituto Guilherme Stanisce Correa, foi o grande vencedor do prêmio em 2014. O trabalho trata sobre Banco de Testes e como determinadas decisões podem fechar o ciclo de vida de projetos de forma prematura: “Nosso desafio é projetar e construir o primeiro banco brasileiro de testes de motores foguetes a propelentes líquidos que suporte o desenvolvimento de um sistema de propulsão líquida para foguetes, visando sua aplicação em lançadores de satélites. Para isso é fundamental, dentro da área de NI, manter-se alinhado às novas tecnologias, sustentando ciclos de vida mais longos e dando melhor suporte aos projetos”, destaca André N. de Almeida Prado.

A outorga do prêmio ocorreu no dia 12 de novembro de 2014, com a presença de Leandro Fonseca e Victor Hirata, representantes da National Instruments. Na mesma ocasião, a National Instruments reconheceu a participação do IAE através de homenagem ao engenheiro Afonso Paulo Pinheiro, chefe da Divisão de Propulsão Espacial, e da oferta de uma capacitação para um servidor do Instituto nos laboratórios da NI Brasil.

André N. de Almeida Prado recebeu como prêmio uma viagem a Austin – Texas para participação no NI Week, Congresso que reúne desenvolvedores, clientes e parceiros de NI a nível mundial para discussão sobre os novos caminhos da engenharia, desafios, problemas e quais os possíveis meios de solucioná-los.


Fonte: Site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)

Comentário: Pois é, esta é mais uma demonstração da qualidade dos profissionais que ainda temos no IAE (sabe-se lá por quanto tempo) como também no INPE. Fico a me perguntar leitor quanto custa a Nação a formação de um profissional como este? Esses tipos de profissionais num país sério teria todo apoio de seu governo e seria inclusive disputado a tapas por instituições públicas e privadas e até instituições de outros países, coisa que no Brasil, mesmo após obter prêmios como esse, não conseguem o necessário reconhecimento e apoio financeiro que permita-os trabalhar com segurança continuadamente em inovação, esteja ele ligado ao setor público ou privado. A Divisão de Propulsão Espacial (APE) do IAE é um dos setores de excelência do instituto nas áreas de propulsão espacial líquida, solida e mais recentemente híbrida, que precisa que esse desgoverno DILMA ROUSSEFF dê o apoio necessário suprindo suas pendências de décadas (sejam elas nas áreas de infraestrutura física ou humana), para que assim esta divisão do instituto possa cumprir no menor prazo possível os projetos em curso (motor L75 e Motor S50) e assim propiciar ao Brasil os motores que seu Programa Espacial necessita. 

SpaceMETA News - Twentieth Second Edition

Olá leitor!

Por mais improvável que algo assim pudesse acontecer, afinal nem sempre temos como avaliar algumas estranhas decisões que levam pessoas a alcançarem posições as quais não são merecedoras, enquanto pessoas que deveriam ter o reconhecimento da sociedade só alcançam esse reconhecimento décadas depois de seus feitos (veja o caso do Nikola Tesla hoje tido como gênio e em sua época como um cientista louco), isto é quando alcançam, não é que o Sr. Sergio Cabral Cavalcanti, líder da equipe brasileira SpaceMETA, participante do “Prêmio Google Lunar X-Prize”, foi um dos indicados para concorrer ao Premio World Technology Summit & Awards - WTN (o Oscar da Tecnologia) , evento este ocorrido entre os dias 13 e 14/11 em Nova York nos EUA. Veja abaixo os indicados do Setor Espacial:


Em nome da dignidade felizmente o prêmio acabou na mão do Sr. Elon Musk da SpaceX, um visionário, um verdadeiro realizador, alguém realmente que fez por merecer o prêmio em questão.

Parabéns ao Sr. Elon Musk pela sua maneira de pensar, agir e fazer a diferença, coisa que deveria servir de exemplo para muitos que militam em certo território sem lei e sem princípios localizado no hemisfério sul do planeta.

Duda Falcão

Legado de Nikola Tesla e Mario Schenberg Será Discutido em Seminário

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (25/11) no site da “Universidade de Brasília (UnB)” destacando que o legado do croata Nikola Tesla e do físico brasileiro Mario Schenberg será tema hoje (26/11) de Seminário nesta universidade.

Duda Falcão

ENGENHARIA

Legado de Nikola Tesla e Mario Schenberg
Será Discutido em Seminário

Evento trará apresentação de selos especiais em homenagem
aos cientistas, exibição de documentário e debate. A atividade
será na quarta-feira (26), às 14h30, no auditório da Reitoria

Lanna Santanna
Da Secretaria de Comunicação da UnB
25/11/2014

Reprodução

A Universidade de Brasília, em parceria com a Embaixada da Croácia no Brasil, realizará nesta quarta-feira (26) seminário em homenagem aos cientistas Nikola Tesla e Mario Schenberg. O evento é aberto ao público e acontecerá no auditório da Reitoria, às 14h30.

Na ocasião, haverá apresentação dos selos especiais “Série Relações Diplomáticas” dos Correios lançado em outubro. O material destaca os cientistas renomados do Brasil e Croácia. Conjuntamente, haverá exibição do documentário da HRT sobre Tesla e, logo em seguida, debate.

O evento faz parte de um conjunto de ações que visa aprimorar e internacionalizar as atividades de ensino, pesquisa e extensão na UnB. O reitor Ivan Camargo e o decano de Pesquisa e Pós-Graduação da univerisade, Jaime Santana, participam da atividade.

Mario Schenberg (1914 – 1990) foi físico e crítico de arte brasileiro. Realizou importantes pesquisas em mecânica quântica, termodinâmica e astrofísica. Pioneiro da Física Teórica Nacional, Shenberg trabalhou com importantes cientistas nos Estados Unidos. O destaque da carreira é o Processo Urca, que permitiu entender o colapso de estrelas supernovas.

O croata Nikola Tesla (1856 – 1943) formou-se em Engenharia Elétrica no Instituto Politécnico em Graz, na Áustria, e na Universidade de Praga. Lançou suas ideias e trabalhos nos Estados Unidos. O inventor contribui significativamente para as áreas de Engenharia Mecânica e Eletrotécnica com pesquisas que auxiliaram para o avanço de ferramentas de comunicações sem fio. Seu sobrenome virou unidade padrão para medir a força de um campo magnético. Há no mundo, mais de 700 patentes certificadas em seu nome.

SERVIÇO

Data: 26 de novembro de 2014.
Hora: 14h30
Local: Auditório do Prédio da Reitoria


Fonte: Site da Universidade de Brasília (UnB)

Comentário: Pois é leitor quando essa caricatura de país estiver produzindo mais pessoas com as características de um Nikola Tesla, e principalmente como o Mário Schenberg, seja nas Áreas de Conhecimento, na Educação de qualidade, na Política ou qualquer outra área mobilizadora de desenvolvimento sócio, cultural e científico, e produzindo menos pessoas como DILMAS ROUSSEFS da vida e seus semelhantes populistas e oportunistas de merda, este território de ninguém começará então a trilhar o verdadeiro caminho do desenvolvimento. Entretanto, estamos ainda há anos luz disso acontecer e sem qualquer perspectiva real de mudança de direção.