Nanossatélites Brasileiros Serão Lançados ao Espaço a Partir da ISS

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (19/03) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que nanossatélites brasileiros serão lançados ao espaço a partir da ISS.

Duda Falcão

Nanossatélites Brasileiros Serão
Lançados ao Espaço a Partir da ISS

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)


Brasília, 19 de março de 2014 – A empresa Japan Manned Space Systems Corporation (JAMSS), parceira da Agência Espacial Japonesa (JAXA), firmou acordo com a Agência Espacial Brasileira (AEB), para lançamento de três pequenos satélites a partir da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) no segundo semestre do ano.

Os entendimentos para o envio dos nanossatélites AESP-14, SERPENS (Sistema Espacial para a Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites) e UbatubaSat para a ISS foram discutidos na AEB com o engenheiro Yuchiro Nogawa da JAMSS, no último dia 1º de fevereiro.

O AESP-14 é um Cubesat desenvolvido pelos institutos Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), ambos em São José dos Campos (SP). O SERPENS é um programa coordenado pela AEB, que envolve diversas universidades brasileiras, uma espanhola e duas norte-americanas e o UbatuSat é um CanSat criado por alunos do ensino médio da Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves, de Ubatuba (SP), com apoio do INPE. Todos os projetos têm o apoio e recursos da AEB.

A ISS se encontra em uma órbita baixa entre 340 e 404 quilômetros e se locomove a uma velocidade de 27.700 Km por hora. Os pequenos satélites brasileiros serão lançados ao espaço por meio de um braço robótico desenvolvido e operação pela JAXA.

Participaram também da reunião com o representante da JAMSS a professora Chantal Cappelletti, da Universidade de Brasília (UnB), que coordena o programa SERPENS, os bolsistas da AEB, Gabriel Figueiró e Pedro Luiz Kaled, o estudante do ITA, Cleber Hoffman Toss, o professor Cândido Moura, da escola Tancredo Neves, e Jean Robert Batana, Coordenador de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Diretoria de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Veja você leitor que a Coordenação de Comunicação Social (CSS) da AEB e mesmo a agência na gestão do Sr. José Raimundo Braga Coelho não tem nenhum compromisso em divulgar a notícia de forma correta e precisa. Dias atrás um artigo do Sr. José de Monserrat Filho (Chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da AEB – veja aqui) dizia que o nanosatélite AESP-14 seria lançado através de um foguete russo/ucraniano DNEPR, notícia essa incorreta e que em meu artigo sobre o assunto, postado no blog dias depois (veja aqui), esclareci na verdade que a AEB estava em negociações com a empresa Japan Manned Space Systems Corporation (JAMSS) para o lançamento desse satélite através do foguete europeu Ariane 5 (notícia esta passada a mim por fonte altamente confiável, mas que infelizmente errou também em sua informação), não sabendo eu que essas negociações com a JAMSS aconteciam não só em nome desse nanosatélite, como também em nome do nanosatélite do Programa SERPENS e do Tubesat TANCREDO-1 do Projeto  Ubatubasat (a CCS da AEB continua divulgando erradamente o nome do projeto como se fosse o nome do satélite. Saibam vocês da CCS para divulgações posteriores, que o nome correto é “Tubesat TANCREDO-1” e que Ubatubasat é o nome desse projeto que envolverá o desenvolvimento de outros tubesats, como é o caso do TANCREDO-2, que já se encontra em desenvolvimento pelo grupo do Prof. Cândido Moura) para assim os três serem lançados da Estação Espacial Internacional (ISS). Enfim, a falta de cuidado em divulgar notícias sobre as atividades espaciais brasileiras, sabidamente atinge toda a mídia do país, e era de se esperar que pelo mesmo o órgão da agência responsável pela divulgação oficial das notícias sobre as atividades espaciais brasileiras, tivesse o compromisso e o cuidado em divulga-las de forma correta e precisa, coisa que como vemos não acontece. Fora o fato de também esse órgão da AEB ser utilizado para divulgar notícias fantasiosas motivadas por interesses políticos eleitoreiros desse governo desastroso. Credibilidade caro leitor não é algo que se compra em loja de departamentos ou em porta de botequins, e sim fruto de ardo trabalho realizado por pessoas sérias e comprometidas com o que fazem, seja na mídia ou em qualquer outra área da sociedade humana. Lamentável!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial