Nanosatélite Nacional Finaliza Testes Nesta Quinta-Feira (27) no LIT

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (26/03) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que o "Cubesat NanosatC-Br1" finaliza testes nesta quinta-feira (27/03).

Duda Falcão

Nanosatélite Nacional Finaliza
Testes Nesta Quinta-Feira (27)

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)

O NanosatC-Br1 na câmara de vácuo do LIT.

Brasília, 26 de março de 2014 – Termina nesta quinta-feira (27) a última bateria de testes do segundo nanosatélite brasileiro e primeiro Cubesat nacional, o NanosatC-Br1, no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP).

Hoje (26) foram concluídos os testes de vibração, que simulam as condições na fase de lançamento, e que também são os únicos requeridos para o procedimento. Os testes de amanhã são todos voltados para a avaliação da massa do artefato. De acordo com o engenheiro Otávio Durão, gerente do projeto no INPE, na sexta-feira (28) o satélite será embalado para ser levado para a Holanda, onde também serão feitos alguns testes antes do seu embarque para a Rússia, de onde tem lançamento previsto para 19 de junho.

Desenvolvido com recursos da Agência Espacial Brasileira (AEB), o NanosatC-Br1é um dos quatro artefatos nacionais programados para lançamento este ano. No segundo semestre está previsto o lançamento dos satélites AESP-14, desenvolvido pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) com apoio do INPE; do SERPENS, cuja produção envolve diversas universidades coordenadas pela AEB, e do UbatubaSat, que é um CanSat produzido pelos alunos da Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves, de Ubatuba (SP), com a orientação do INPE.

Compõem as três cargas do NanosatC-Br1 um magnômetro para utilização dos seus dados pela comunidade científica; um circuito integrado projetado pela Santa Maria Design House da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul (RS), e o hardware FPGA, que deve suportar as radiações no espaço em função de um software desenvolvido pelo Instituto de Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Continuidade - O Br1 é um pequeno satélite científico (pouco mais de um quilo) e o primeiro cubesat desenvolvido no país, produzido em parceria do CRS, do INPE e da UFSM. Também esteve envolvida na sua preparação a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e as empresas Emsisti, Innovative Solution in Space (ISS), empresa holandesa fornecedora da plataforma do cubesat, e a brasileira LUNUS Aeroespacial.

Segundo Durão, as equipes envolvidas no projeto já trabalham no desenvolvimento do NanosatC-Br2 “para o qual já temos a plataforma e algumas especificações de cargas úteis”. Entre as cargas está o primeiro sistema de determinação de atitude nacional (com tripla redundância), já em fase de produção cooperativa entre o INPE e as universidade federais de Minas Gerais (UFMG) e do ABC (UFABC).

O NanosatC-Br2 é um cubesat 2U (o dobro do Br1 que é 1U – um litro de volume) tendo assim muito mais capacidade de carga útil. A carga útil científica será uma sonda de Langmuir para dados da ionosfera, a cargo de pesquisadores do INPE.


Fonte: Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Poxa, como é bom ver uma foto do modelo de voo desse nanosatélite, mesmo não sendo ela uma das melhores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes