Co-Criador de Satélite de Pequeno Porte Profere Palestra na AEB

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (28/03) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que como já havíamos anunciando, o especialista americano em Cubesats, Prof. Jodi Puig-Suari, ministrou palestra no dia de ontem na AEB.

Duda Falcão

Co-Criador de Satélite de Pequeno
Porte Profere Palestra na AEB

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)

Foto: Valdivino Jr - AEB
Professor Puig-Suari profere palestra na AEB.

Brasília, 28 de março de 2014 – As etapas e as estratégias para o sucesso de uma missão com CubeSa foram o tema central da palestra proferida nesta sexta-feira (28) pelo professor Jodi Puig-Suari, Universidade Politécnica da Califórnia, dos Estados Unidos, na sede da Agência Espacial Brasileira (AEB), em Brasília (DF).

Mais de 60 estudantes da Universidade de Brasília (UnB) acompanharam atentamente a exposição do engenheiro criador, juntamente com o norte-americano Bob Twiggs, dos satélites de pequeno porte. Após a palestra Puig-Suari respondeu a perguntas da plateia e encaminhas por pessoas que assistiram à distância.

Apontado como uma dos maiores autoridades em satélites de pequeno porte, Puig-Suari veio ao Brasil a convite da AEB para uma revisão crítica de projetos que estão em desenvolvimento com suporte financeiro e apoio técnico da Agência.

Além da sede da AEB ele também visitou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), ambos em São José dos Campos (SP). O professor também esteve na Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves, em Ubatuba (SP), para conhecer a equipe de alunos que construiu um CanSat com o apoio de técnicos do INPE.

Puig-Suari conheceu ainda as instalações do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal (RN).

Ao final de sua palestra o professor recebeu do presidente da AEB, José Raimundo Coelho, uma placa de agradecimento por aceitar o convite para a revisão crítica dos projetos e pelos conhecimentos que agregou nos encontros mantidos com diversos técnicos da área espacial.

Foto: Valdivino Jr - AEB
Puig-Suari recebe placa do presidente da
AEB, José Raimundo Coelho.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentários

  1. Olá Duda, sou de São Luís - Ma e um entusiasta do espaço acho que antes mesmo do meu nascimento! Cheguei a conhecer e brincar quando adolescente na TMI que infelizmente foi incendiada no trágico acidente que ceifou nossas saudosas (ao menos aos que amam verdadeiramente o Brasil, o programa espacial e torcem pela real ascenção deste país ainda medíocre) mentes 'espaciais'! Na época da explosão eu estava no 2 ano do ensino médio, meus amigos sem exceção desconheciam o fato de o nosso país tentar produzir foguetes, portanto ninguém se importou muito! Somente eu que fiquei bastante triste! Hoje em dia a realidade não mudou muito, se é que não piorou..se você chegar aqui na capital e perguntar se as pessoas sabem que em Alcântara logo ao nosso lado existe um centro espacial(ou deveria existir já que se encontra até hoje incompleto), poucas pessoas responderão que sim. Então meu ponto é: Será que não devíamos fazer uma campanha maior de conscientização sobre a necessidade de o Brasil investir em tecnologia e não somente em bolsas família e afins? Tenho uma suspeita que precisamos antes de tudo de algum gênio do marketing ao nosso lado..porque se continuarmos esperando verbas do governo provavelmente somente nós (0,00000..1% dos brasileiros que amamos o espaço) continuaremos a nos lamentar e observar o resto do mundo avançar! Desculpe o post um pouco longo! Mas gostaria de algum comentário seu a esse respeito! No mais eu lhe mandarei um email ainda maior! Grande abraço e obrigado pela sua contribuição valiosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo!

      Só faltou você dizer o seu nome. Bom, olha, quanto a campanha eu acho que seria muito bom e necessária, mas muito difícil de se realizar sem recursos, especialmente como você sugeriu de utilizarmos um gênio de marketing, afinal custa muita grana contratar um profissional desses. Enfim, sem recursos é inviável.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Isso demonstra um pouco da triste realidade dos nossos dois centros de lançamento em relação ao conhecimento que a população em geral tem sobre eles, e aí existe uma explicação.

    Existem em termos mundiais, que eu saiba, duas formas de abordagem para esses centros de lançamento: a Norte americana e a dos demais países.

    A NASA como uma agência espacial privada que é, tem todo o interesse em promover todos os seus espaços ligados as ciências do espaço, não só seus centros de lançamento, mas vamos nos ater apenas a eles.

    É muito mais fácil para um cidadão brasileiro, conhecer os centro de lançamento e outras instalações científicas da NASA nos Estados Unidos, do que fazer uma visita ao CLBI ou ao CLA. E o motivo, é muito simples, ambos são militarizados, ou seja, para visitá-los precisa-se de uma autorização dos militares.

    Exemplo bem claro disso, é que a agência do Sr. Marcos Pontes, presta serviço de acessoria para visitas tanto ao Kennedy Space Center, quanto ao Centro de Lançamento de Foguetes de Baikonur

    Vejam que até mesmo os russos estão muito mais abertos a esse tipo de visitação.Na verdade, é muito mais fácil um brasileiro assistir no local o lançamento de um foguete Soyuz rumo à ISS do que um foguete de treinamento no CLBI. O que não deixa de ser muito triste.

    Abs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes