BRASIL e CANADÁ Firmam Cooperação Para Área Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (11/03) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que Brasil e Canadá firmam cooperação na Área Espacial.

Duda Falcão

BRASIL e CANADÁ Firmam Cooperação Para Área Espacial

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)


Brasília, 11 de março de 2014  A Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Agência Espacial Canadense (CSA) firmam na próxima segunda-feira (17) um programa de cooperação para a formação de profissionais e estudantes qualificados em disciplinas relacionadas ao espaço por meio do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF).

A assinatura do documento pelos presidentes da AEB, José Raimundo Coelho, e da CSA, Luc Brûlé, se realiza na abertura do evento “Missão Espacial Canadense ao Brasil”, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP).

O objetivo dessa cooperação é intensificar a colaboração entre as duas agências dentro de missões e projetos na área espacial, a fim de avançar seus conhecimentos em áreas relacionadas à ciência, tecnologia e inovação no domínio espacial.

Desta forma, a cooperação prevê o intercâmbio de estudantes, pesquisadores, estagiários, engenheiros, tecnólogos, gestores e juristas, em instituições acadêmicas, científicas e industriais de alto nível, identificadas em comum acordo, assim como em programas de treinamento e estudos de graduação, especialização, doutorado e pós-doutorado.

Negócios – Da programação da Missão Espacial, que termina na terça-feira (18), constam três painéis e várias palestras, além de um encontro de negócios entre representantes de empresas do setor aeroespacial brasileiro e canadense.

O primeiro painel, mediado pelo diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Carlos Alberto Gurgel Veras, tem como tema “Aplicações de Tecnologia Espacial para o Desenvolvimento Social e Econômico”. O segundo, com a mediação de William Mackey, conselheiro da CSA, trata das “Iniciativas Conjuntas entre Brasil e Canadá para a Construção de Capacitação em Tecnologias Espaciais”. Ambas as atividades ocorrem no primeiro dia do evento.

O terceiro painel, marcado para a manhã de terça-feira (18), tem como tema “Setor Privado Espacial Brasil-Canadá para a Construção de Parcerias de Sucesso”, com mediação do diretor Técnico de Operações do Parque Tecnológico de São José dos Campos, Elso Alberti Júnior, e de David McCabe, gerente geral do Grupo de Desenvolvimento da Missão.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: O Blog BRAZILIAN SPACE divulga, defende e torce muito pelo êxito do Programa Espacial Brasileiro e assim não poderíamos deixar de apoiar uma iniciativa como essa. Entretanto espero sinceramente Sr. José Raimundo Braga Coelho que esse acordo não seja mais um acordo de fachada com objetivos políticos como tantos já realizados em nome da AEB e do MCTI. Está ai realmente uma boa oportunidade, e como tal deve ser conduzida com seriedade, compromisso e competência. Estaremos de olho e cobrando, esteja certo disso.

Comentários

  1. O Brasil precisa de menos "acordos" e mais ação de disposição dos envolvidos no PEB para mudar esse estado de coisas.

    Como sabemos, se depender do "governo" as coisas não vão mudar.

    E se ninguém de dentro fizer nada, vai continuar isso aí que já conhecemos...

    ResponderExcluir
  2. Cara, duvido que mais programas espaciais tem tanto acordos "de papel" como o nosso. O pior eh que se preve que sejam arrastados uma eternidade, se nao forem totalemente enterrados devido a falta de importancia politica num futuro proximo. Espero estar errado e que esse acordo com os canadenses seja tao frutuoso quanto o que temos tido com os alemaes.

    Posso ter compreendido mal, mas parece-me que esse acordo Brasil/Canada somente incluem palestras e troca de "cerebros" daqui para la e de la para aqui, com o vies quase exclusivamente academico. Pode ate ser que saia alguma inovacao mas nao pareceu que saia algo mais material desse acordo, como a contrucao conjunta de foguetes ou de satelites. Vamos aguardar para ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Israel!

      Você entendeu bem, realmente trata-se mais de um acordo acadêmico. Entretanto isso não impede a criação de projetos espaciais universitários, como pequenos satélites e pequenas sondas espacias, mas a pergunta que fica é: Será que haverá comprometimento financeiro do governo que possibilite o surgimento de projetos como esses? Na atual conjuntura é muito difícil de acreditar nisso. Enfim...

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial