Eugene Parker, Astrofísico Americano, é homenageado no INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da postada hoje (24/03) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o INPE homenageou o astrofísico americano Eugene Parker.

Duda Falcão

Eugene Parker é Homenageado no INPE

Segunda-feira, 24 de Março de 2014

Um dos mais conceituados astrofísicos do mundo, Eugene Parker foi homenageado no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O diretor Leonel Perondi destacou o trabalho pioneiro do cientista no campo da reconexão magnética, conhecimento inicialmente aplicado a estudos sobre explosões solares e estendido a pesquisas sobre vento solar e a magnetosfera terrestre.

“Este importante tema científico foi aplicado a várias áreas de pesquisa em plasmas espaciais, bem como outros cenários astrofísicos”, disse o diretor do INPE, que destacou ainda a reputação internacional do Instituto nas áreas de física e clima espacial, estudos da magnetosfera e tempestades geomagnéticas, entre outros tópicos no campo da geofísica espacial.

Perondi entregou a Engene Parker uma medalha em reconhecimento à atuação do cientista. A homenagem aconteceu durante a abertura do Parker Workshop on Magnetic Reconnection, realizado entre os dias 18 a 21 de março na sede do INPE, em São José dos Campos (SP).


Durante o evento, que contou com a participação de 140 pesquisadores do Brasil e do exterior, foram apresentadas pesquisas sobre reconexão magnética e as perspectivas para a Magnetospheric Multiscale Mission (MMS), que será lançada em outubro pela agência espacial americana (NASA) para estudar a magnetosfera da Terra.

Eugene Parker

Responsável por estabelecer novas perspectivas no estudo do vento solar e outros fenômenos espaciais, Eugene Parker é pioneiro nos estudos da física solar, magnetosfera terrestre e da reconexão magnética.

Nascido em junho de 1927, Eugene Parker é astrofísico solar formado em Física pela Universidade Estadual de Michigan em 1948, tendo obtido em 1951 seu Ph.D. na Caltech. Em 1958, Parker desenvolveu uma teoria prevendo a existência de um fluxo supersônico contínuo de partículas sendo emitido pelo Sol, o que se conhece hoje como "vento solar".

Sua explicação teórica opunha-se à ideia existente na época, a qual considerava que havia fluxos de partículas esporádicos oriundos do Sol, tidos então como as causas das tempestades geomagnéticas. Sua ideia, de um vento solar contínuo, chegou a ser desacreditada até a confirmação observacional de sua existência em 1960, por meio das sondas soviéticas Lunik 2 e Lunik 3 e, mais tarde, em 1962, pela sonda americana Mariner 2.

Recebeu várias condecorações ao longo de sua carreira, como a "Gold Medal of the Royal Astronomical Society”, em 1992; a “Bruce Medal”, em 1997, da Sociedade Astronômica do Pacífico; o Prêmio Kyoto, em 2003, concedido pela Fundação Inamori do Japão; e o Prêmio James Clerk Maxwell, em 2003, da Sociedade Americana de Física.

Eugene Parker, pioneiro nos estudos da física solar,
magnetosfera terrestre e da reconexão magnética.
Walter Gonzalez, pesquisador do INPE que coordenou
o evento, e o diretor Leonel Perondi.
Eugene Parker exibe a medalha entregue pelo diretor Leonel Perondi.
Eugene Parker profere palestra de abertura.
Renomados cientistas de vários países participaram do
“Parker Workshop on Magnetic Reconnection”.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial