Governo do RS Estuda Criar Polo Aeroespacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada dia (24/02) no site “Brasil 247” destacando que o Governo do Rio Grande do Sul estuda criar Polo Aeroespacial.

Duda Falcão

Rio Grande do Sul 247

Governo do RS Estuda Criar Polo Aeroespacial

Apontada como uma das prioridades da Política Industrial
do Rio Grande do Sul, a produção de microsatélite no Rio
Grande do Sul foi tema de reunião na sede do BNDES, no Rio;
O governador Tarso Genro discutiu o assunto com o vice-presidente
do banco, Wagner Bittencourt; "Acertamos um regime de colaboração
que já deu resultados em outros momentos", disse Tarso

24 de Fevereiro de 2014 às 13:21


Governo do Rio Grande do Sul - Apontada como uma das prioridades da Política Industrial do Rio Grande do Sul, a produção de microsatélite no Rio Grande do Sul foi tema de reunião, nesta sexta-feira (21), na sede do BNDES, no Rio de Janeiro. O governador Tarso Genro, acompanhado dos secretários Mauro Knijnik (Desenvolvimento e Promoção do Investimento) e Vinícius Wu (Secretaria Geral de Governo), discutiu o assunto com o vice-presidente do banco, Wagner Bittencourt.

O objetivo é viabilizar o polo aeroespacial gaúcho através de um financiamento de algumas empresas que atuam no Estado nas áreas de automação e alta tecnologia. Os representantes do BNDES ficaram satisfeitos com a apresentação do projeto e estabeleceram o prazo de trinta dias para definir o cronograma de análise da proposta. "Acertamos um regime de colaboração que já deu resultados em outros momentos. O BNDES tem sido um grande parceiro no desenvolvimento do Rio Grande do Sul e pode ingressar em uma nova área", ressaltou o governador.

Técnicos do banco e do governo gaúcho vão se reunir nos próximos dias. O Grupo de Trabalho será responsável pelos estudos prévios de viabilidade. "Precisamos acelerar o processo. O Brasil ainda não produz microsatélite, enquanto alguns países já atuam com o nanosatélite. O Rio Grande do Sul tem empresas capacitadas para isso e nós estaremos junto na sustentação do polo", destacou Mauro Knijnik.


Fonte: Site Brasil 247 - http://www.brasil247.com

Comentário: Pois é leitor, muito interessante o que fala o governador gáucho quando diz (com a concordância dos técnicos do Banco) de que o BNDES (que é um banco de desenvolvimento) pode ingressar nessa nova área ajudando seu estado. Ora, o que eu não entendo é que projetos espaciais genuinamente brasileiros como o VLS-1, VLM-1, Motor L15, Motor L75, PSM, Amazônia-1, entre tantos outros, não conseguem apoio desses mesmos técnicos que agora avaliam positivamente o investimento nesse projeto de microsatélite onde o beneficiado tecnologicamente será sabidamente uma empresa estrangeira. Isso é um absurdo e fica evidenciado que essa é mais uma iniciativa de cunho político desastrosa para o erário público brasileiro, motivado sabe lá por quais razões. Entretanto, num país onde sua presidentA debiloide faz gastos em infraestrutura de países estrangeiros e em projetos populistas, um absurdo a mais ou um absurdo a menos, não faz tanta diferença, afinal já estamos ferrados mesmo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes