Cooperação Espacial Entre os Países do BRICS

Olá leitor!

Ficou definindo no Primeiro Encontro de Ministros de Ciência, Tecnologia e Inovação do BRICS (grupo formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), realizado no início desta semana na Cidade do Cabo, África do Sul, que a Tecnologia Geoespacial e suas aplicações além da Astronomia serão duas das cinco áreas temáticas em que o BRICS decidiu aprofundar a cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).

Além destas, outras três áreas temáticas de trabalho foram definidas. Foram elas:

- Alterações climáticas e mitigação de desastres naturais;

- Recursos hídricos e de tratamento da poluição; e

- Energias alternativas e renováveis.

Sendo que ao Brasil caberá a liderança nos trabalhos em Alterações Climáticas e Mitigação de Desastres Naturais (área que tem interessado ao Brasil desde a criação do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), a Índia caberá à liderança em Tecnologia Geoespacial e suas aplicações, enquanto que a África do Sul liderará os esforços em Astronomia.

Vale ainda dizer que o documento final do encontro também faz referência genérica à cooperação nos seguintes campos:

- Tecnologia espacial e aeronáutica;

- Expressa a 'intenção de enfrentar os desafios socioeconômicos globais e regionais comuns ao bloco;

- Gerar novos conhecimentos e produtos inovadores, serviços e processos; e

- Promover parcerias com outros atores estratégicos no mundo em desenvolvimento.

Duda Falcão

Foto: GCIS
Ministros aprovaram declaração na Africa do Sul.


Fonte: Formulado com informações do Blog Panorama Espacial e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Comentário: Sinceramente não acredito que surja projetos sérios e significativos dessa iniciativa ou qualquer outra iniciativa que envolva a cooperação espacial, ciências espaciais e de ciência e tecnologia enquanto estiverem no poder esta corja de energúmenos que militam os bastidores políticos de nossa obscura capital federal. Este é o clássico compromisso assinado por servidores sem poder decisório que vale apenas como propaganda política, mas que não tem qualquer chance de obter apoio daqueles que tem o poder de decisão, ou seja, a Presidência da República e o MPOG. Veja o exemplo do projeto do satélite IBAS, iniciativa lançada em 2010 no governo do humorista LULA pelo Brasil, Índia e a África do Sul (Grupo de países que forma o IBAS) que até o momento não passou de uma simples promessa. Uma verdadeira ducha fria para os Sul-Africanos que eram os maiores interessados e que acreditavam no lançamento dos dois satélites previstos no acordo em quatro anos. Uma pena, já que um programa de cooperação sério nessas áreas entre os países do BRICS e do IBAS na minha opinião seria muito interessante para o Brasil, mas isso exige seriedade e compromisso de um governo que nunca tivemos em nosso país e que pelo andar da carruagem, jamais teremos. 

Comentários

  1. Mais uma daquelas "cartas de intenção". Como já sabemos que por aqui não há a menor intenção de fazer algo que preste, também sou cético. Também me parece puro marketing eleitoral.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial