Give Your CubeSat Some Thrust This Valentine's

Hello reader!

It follows a note one published in on the day (02/17) in the website “Space Daily” noting the most advanced method of getting about in space to cubesats.

Duda Falcão

MICROSAT BLITZ

Give Your CubeSat Some Thrust This Valentine's

by Staff Writers
Glasgow UK (SPX) Feb 17, 2014

Welcome to the World of CubeSat Ion Propulsion!

illustration only
Hot out of our CubeSat Lab, please let me introduce the most advanced method of getting about in space. Our CubeSat micro-Pulsed Plasma Thruster (also known here at Clyde Space as 'CubeSpark') is the product of years of development here at Clyde Space and with our technology buddies for electric propulsion, Mars Space.

CubeSpark has already been through months of testing and millions of shots (pulses) in a vacuum chamber to prove it produce the goods once in orbit.

This design is the latest revision of the product and several improvements have been made meaning that CubeSpark is now even more controllable, requires less power, delivers more thrust per pulse and is smaller.

With all this new thrust, there are many things your CubeSat mission can now do: constellation development, orbital life extension, orbit maintenance, de-orbit or even do a bit of formation flying.

Why not have a wee look at the product page on our website where you can find out more information on CubeSpark, download the 3D model or even buy one with your credit card!


Source: WebSite Space Daily -  http://www.spacedaily.com/

Comentário: Creio que essa pequena nota seja do interesse dos pesquisadores brasileiros que trabalham na área de cubesats e de propulsão iônica no Brasil. Recordo-me que em agosto de 2010 (veja aqui) postei no blog uma notícia sobre um pesquisador brasileiro (Dr. Rodrigo Intini Marques) que havia desenvolvido um novo tipo de Propulsor Lateral de Plasma Pulsado (Pulsed Plasma Thruster - PPT) e o havia patenteado em 2008. Descobrir também que o mesmo pesquisador, locado na época no Laboratório de Combustão e Propulsão (LCP) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), estava trabalhando no desenvolvimento de um propulsor para o microssatélite italiano UniSat-5 que na época estava previsto para ser lançado em  2010 ou em 2011, segundo outras fontes alternativas. Sinceramente não sei como terminou essa história, mas me parece que esse pesquisador infelizmente não se encontra mais no INPE, mas creio que o satélite italiano já se encontra no espaço sem o propulsor brasileiro. Quem sabe aparece alguém para esclarecer essa história? Vamos aguardar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial