Produto da Orbital Engenharia Voa Amanhã em Satélite Científico Inglês

Olá leitor!

No dia de amanhã (08/07) será lançado da Base de Baikonur, no Cazaquistão, um foguete Soyuz tendo abordo três satélites de diferentes países, ou seja, o Meteor M2 (carga principal), o SkySat 2 e o TechDemoSat 1 (cargas secundarias).

Ora, o leitor deve estar se perguntando e daí Duda, o que tem isso haver com as nossas atividades espaciais? Acontece que em contato com o Eng. Pedro de Souza Lobo Almeida, da empresa brasileira Orbital Engenharia, ficamos sabendo que em um dos satélites desta missão, mais precisamente no satélite científico de demonstração tecnológica TechDemoSat 1, pertencente a empresa inglesa Surrey Satellite Technology LTD (SSTL), o  seu painel solar foi fabricado utilizando SCA's de quatro empresas, sendo duas americanas, uma alemã e da Orbital Engenharia.

O satélite científico inglês TechDemoSat 1.

“É o primeiro registro que teremos de um produto brasileiro que será lançado em um satélite europeu, o que nos qualificaria para fornecer para a ESA, apesar de ser apenas uma parte do painel”, completa o engenheiro da Orbital.

Vale esclarecer que o citado SCA’s (Solar Cell Assembly) é na realidade a própria célula solar que é preparada para ser integrada ao painel. A integração desta consiste em soldar os interconectores na célula, o diodo de proteção e aplicação de uma película de proteção (chamada de Coverglass) que protege da radiação, mas ao mesmo tempo permite a passagem do espectro solar.

Ainda segundo o Eng. Pedro Almeida, esse processo de fabricação do SCA é extremamente critico, para assim evitar a perda de eficiência da célula, única fonte de energia que o satélite dispõe no espaço.

“Existem no momento esforços mundiais para elevar a eficiência das células tentando com isso se aproximar dos 30%, e uma solda mal feita ou uma bolha na aplicação do ‘Coverglass’, gera uma queda drástica nessa eficiência”, finaliza o Eng. Pedro Almeida.

O Blog BRAZILIAN SPACE parabeniza a empresa Orbital Engenharia que demonstra com esse contrato internacional conquistado, junto a empresa inglesa SSTL, o avanço que a mesma vem obtendo nessa área de painéis solares, e desde já ficamos na torcida para que novos contratos internacionais possam surgir e solidificar cada vez mais a imagem dessa importante e crucial empresa brasileira do setor aeroespacial

Duda Falcão

Vídeo do TechDemoSat 1


Fonte: Orbital Engenharia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial