Brasileiro Integra Diretoria de Órgão Internacional Para Monitoramento do Clima Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (14/07) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que pesquisador deste instituto integrará diretoria do International Space Environment Service (ISES)”, órgão internacional para monitoramento do Clima Espacial.

Duda Falcão

Brasileiro Integra Diretoria de Órgão
Internacional Para Monitoramento
do Clima Espacial

Segunda-feira, 14 de Julho de 2014

Clezio Marcos De Nardin, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), foi eleito vice-diretor do ISES (International Space Environment Service), órgão que congrega centros de alerta regionais para Clima Espacial existentes em várias regiões do planeta. É a primeira vez que um brasileiro fará parte da diretoria do ISES.

Pesquisador da Divisão de Aeronomia da Coordenação de Ciências Espaciais e Atmosféricas do INPE, Clezio Marcos De Nardin atualmente gerencia o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (Embrace) do Instituto.

O Embrace/INPE é o centro de pesquisa e desenvolvimento responsável pelo monitoramento e previsão do Clima Espacial no Brasil.

“Esta escolha pela comunidade internacional reflete o amadurecimento de nosso país nesta área", disse o pesquisador do INPE sobre a eleição no ISES. “Será também um prazer poder servir ao ISES juntamente com o diretor Terry Onsager (NOAA, Estados Unidos)". A posse da nova diretoria do ISES será no mês de agosto em Moscou, Rússia, durante a reunião anual do órgão.

Mais informações sobre o ISES na página www.ises-spaceweather.org

Clima Espacial

Por meio de estudos sobre os processos eletrodinâmicos da ionosfera equatorial e de baixas latitudes, os pesquisadores do INPE monitoram parâmetros físicos como características do Sol, do espaço interplanetário, da magnetosfera, ionosfera e da mesosfera

O Embrace/INPE oferece informação em tempo real, na internet, e realiza previsões sobre o sistema Sol-Terra para diagnósticos de seus efeitos sobre diferentes sistemas tecnológicos, em áreas como navegação e posicionamento por satélite (aeronaves, embarcações, plataformas petrolíferas, agricultura de precisão), comunicação (satélites geoestacionários, aeronaves), distribuição de energia (linhas de transmissão, dutos de distribuição de gás natural e petróleo), além dos sistemas de defesa nacional.

Mais informações na página www.inpe.br/climaespacial

Sala de monitoramento do Embrace, no INPE de São José dos Campos.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022