INPE Participa de Estudo Sobre Efeitos da Radiação Ionizante em Sistemas Aeronáuticos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota da postada hoje (30/04) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto participa de estudo sobre efeitos da radiação ionizante em sistemas aeronáuticos.

Duda Falcão

INPE Participa de Estudo Sobre Efeitos da
Radiação Ionizante em Sistemas Aeronáuticos

Quarta-feira, 30 de Abril de 2014

Prevenir interferências em equipamentos de aviões é uma das possíveis aplicações do Projeto ERISA - Efeitos das Radiações Ionizantes em Sistemas Aeronáuticos, que conta com a participação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e é coordenado pelo Instituto de Estudos Avançados (IEAv) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

“É um projeto cujo resultado tem potencial de criar novos sistemas de alertas para usuários de clima espacial, em espacial do setor aeronáutico”, comenta Clezio De Nardin, gerente do Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (EMBRACE) do INPE.

O ERISA irá avaliar os efeitos das radiações ionizantes de origem cósmica sobre os sistemas eletrônicos embarcados em aeronaves. O objetivo é ampliar conhecimentos sobre campos de radiação em altitudes típicas de aviação e seus efeitos, para fornecer suporte de dados à implementação de requisitos de segurança e de avaliação da suscetibilidade de sistemas eletrônicos embarcados.

Esta radiação é composta por diversos tipos de partículas e ondas de alta energia oriundas do espaço e que atingem a Terra. Equipamentos eletrônicos a bordo de aviões são suscetíveis a um grupo de fenômenos conhecidos por Single Event Effects (SEE) produzidos principalmente por nêutrons. Estes efeitos acontecem nos computadores de bordo e subsistemas que armazenam dados nas aeronaves, podendo comprometer a segurança de voo.

Durante o projeto, serão adquiridos dados experimentais de fluxo e distribuição de partículas em altitudes de voo. Os pesquisadores pretendem calcular as doses de radiação ionizante em diferentes rotas no espaço aéreo brasileiro e comparar com resultados obtidos por meio de simulações computacionais, entre outras atividades de pesquisa.

Os resultados dos estudos devem auxiliar na criação de sistemas de alertas sobre radiação ionizante e incrementar a segurança aeronáutica.

Pelo INPE, participam do projeto ERISA os pesquisadores Alisson Dal Lago, Clezio Marcos De Nardin e Joaquim Eduardo R. Costa.

Mais informações sobre o projeto ERISA na página http://erisa.ieav.cta.br/

Clima Espacial

Por meio do Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (EMBRACE), o INPE monitora a atividade solar, o meio interplanetário, o campo magnético terrestre e as condições ionosféricas. O EMBRACE/INPE oferece informação em tempo real, na internet, e realiza previsões sobre o sistema Sol-Terra para diagnósticos de seus efeitos sobre diferentes sistemas tecnológicos, em áreas como navegação e posicionamento por satélite (aeronaves, embarcações, plataformas petrolíferas, agricultura de precisão), comunicação (satélites geoestacionários, aeronaves), distribuição de energia (linhas de transmissão, dutos de distribuição de gás natural e petróleo), além dos sistemas de defesa nacional.

Mais informações sobre Clima Espacial na página www.inpe.br/climaespacial


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022