CBERS-3, um Desastre ao Virar da Esquina

Olá leitor!

Segue agora uma nota postada dia 19/03 no site português “Boletim em Órbita” pelo jornalista Rui C. Barbosa, dando destaque à lambança protagonizada pelo INPE e pelo governo Dilma Rousseff junto ao projeto do Satélite CBERS-3.

Duda Falcão

CBERS-3, um Desastre ao Virar da Esquina

Rui  C. Barbosa
19/03/2013


A missão CBERS-3 atinge de novo um drama só imaginável nas melhores telenovelas e o mais incrível é que este drama ocorre mesmo no solo muito antes do seu lançamento.

Já embaraçosamente adiado devido a problemas técnicos registados com os conversores DC/DC de fabrico norte-americano, a missão atinge um novo impasse quando novos testes vêm provar que o problema com os conversores não está perto de ser resolvido, colocando assim em risco toda a missão.

Segundo o blogue Panorama Espacial, de André Mileski, que cita uma nota divulgada recentemente pelo Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia (SindCT) sobre o atraso no lançamento do satélite CBERS 3, "os novos testes de equipamentos e componentes sobressalentes do satélite CBERS-3 realizados até Março de 2013 no INPE, envolvendo os conversores DC/DC fabricados pela empresa americana MDI, trouxeram um resultado péssimo e condenatório. Enquanto as normas técnicas aplicáveis (conforme apontado por um consultor estrangeiro independente contratado pela AEB) exigem que nenhum componente de um determinado lote deixe de funcionar quando submetido a testes ambientais, vários componentes (incluindo um equipamento) não resistiram e pifaram!"

O lançamento do CBERS-3 estava agendado para ter lugar em Novembro ou Dezembro de 2012. Porém, e devido a problemas técnicos, o lançamento seria adiado para princípios de 2013 e actualmente era referido que o lançamento teria lugar em Junho deste ano. Porém, estes novos dados vêm colocar em questão a realização do projecto nos termos actuais e o mais sensato seria o seu adiamento por um ou dois anos. No entanto, parece existir uma forte pressão para se proceder ao lançamento do CBERS-3 em 2013.

Ainda segundo o Panorama Espacial, "tecnicamente falando, a engenharia do INPE já firmou posição de que não pode garantir a confiabilidade adequada para se obter o sucesso da missão, caso o satélite CBERS-3 seja lançado nestas condições. De fato, lançar o satélite sem que todas estas falhas de equipamentos e componentes sejam detalhadamente analisadas e corrigidas, seria bastante temerário. Apesar do corpo técnico firmar este entendimento, sectores do governo (incluindo a AEB e o próprio MCTI) continuam se articulando nos bastidores para que o satélite seja lançado a qualquer custo. Neste sentido, é fundamental que a direcção do INPE venha a público manifestar sua opinião oficial sobre o assunto."


Fonte: Site Boletim em Órbita - http://www.zenite.nu/orbita/

Comentário: Pois é leitor, começa repercutir na imprensa internacional a nota do SindCT sobre os problemas com o satélite CBERS-3. Entretanto, em nosso opinião agora não adiante chorar o leite derramado,  e sim fazer o que é certo para não piorar ainda mais a imagem do INPE e do PEB junto a comunidade internacional e junto a sociedade brasileira.

Comentários

  1. Sei não hein,componentes americanos vendidos para o Brasil e que ainda vão parar lá na China,hum cheirinho de sabotagem hein,se não se fabrica o componente no Brasil ou na China acho melhor procurar outro fornecedor,talvez Japão ou Russia,agora EUA não são confiáveis!.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial