Radar de Pesquisa Mostra Chuvas Sobre a Grande São Paulo

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (20/11) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que Radar de Pesquisa mostra chuvas sobre bairros e ruas da Grande São Paulo.

Duda Falcão

Radar de Pesquisa Mostra Chuvas Sobre
Bairros e Ruas da Grande São Paulo

Quarta-feira, 20 de Março de 2013

Está em operação para a região metropolitana de São Paulo um radar de dupla polarização de alta precisão que mostra uma série de informações sobre chuvas em tempo quase real. O equipamento faz parte do Projeto Chuva, financiado pela FAPESP, reunindo diversas instituições de pesquisa sob a coordenação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Um dos principais objetivos do Chuva é prever tempestades e mapear as chuvas por bairros de acordo os diferentes tipos de sistemas que atuam na região.

Além de obter dados para pesquisa, o radar integra um sistema de previsão e monitoramento de chuvas – o SOS Chuva São Paulo, que pode ser acompanhado pela homepage: http://sigma.cptec.inpe.br/chuvasp/. Associado ao Google Earth, o sistema é capaz de trazer detalhes sobre as chuvas ao nível de ruas.

O pesquisador do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do INPE, Luiz Augusto Machado, coordenador do projeto, destaca que o SOS Chuva São Paulo poderá ser uma ferramenta bastante útil a tomadores de decisão, como a Defesa Civil, que atuam junto à população com o objetivo de minimizar os impactos das chuvas nesta época do ano. Também poderá servir como modelo a um sistema de prevenção a eventos severos. Como o sistema é aberto, qualquer usuário da internet pode acessar a página e verificar, por exemplo, se há tempestades nas proximidades ou verificar o deslocamento das chuvas na próxima meia hora.

O radar foi instalado próximo à represa Billings, na Empresa Metropolitana de Águas e Energia Billings, e irá complementar as medidas de outros equipamentos para ajudar a compreender com maior precisão e profundidade os mecanismos dos diferentes regimes de chuva que atuam na região. Campanhas similares já foram realizadas em Alcântara (MA), Fortaleza (CE), Belém (PA), Vale do Paraíba (SP) e Santa Maria (RS).

O uso do radar para a região metropolitana de São Paulo não estava previsto inicialmente pelo projeto. Segundo Machado, o equipamento foi colocado em operação pelo interesse na previsão imediata e nos eventos extremos sobre um grande centro urbano, como São Paulo. A decisão também levou em conta o fato de que o próximo experimento será realizado somente em 2014 em Manaus.

Durante este período em São Paulo, Machado afirma que as medidas serão feitas com menor número de instrumentos, mas por um período mais longo que nas últimas campanhas, devendo se estender no mínimo até setembro deste ano. Além do radar, o experimento conta com instrumentos instalados no prédio do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). A base de operações da campanha está localizada no CPTEC/INPE, em Cachoeira Paulista, sob a coordenação da pesquisadora Rachel Albrecht. Participam como coordenadores de áreas do Projeto Chuva pesquisadores do CPTEC/INPE, da USP e do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

O SOS Chuva São Paulo acompanha em tempo quase real os sistemas atuantes na Grande São Paulo. O projeto conta ainda, de forma suplementar, com dados do radar de São Roque, da Força Aérea, que cobre um raio de 250quilômetros, abrangendo boa parte do estado, com resolução de 1 quilômetro, e atualização a cada 15 minutos. O radar polarimétrico, por sua vez, atualiza os dados de chuva a cada 5 minutos, com resolução de 200 metros, cobrindo uma região menor, com raio de 100 quilômetros.

Pelo site do SOS Chuva São Paulo é possível visualizar a localização das chuvas, acumulados instantâneos e de até 24 horas. Também é possível visualizar a ocorrência de relâmpagos, previsão de chuva para a próxima meia hora, combinar dados de chuva com imagens de satélites meteorológicos e observar a trajetória das nuvens de chuva para os próximos 20 e 40 minutos através do Fortracc,produto desenvolvido pela DSA, divisão de pesquisa do CPTEC/INPE. Uma tabela mostra os acumulados das últimas horas (6, 12 e 24 horas) por bairros (subprefeituras) e municípios da região metropolitana e adjacências, dado fundamental ao monitoramento de áreas de risco. Segundo Machado, outras informações e serviços serão implementados e aperfeiçoados ao longo do tempo.

Instalação do radar às margens da represa Billings

Tela do sistema SOS Chuva São Paulo:
http://sigma.cptec.inpe.br/chuvasp/


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022