Equipment of the Cyclone-4 Rocket are Sent to Alcântara

Hello reader!

It follows one communicates published on the day (06/18), in the ukrainian website "www.ukrinform.ua", announcing that ACS equipment manufactured in the ukrainian city of Mariupol were sent to the Alcântara Launch Base in Brazil.

Duda Falcão

Outer Space Equipment
Manufactured in Mariupol

18/06/2012 - 15:02

KYIV, June 18 /UKRINFORM/ - The first batch of PJSC Azovmash-branded equipment has been made in Mariupol and sent for the launch site Alcantara under construction in Brazil.

According to the press service of OJSC Azovmash, the equipment will be used for its space-rocket complex Cyclone-4.

"Booster service systems for filling it with fuel and oxidizer, collection and neutralization of technology waste water developed by designers in Mariupol have been shipped overseas. Those are different capacities from 1 to 120 cubic meters, tank retention elements and special sites for their servicing. All the equipment was taken by the bilateral-national company Alcantara Cyclone Space," the press service reported.

PJSC Azovmash is known as Ukraine's largest supplier of railway freight cars and platforms, bowsers, trucks, as well as steel, mining, crane and other equipment for heavy industries. The company exports its products to more than 20 countries. According to the president of PJSC Azovmash, Oleksandr Savchuk, the company's participation in the Ukrainian-Brazilian program Cyclone-4 is a new stage in the space odyssey of Azovmash, which has been working for outer space needs for many years.

Ukraine and Brazil signed in 2003 an agreement on long-term cooperation to create a space rocket complex. In 2006, the Ukrainian-Brazilian joint venture Alcantara Cyclone Space was set up for the implementation of this ambitious project.

Actual construction of the ground-based space-rocket complex Cyclone-4 in Brazil began in 2010. Its area is about 50 hectares. According to preliminary plans, the first launch under the program will be held in 2013.

Today, Mariupol began the second phase of creating equipment for servicing the assembly and test facility at Alcantara. The construction of ground transport units is being completed. Systems for the storage of fuel, washing and neutralization of auxiliary equipment, cleaning of industrial waste and vapors during refueling spacecraft are being prepared, and four experimental tank containers for fuel and an oxidizer are being made.

A system equipment to launch the Cyclone-4 being tested


Source: Website UKRinform.ua - http://www.ukrinform.ua/

Comentário: Pois é leitor, por essa matéria fica claro que a denuncia feita dias atrás pelo jornal Folha de São Paulo (veja a nota: “Projeto para Lançar Satélite da ACS Está Travado”) infelizmente tem pouco fundamento, pelo menos do lado ucraniano. Pelo visto infelizmente as atividades ucranianas relacionadas com a parte que cabe a esse país no acordo seguem firme, inclusive já com entrega de equipamentos em Alcântara. Lamentável! Aproveitamos para agradecer ao leitor Heverton Coneglian pelo envio do vídeo e dessa matéria do site ucraniano.

Comentários

  1. E daí ?

    Para mim, pelo menos, não mudou nada o que penso dessa empresa.

    PS : Gostaria de te esclarecer uma coisa sobre o Cyclone 4. Ele não usa hydrazina. Usa UDMH (também toxico) e N2O4 como oxidante.
    Pelo que sei, a simples queima do combustivel não produz compostos toxicos.
    O maior risco seria em uma explosão logo após do lançamento.

    Abrs

    ResponderExcluir
  2. Olá Iurikorolev!

    O UDMH significa "Unsymmetrical Dimethylhydrazine", ou seja, é uma especie de substancia derivada da Hidrazina e altamente tóxica. Como consequência inicial de sua queima, gerará chuva ácida na região entre uma hora a duas horas após cada lançamento, como já reconhecido oficialmente pela própria empresa. Fora o problema que poderá causar num eventual explosão do foguete, esse catastrófico e de difícil pré-avaliação. Lembrando que a São Luís (capital do estado) encontra-se a 50 km de distância de Alcântara em linha reta.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. A chuva realmente é ácida, pois da oxidação do UDMH resulta um ácido o que é lançado após a queima.
    Toda cidade que tem uma siderurgica ou muita poluição de veiculos tem chuva ácida.
    É bom ? Não, mas não é catastrófico
    Mas é muito melhor lançar um ácido do que a propria UDMH, esta sim muito tóxica.

    Vamos torcer para não explodir NEM UM Cyclone.
    Dizem que sua confiabilidade é enorme.
    Se for assim pode ser que a empresa funcione.

    Abrs

    ResponderExcluir
  4. Caro Iurikorolev!

    A chuva ácida proveniente da poluição siderúrgica é completamente diferente da chuva ácida e tóxica que será gerada com o lançamento do Cyclone-4. A chuva ácida que cairá em Alcântara a longo prazo afetará drasticamente grande parte da vida animal da região e muito provavelmente vegetal. Justamente como aconteceu na base do Cazaquistão, que mesmo localizada em uma região árida e desértica era cheia de vida nos primórdios do Programa Espacial Soviético, coisa que hoje não é mais devido a esse lixo tóxico liberado por anos sob a atmosfera da região. Atualmente muitos dos servidores que trabalharam nessa base durante esse período sofrem de graves problemas de saúde e por conta disso hoje em dia existe uma política de permanência controlada de servidores na Base, mesmo tendo diminuído bastante o uso dessa substância com outras misturas menos tóxicas.

    Quanto a possibilidade de explosão, realmente ela é pequena. Entretanto, essa analise é feita em cima do resultado exitoso alcançado pela família de foguete Cyclone (Cyclone 1, 2 e 3), mas devemos lembrar que o Cyclone-4 é um novo veículo, bem maior e que ainda não foi testado.

    Já quanto a possibilidade de exito dessa empresa (mesmo que o foguete venha está disponível para utilização) é insignificante e bastante improvável, devido ao que já lhe disse, ainda mais agora com essa onda ecológica reinante em grande parte do mundo. Torcer para que não haja nenhum acidente, certamente estaremos torcendo, pois acreditamos que a presidente DILMA levará esse desastre até o fim, mas torcer para que essa empresa funcione, não, eu quero mais é que ela imploda o mais breve possível, pois assim o prejuízo será menor.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. O problema do UDMH não é ácido... Os componentes resultantes de sua oxidação são nitrogênio, gás carbônico e água, nada demais para uma reação de combustão. O único ácido que pode ser formado é o nítrico, que também é formado em motores de combustão interna, muito mais por conta das condições de pressão e temperatura, não dos compostos envolvidos na reação (afinal, todos os componentes necessários estão presentes na atmosfera.), o que realmente torna diferente do ácido sulfúrico, resultado da liberação de óxido de enxofre pelas siderúrgicas.


    Entretanto, o UDMH é tóxico, e cancerígeno... No caso de Baikonur, o problema é que não só o estágio de boost dos foguetes russos usa o combustível, como eles passavam por cima de comunidades e zonas habitadas e não havia qualquer preocupação das autoridades em remover os estágios que caídos na região. Mas o UDMH é um combustível muito usado, além de seus derivados. Os Ariane 1 a 4 usavam o UDMH, o Aerozine (mistura com 50% de UDMH) era utilizado no Titan II, o MMH, ainda mais tóxico que o UDMH, é utilizado no segundo estágio do Ariane 5 e no OMS e RCS do Ônibus Espacial.
    Nunca houveram relatos de grandes problemas em relação aos efeitos nocivos deste combustível, com exceção do acidente com o Ariane 1, que fez os franceses substituírem o UDMH puro por UH-25, uma mistura de 25% de hidrazina e 75% UDMH.

    Enfim, se forem tomadas as devidas precauções, os problemas relacionados à toxicidade do combustível podem ser minimizados, como vem sendo feito no bem sucedido programa espacial europeu.

    Quando ao programa, não sei dizer se vai ser bem sucedido ou não, mas uma coisa é certa, já está sendo posto em prática:
    http://www.ukrinform.ua/eng/news/azovmash_ships_transport_systems_for_space_complex_tsyklon_4_in_brazil_303369


    PS:.
    Este vídeo fala um pouco das reações hipergólicas, e eles chegam a fazer a reação UDMH e N2O4.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial