INPE Acompanha Missão Tripulada Chinesa

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (15/06) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informando que o instituto irá acompanhar a Missão Tripulada Chinesa.

Duda Falcão

INPE Acompanha Missão Tripulada Chinesa

Sexta-feira, 15 de Junho de 2012

A Shenzhou-9, nave espacial tripulada da China que será lançada às 07h37 deste sábado (16), terá o apoio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) nas suas primeiras operações em órbita. A missão leva três astronautas, incluindo a primeira mulher chinesa a ir ao espaço, para realizar a acoplagem com o módulo Tiangong-1, lançado em setembro do ano passado.

O apoio será dado pela estação de rastreio de Alcântara, no Maranhão, do Centro de Rastreio e Controle de Satélites (CRC) do INPE, que transmitirá à espaçonave telecomandos recebidos em tempo real do Centro de Controle Chinês, efetuará medidas distância e Doppler para determinação de órbita e receberá dados de telemetria para monitorar o estado de funcionamento da Shenzhou-9.

O CRC/INPE rastreará a Shenzhou-9 durante as suas oito primeiras passagens pela estação terrena de Alcântara. Todos os dados gerados serão transmitidos em tempo real ao Centro de Controle Chinês, em Xi'an.

As atividades devem iniciar às 10h13deste sábado, horário do início da primeira passagem da espaçonave pela estação de Alcântara, e continuar até as 22h00 de segunda-feira (18/6), quando se encerra a participação do INPE.

Em São José dos Campos, o centro de controle do CRC/INPE receberá da China informações atualizadas sobre a órbita da espaçonave e gerará dados de cada futura passagem sobre Alcântara como, por exemplo, os instantes de entrada e saída de visibilidade e os ângulos de apontamento da antena da estação de rastreio.

Em 2011, o CRC/INPE também acompanhou os primeiros dias de operações da Shenzhou-8, lançada em 31 de outubro. O apoio às missões chinesas foi solicitado pelo CLTC (China Satellite Launch and Tracking Control), que mantém longa parceria com o INPE no âmbito do Programa CBERS (China-Brazil Earth Resources Satellite).

Estrutura

O Centro de Rastreio e Controle de Satélites (CRC) realiza a operação em órbita dos satélites desenvolvidos pelo INPE ou em cooperação com instituições estrangeiras. O Centro está capacitado, ainda, a dar suporte às missões espaciais de terceiros. É composto pelo Centro de Controle de Satélites (CCS) em São José dos Campos (SP), pela Estação Terrena de Cuiabá (MT), pela Estação Terrena de Alcântara (MA), bem como pela rede de comunicação de dados e voz que conecta os três locais.

Atualmente, ao mesmo tempo em que dá suporte aos parceiros internacionais, o CRC/INPE realiza o controle e a recepção de dados dos satélites brasileiros SCD-1 e 2 e se prepara para a operação do sino-brasileiro CBERS-3 e do brasileiro Amazônia-1.

Centro de Controle do CRC/INPE, em São José dos Campos


Reportagem exibida no jornal da Vanguarda 2ª Edição
TV Vanguarda - 16/06/2012


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentários

  1. Uma dúvida...estes rastreios internacionais são pagos ??? Ou saem tudo de graça via acordos internacionais ?

    ResponderExcluir
  2. Olá Ricardo!

    Não tenho informações seguras sobre isso, mas acredito que devam ser pagos sim, financeiramente ou através de trocas de dados ou tecnologias interessantes a ambos países.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022