Grupo Se Reúne em Alcântara Para Discutir Atividade Espacial no Brasil

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (19/05) no site do “Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)” destacando que o CLA está realizando desde segunda-feira (19/05) a primeira edição do ano da Reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL1/ 2014).

Duda Falcão

Grupo Se Reúne em Alcântara Para
Discutir Atividade Espacial no Brasil

O CLA realiza a partir desta segunda, 19/05/2014, a primeira edição do
ano da Reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL1/ 2014).

Publicado: Segunda, 19 de Maio de 2014, 15h37
Atualizado: Terça, 20 de Maio de 2014 - 19h07


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) recebe a partir de hoje (19/05) a primeira edição do ano da Reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL1/ 2014). Até a próxima sexta-feira, integrantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Agência Espacial Brasileira (AEB), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e dos Centros de Lançamento de Alcântara (CLA) e da Barreira do Inferno (CLBI) devem discutir os próximos passos da atividade espacial no Brasil.

Durante o encontro, os integrantes do setor espacial devem analisar o cronograma de lançamentos no Brasil e no exterior de engenhos aeroespaciais previstos para este ano, além de 2015 e 2016. O projeto Foguete de Treinamento (FOGTREIN), com os lançamentos dos Foguetes de Treinamento Básico (FTB) e Intermediário (FTI), bem como o Programa Microgravidade com lançamentos do foguete de sondagem com experimentos embarcados VSB-30 no Brasil e na Europa também fazem parte da pauta de reunião. Dois lançamentos importantes para o ano dentro do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) devem ganhar destaque: o lançamento do foguete de sondagem VS-40 para testes de sistemas do Satélite de Reentrada Atmosférica (SARA) no CLBI e do foguete VS-30 durante a Operação Raposa em Alcântara que pela primeira vez no Brasil, embarcado no veículo, deve levar ao espaço combustível líquido para verificações. Serão tratados durante a GIL1/2014, os lançamentos futuros e estágio atual de desenvolvimento dos foguetes de satelitização VLS-1 e Cyclone 4, capazes de enviar satélites ao espaço a partir de Alcântara. A atual situação das obras de apoio ao lançamento do VLS-1 no CLA é outro ponto que os participantes deverão tomar conhecimento. Ao término da reunião nesta sexta, um relatório final com conclusões e recomendações deverá ser produzido visando orientar as ações do país na área espacial em médio prazo.

O Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL) é regulado pela ICA- 60-1 e se reúne XX vezes ao ano para discutir, dar encaminhamentos e propor soluções para o andamento da atividade espacial no Brasil. Além do presidente, fazem parte do grupo integrantes do DCTA, AEB, IAE, IFI e dos Centros de Lançamentos em território nacional.


Fonte: Site do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)

Comentário: Veja bem leitor, desde que se criou o GIL somente em alguns casos específicos foi possível cumprir o cronograma de lançamento estabelecido, isto é, pelo menos no que se refere aos lançamentos do território brasileiro. É claro que isso acontece não por culpa dos militares, organização seria e organizada, mas sim pela falta de compromisso de governos desastrosos que obriga aos militares a estarem sempre se reunindo para modificar seu cronograma de lançamento e suas atividades espaciais previstas em reuniões anteriores, e com isso aumentar sem necessidade não só os custos operacionais (Quanto custa ao país cada deslocamento desses profissionais até Alcântara?), como também a frustração de todos, contribuindo assim para denegrir ainda mais (junto à opinião pública interessada) a imagem de um Programa Espacial que já virou chacota na boca do povo. Note leitor que na nota acima, apesar do VLS-1 ter sido citado, a nota o trata como uma ação futura, não colocando entre os lançamentos importantes do ano (Operação Raposa e Operação São Lourenço/SARA Suborbital), justamente como o blog já havia previsto que não aconteceria. Resumindo para um melhor esclarecimento do leitor, as Operações Santa Bárbara I (simulada) e II do VLS-1 pelo que parece não se realizarão mais no ano de 2014 como foi amplamente divulgado na mídia anteriormente. Vale dizer também que apesar do lançamento do SARA Suborbital ter sido incluído pela nota acima como uma das operações a serem realizadas em 2014, eu ainda tenho sérias dúvidas quanto a isso, mas sinceramente para o bem do PEB espero estar enganado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes