Com o Apoio da FIESP, Alunos do ITA Criam Foguete Para Participar de Torneio nos Estados Unidos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (19/05) no portal da “Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP)” destacando que esta instituição (como o blog já havia anunciado) apoiará alunos do ITA na criarão de um foguete para participar de uma competição nos Estados Unidos.

Duda Falcão

Notícias

Com o Apoio da FIESP, Alunos do ITA
Criam Foguete Para Participar
de Torneio nos Estados Unidos

Estudantes vão apresentar o “Ita-Fiesp” na cidade de Green River,
nos Estados Unidos, no final de junho. E foram recebidos nesta
segunda-feira pelo presidente da Federação, Paulo Skaf

Isabela Barros, Agência Indusnet FIESP
19/05/2014 - 18:37
Atualizado em 19/05/2014 - 19:04

No final de junho, um foguete batizado de ITA–FIESP, numa referência ao Instituto Tecnológico da Aeronáutica e à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, vai voar no céu de Green River, cidade do estado de Utah, nos Estados Unidos. Isso graças ao talento dos alunos do instituto que, com o apoio da federação, vão até lá apresentar o seu projeto no Intercollegiate Rocket Engineering Competition (IREC), competição internacional de criação de foguetes. Para marcar a parceria, o presidente da FIESP, Paulo Skaf, recebeu, nesta segunda-feira (19/05), um grupo de estudantes do ITA envolvidos com o projeto.

Participaram do encontro ainda o diretor titular do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da FIESP, Sylvio Gomide, e o assessor estratégico da presidência da FIESP e tenente brigadeiro do ar Aprígio Eduardo de Moura Azevedo.

“Seria muito ruim para o Brasil deixar de apostar numa moçada competente como vocês”, disse Skaf. “Fico feliz que a indústria de São Paulo possa ajudar”.

Foto: Ayrton Vignola/FIESP
Skaf (ao centro), Gomide e Azevedo com os alunos
do ITA: trabalho de respeito.

Segundo o presidente da FIESP, “nada é mais importante do que ajudar as pessoas”. “Vocês estão fazendo um trabalho que merece todo o respeito”.

O Foguete e a Competição

O IREC, a ser realizado entre os dias 25 e 29 de junho, em Green River, está em sua nona edição. A disputa reúne estudantes da área de engenharia aeroespacial de diferentes países. Essa será a quarta vez que os alunos do ITA participam da iniciativa.

E isso com ótimas expectativas, afinal, o ITA-FIESP tem dois metros de altura e capacidade de atingir altitude de 10 mil pés (3,048 km). O foguete foi totalmente construído e idealizado pelos estudantes, que, juntos, formam um grupo de 20 participantes. Desses, 12 viajarão para os Estados Unidos. São alunos dos cursos de engenharia aeronáutica, eletrônica e aeroespacial da instituição, de anos variados e idades entre 19 e 27 anos.

“Sem o apoio da FIESP, não conseguiríamos viajar para participar da competição”, afirmou Eduardo Jourdan, de 22 anos, matriculado no quinto ano de Engenharia Aeroespacial do Ita. “Temos chances muito boas de ganhar”, afirmou Dalton de Menezes, de 21 anos, cursando o quarto ano de Engenharia Aeroespacial.

No Acelera

Os estudantes do ITA foram convidados pelo CJE para apresentar o projeto do foguete na última edição do Acelera Startup, maior evento de empreendedorismo e atração de investimento-anjo do Brasil, realizado nos últimos dias 07 e 08 de maio, na FIESP. “É um orgulho para nós apoiar a iniciativa desses alunos”, afirmou Gomide. “A nossa ajuda será 100% voltada para a infraestrutura de construção do foguete e para a logística da viagem,  como passagens aéreas e alimentação, por exemplo”.


Fonte: Portal da FIESP - http://www.fiesp.com.br

Comentário: Pois é leitor, desses alunos eu só conheço mesmo o Eduardo Jourdan citado na nota, pois todos que eu conhecia ou tinha contato via e-mail e que haviam participado das edições anteriores do IREC, já se formaram e já trabalham no setor espacial. Eduardo, sucesso para você e para todos da equipe nessa nova competição. Tragam esse caneco para nós. Quanto a FIESP, só nos resta parabenizar e agradecer o apoio dessa instituição esperando que o mesmo não fique restrito unicamente a edição desse ano do IREC, para que assim o ITA possa dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado na formação desses jovens, futuros profissionais do nosso ainda pífio programa espacial, pelo menos é a esperança que fica. Sugestão a FIESP, apoiem também a equipe "UFABC Rocket Design" do  Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento Aeroespacial (GPDA) da Universidade Federal do ABC (UFABC), para que assim possamos se não este ano, no ano que vem, ter pelo menos duas equipes representando o Brasil no IREC. Esta sugestão vale também para a FIEMG de Minas Gerais, que também poderia apoiar a equipe da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tendo em vista o mesmo objetivo.

Comentários

  1. Grande iniciativa.
    Mas é necessária uma regulamentação urgente na fabricação de foguetes experimentais por universidades e mesmo por grupos amadores.
    Todas estão ilegais pois os foguetes são produtos controlados estão no R-105, é necessário autorização do exército para sua fabricação mesmo que experimentais. Inclusive do propelente, o nitrato de potássio utilizado é produto controlado pelo exército....cuidado pessoal !!!
    Assim infelizmente todas estas atividades estão ilegais e podem a qualquer momento, o que será triste, proibidas, é necessário então uma legislação no Brasil sobre isto.
    É necessário tomarmos uma posição séria e legalização antes da proibição destas atividades.
    Não é porque o aluno faz um curso de engenharia aeroespacial que dá o direito dele fabricar um foguete, no Brasil isto tudo é complicado, e quando o primeiro acidente grave ocorrer..........tudo estará perdido.
    Existem grupos em universidades federais que agem por conta própria sem autorização da universidade e pior sem orientação de professores.
    Pessoal tomem cuidado.

    Boa sorte e sucesso
    Eng. Miraglia
    www.edgeofspace.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Eng. Miraglia!

      Olha aí galerinha o alerta do Eng. José Miraglia da empresa Edge of Space. É extremamente frustrante e inadmissível que as atividades espacias brasileiras, após mais de 50 anos de atividades, ainda não tenham uma legislação especifica que oriente e que controle adequadamente todas essas atividades, sejam elas oficiais, amadores e universitárias. Isto é uma atribuição que deveria caber a Argência Espacial Brasileira (AEB) em conjunto com as Forças Armadas, mas infelizmente a AEB só tem interesse em vender fantasias compartilhando dessa farsa protagonizada pelo grupo de energúmenos dessa presidentA Petralha. Lamentável!

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
    2. " CEFAB CONCORDA COM GÊNERO NÚMERO E GRAU"

      Valeu mesmo Eng. Miragila, está é a grande luta do Prof. Felix, eu, Paulo Gontran e Luiz do grupo de Goiânia. LEGALIZAÇÃO de nossas atividades. Atualmente somos CLANDESTINOS e SEM NOME, SEM IDENTIDADE. Creio que a AEB cancelou os programas referentes aos concursos CANSATs e FOGUETES, devidos aos avisos constantes do Prof. Felix, sobre esse obstáculos funcional (R-105). A questão foi levantada: Em caso de acidente a AEB, assumiria os riscos eminentes? Estamos aguardando uma reunião urgente com o setor estratégico da AEB, para junto com o EXERCITO, redigir um PARÁGRAFO de potencial e extrema importância, que favoreça os grupos amadores, universitários, a compra, transporte, manipulação , teste e PRINCIPALMENTE uma ÁREA ESPECIFICA em cada estado, para a execução de LANÇAMENTOS dos nossos foguetes ( Educativos, Experimentais e Espaciais). Tudo isso dentro das normas e vigilância e Controle do Exercito e expedições de NOTANS para a FAB .
      Até agora Deus está protegendo alguns CONCURSOS e Lançamentos de Foguetes CLANDESTINOS. ANTES QUE O MAL ACONTEÇA, vamos unir nossas forças para a legalização de nossas atividades!
      Como dizia o Engº Werner Von Barun : - " Quando algo sai errado. eu fico mais satisfeito do que quando tudo funciona bem. Um fracasso indica exatamente onde errei, mas exito de hoje, pode esconder deficiências que comprometeriam outros exitos mais importantes amanhã".

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial