Política de C&T do Governo Federal Vive Eclipse

Olá leitor!

Segue abaixo uma pequeno artigo opinião postado hoje (12/04) no site do jornal “O VALE” destacando que a Política de Ciência e Tecnologia do governo vive Eclipse.

Duda Falcão

IDEIAS

Curto-Cicuito

Política de Ciência e Tecnologia
do Governo Federal Vive Eclipse

12 de April de 2012 - 04:07

O acordo firmado esta semana entre o ITA e o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussetts), nos Estados Unidos, valoriza a pesquisa científica e a inovação do ensino superior brasileiro, mas não esconde as dificuldades enfrentadas pelo governo Dilma Rousseff (PT) no setor de ciência e tecnologia. O pior de tudo é que estas dificuldades que não se limitam mais a questões orçamentárias, pois envolvem agora uma feroz disputa política em torno dos cargos estratégicos dentro do Ministério da Ciência e Tecnologia.

São José dos Campos está no epicentro desta crise. A presidente não definiu, até hoje, o nome do novo diretor da Agência Espacial Brasileira, embora o ministro Marco Antonio Raupp tenha indicado José Raimundo Coelho para o cargo. Raupp, por sua vez, protela a escolha do novo diretor do INPE, embora a lista tríplice elaborada pelo comitê de busca esteja pronta há mais de dois meses. Quem responde pela agência, atualmente, é um interino. E quem responde pelo INPE? Para efeito de protocolo, como indica sua participação na comitiva de Dilma nos Estados Unidos, segue no cargo o diretor demissionário, Gilberto Câmara. No dia a dia do INPE, no entanto, o quadro é de incerteza e falta de comando.

Tudo isso leva a crer que o governo Dilma aprofundou as contradições entre o discurso oficial que prega prioridade para a ciência e tecnologia e a realidade dos institutos de pesquisa e da agência espacial brasileira, premidos pela falta de verbas, planejamento e recursos humanos.

No início do ano, a nomeação de um ministro vinculado ao setor de ciência e tecnologia foi recebida com esperança pela comunidade acadêmica e pela indústria aeroespacial. Todo esse otimismo foi eclipsado pelo corte significativo no orçamento do governo para a Ciência e Tecnologia e pela prevalência da burocracia e da inércia, como se o programa espacial brasileiro estivesse entregue a um quadro irreversível de marasmo.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 12/04/2012

Comentário: Pois é leitor, esse pequeno artigo opinião do jornal “O VALE” descreve com propriedade em poucos parágrafos a atual situação vivida pela área de ciência e tecnologia, e em especial o setor espacial brasileiro. O desempenho, os cortes orçamentários e falta de atitude do governo DILMA em dois anos de gestão fazem com que a área de ciência e tecnologia brasileira esteja passando por um momento desastroso, e o PEB o seu pior momento em toda sua história. Como vivo dizendo, não adianta somente utilizar-se da mídia para fazer essas denúncias, pois para mudar essa situação a comunidade científica terá de trazer o povo para o seu lado, realizando eventos pacíficos nas universidades e praças públicas das cidades brasileiras. É preciso trazer a participação popular para que esses energúmenos sintam-se pressionados a fazerem alguma coisa, e quem sabe com a mobilização popular atrair também o apoio das Forças Armadas, instituições estas também altamente prejudicadas por essa política desastrosa do atual governo. Chega, é preciso fazer alguma coisa, pois aqui o que está em jogo é o futuro de nosso país, de uma nação livre e soberana, respeitada pela sua cultura e pelas suas contribuições a sociedade humana. CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, E EDUCAÇÃO DE QUALIDADE JÁ. Gostaríamos publicamente de agradecer uma vez mais ao leitor José Ildefonso pelo envio desse artigo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial