Defesa Discute Cooperação Espacial com a Argentina

Olá leitor!

Foi realizado ontem (17/04) em Brasília um encontro entre os Ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Argentina, Arturo Puricelli.

Encontro em Brasília entre os Ministros
da Defesa do Brasil e da Argentina

Durante o encontro foram discutidos diversos assuntos da área de defesa e ao final do mesmo foi divulgado um comunicado conjunto onde à cooperação espacial e tecnologias de interesse desse setor passaram a ser objeto de diálogo entre os dois ministérios.

Abaixo segue os trechos do documento que abordam assuntos de interesse do Programa Espacial Brasileiro.

“Por outra parte, os dois países acordaram aprofundar o diálogo com vistas ao
incremento da cooperação na área espacial – tanto em termos de veículos lançadores, quanto em desenvolvimento de satélites.

Comprometeram-se a aprofundar o diálogo em nível técnico com o objetivo de
concretizar ações conjuntas em diversos domínios científico-tecnológicos relacionados à defesa. Tais como:

* Desenvolvimento conjunto e repotencialização de mísseis;
* Plataformas inerciais;
* Combustíveis sólido e líquido;
* Alvos guiados;
* Veículos Aéreos Não-Tripulados;”

Vale dizer leitor que em nossa opinião à Cooperação Espacial Brasil-Argentina, como também com outros países da América Latina, não é só desejável, como necessária, pois poderia estimular num futuro próximo a criação da Agência Espacial Latino-Americana (AELA), que em nossa visão é um passo fundamental para que finalmente possamos alcançar a sonhada autossuficiência no setor espacial.

Entretanto é preciso dizer que para que a Cooperação Espacial Brasil-Argentina ocorra com a eficiência que se espera, será necessário seriedade e comprometimento dos dois países. Acontece que em nossa opinião, enquanto no Brasil o PEB não passar a ser tratado como 'programa de estado', e não mais como 'programa de governo', isso jamais será possível.

Caso o leitor queira ter acesso ao comunicado conjunto na integra clique aqui

Duda Falcão


Fonte: Site do Ministério da Defesa

Comentários

  1. Duda Falcão
    Não gosto de acordo com essa gente. É melhor comprar o que eles têm ou trazer para cá os cientistas.
    Meu avô dizia : "quem se mete com m.... sai cagado"...

    ResponderExcluir
  2. Olá Iurikorolev!

    Não sei porque, acordos de cooperação espacial entre países é uma tendência mundial, pois diminui custos e prazos, e com a Argentina seria muito bem vinda, desde que fosse estabelecido um bom acordo e não como o que gerou a ACS. Entretanto, com a atual gestão do PEB, não acredito que o mesmo seja estabelecido com seriedade.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Não sabe por que ?__
    Não conhece a fama dos argentinos de não cumprir contratos ?__
    Vc conhece a necessidade que eles têm de ficar por cima do Brasil ?__
    Vc já trabalhou com argentinos ? Eu já __
    Cara, eu jamais gostaria de participar de um acordo deste como engenheiro.

    ResponderExcluir
  4. Olá Iurikorolev!

    Realmente desconheço essa fama citada por você, até porque segundo informações fidedignas colhidas pelo blog, o acordo do ACDH está sendo cumprido integralmente sem qualquer problema e todos os acordos assinados na área espacial (com exceção do Satélite Sabia-Mar em grande parte por culpa da falta de interesse do governo brasileiro) com a Argentina foram avantes sem qualquer problema, e mesmo o projeto do Sabia-Mar parece agora está avançado. Se houve entre você e algum pesquisador Argentino qualquer desentendimento, isso foi um fato isolado motivado por algo que não tenho como avaliar, mas acontece que estamos falando aqui de acordos entre países, que são feitos mediante a assinatura de acordos e contratos que são normalmente respeitados, e quando isso não acontece são denunciados cobrando-se multas altíssimas. Vale dizer que o grande segredo nesses acordos está na sua confecção, assim sendo, é como lhe disse, se for bem formulado, não tem qualquer problema.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Com relação aos "hermanos" gostaria de discutir apenas com quem tem experiencia de fato.
    Conheço profundamente os argentinos.
    Trabalhei 5 anos com um. Putz.... . São desagregadores, egoistas, e o pior que todo mundo gostava do cara. Não estava nem aí para o resultado do trabalho e para a empresa, só pensava onde ele ia se dar bem...Eles são incríveis.
    Leio sempre os jornais argentinos. Quando comecei a conhecê-los entendi logo por que a Argentina não vai para frente, apesar de ter um dos povos mais letrados do mundo.
    Deixa pra lá...
    Quanto aos contratos vc não está sabendo da expropriação da YPF, de propriedade dos espanhóis nesta semana ? Cara, a Cristina Kirchner meteu a mão grande e estatizou por decreto maior petrolifera argentina. Seria como se o Obama baixasse um decreto : "olha, a partir de hoje a Shell é uma estatal norte-americana. Quanto ao pagamento, pagaremos o que achamos que ela vale."
    Argentino honrar contrato kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Olá Iurikorolev!

    Agora ficou mais claro o porque de suas restrições aos Argentinos. Em relação da expropriação da YPF por parte do governo Argentino, não gostaria de emitir qualquer opinião, pois não sou Argentino, não acompanho os problemas Argentinos e de sua presidente, e assim prefiro não emitir qualquer opinião, tá ok?

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Caro Duda
    Não quero que pense que eu seja radical e preconceituoso e não saiba que em todos os povos há pessoas boas e pessoas más.
    Mas penso que todo povo tem sua marca : ex um alemão , um nigeriano, um japonês, um mexicano, cada um tem seus valores. Um gaúcho , um amazonense, mesma coisa.
    Mas torço para que dê certo este acordo com eles.
    Só gostaria que o Brasil fizesse acordos com paises mais desenvolvidos no espaço, como India , França etc.
    E com metas bem fixadas em cronogramas e se possivel com dinheiro financiado por bancos (não com $ de orçamento).
    Parecido com o contrato Brasil-França para fazer submarinos (nuclear). Um puta contrato ! Vale à pena dar uma olhada nos sites defesanet , blog naval, etc. Em 10 anos teremos pronto um submarino nuclear completo feito no Brasil !

    ResponderExcluir
  8. Esse acordo com os argentinos felizmente ficará apenas na retórica. Concordo com o Iuri que fazer acordo com eles no setor espacial e de defesa é perda de tempo total e também em relação ás observações da "personalidade" deles. No que precisamos, eles não têm muito a colaborar; o ACDH do Amazônia-1 foi um caso isolado, já que até então, não tínhamos uma plataforma inercial confiável e o projeto não poderia parar, felizmente um problema hoje equacionado por nós mesmos!

    Se é para fazer parceria, que seja com quem agregue algo ao programa. O mesmo vale para a tal "Agência Espacial Sul Americana", onde quem tem mais a perder somos nós, os mais avançados no setor, em todos os sentidos.

    Saudações a todos.

    ResponderExcluir
  9. Olá Iurikorolev!

    A questão aqui não é de índole, mas tudo bem, assunto encerrado. Agora, concordo que acordo com países mais avançados na área espacial seria também uma solução muito boa, desde que feitos com seriedade e responsabilidade. Devo dizer que nesse sentido temos alguns já assinados com a França, como também com a Índia, mas que ainda não foram conduzidos com a seriedade necessária e consequentemente ainda não deram resultados. O contrato do Submarino Nuclear esta andando porque em minha opinião na época do governo LULA, o Comandante da Marinha teve a iniciativa de pegar o LULA pelo braço e mostrar a ele a importância do projeto, e o que a Marinha já havia feito e precisava fazer para concluir o mesmo, coisa que infelizmente o Comandante da Aeronáutica (passivo como ele, só sabe dizer amém - veja como exemplo o Projeto FX-2) não fez até hoje com relação ao PEB.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  10. Olá Observador!

    Não é de se estranhar que você pense dessa forma, mas felizmente não são vocês que decidem. Apesar de concordar contigo que o acordo muito provavelmente ficará na retórica devido ao desempenho e atitude do governo brasileiro.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial