Brasil Quer EUA Como Principal Destino do Ciência sem Fr...

Olá leitor!

Segue abaixo mais uma notícia postada dia (08/04) no site da “Agência Brasil” destacando segundo o Brasil quer os Estados Unidos como principal destino de bolsistas do programa “Ciência sem Fronteiras”.

Duda Falcão

Educação
               
Brasil Quer Estados Unidos Como
Principal Destino de Bolsistas
do Programa Ciência sem Fronteiras

Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil
Edição: Lílian Beraldo
08/04/2012 - 9h54

Brasília – O governo brasileiro quer aumentar a cooperação científica com os Estados Unidos e fazer com que um quinto dos cientistas inscritos como bolsistas do Programa Ciência sem Fronteiras faça intercâmbio em universidades e empresas norte-americanas.

A intenção do governo é mandar 100 mil profissionais e pesquisadores em quatro anos para diversos países: 20 mil só para os Estados Unidos. O governo promete custear 75 mil bolsas e espera que a iniciativa privada viabilize outras 25 mil. O programa inclui desde bolsas sanduíche de graduação até pós-doutorados em 18 áreas de tecnologia, engenharia, biomedicina e biodiversidade.

“Os Estados Unidos serão o principal destino dos cientistas brasileiros. Até 2014, 20 mil terão feito intercâmbio lá”, disse à Agência Brasil o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp. Ele é um dos ministros que acompanham, a partir de hoje (8), a presidenta Dilma Rousseff em viagem oficial aos Estados Unidos.

Raupp estará com Dilma na visita à Universidade de Harvard e ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). “Queremos estimular um novo acordo entre o MIT e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica [ITA], em São José dos Campos [interior de São Paulo]”, informou o ministro confirmando a intenção do governo em dobrar a capacidade de formação do instituto brasileiro com a presença de mais norte-americanos.

O ITA, juntamente com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), é o principal centro de formação para engenheiros e cientistas que trabalham no programa espacial brasileiro. A cooperação com os Estados Unidos é considerada estratégica pelo governo brasileiro que já assinou convênios de cooperação com a NASA (a agência espacial americana). “Esperamos que esses contatos abram mais espaço”, destacou Raupp.

A ida de Raupp aos Estados Unidos deverá fechar um plano de trabalho tratado no mês passado em Brasília entre a chancelaria brasileira, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o diretor do Escritório da Casa Branca de Políticas para Ciência e Tecnologia, John P. Holdren.

Acompanham Raupp, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, e o presidente da Financiadora de Projetos (FINEP), Glauco Arbix.

Oliva deverá assinar acordos de intercâmbio científico entre o CNPq e dez universidades norte-americanas. Arbix participará do painel Pesquisa, Inovação e Mercado de Trabalho, no seminário Brasil-EUA: Parcerias para o Século 21, na Câmara de Comércio Americana, em Washington.


Fonte: Site da Agência Brasil

Comentário: Chamo a atenção do jovem que aspira participar desse programa e de sua família para terem muito cuidado com o mesmo, já que denuncia feita por matéria publicada no jornal “O Estado de São Paulo” do dia 28/03 (veja a nota “Ciência sem Fronteiras Atrasa Repasse a Pesquisadores” dá conta de que esse programa têm atrasado o repasse da bolsa aos estudantes, causando com isso uma série de constrangimentos. A verdade é que o desempenho do Governo DILMA e de sua maquina administrativa tem sido um desastre desde que a mesma assumiu, principalmente na área de ciência, tecnologia e educação. Nada funciona direito, ou funciona parcialmente, e ainda sofre cortes orçamentários irresponsáveis em áreas estratégicas para o país, enquanto enormes recursos são torrados sem qualquer critério em obras políticas e de apelo popular. Uma vergonha.  

Comentários

  1. Prezado Duda Falcão,
    Pela segunda vez, vejo você criticar no seu blog o programa Ciências sem Fronteiras, com base em uma matéria publicada no jornal “O Estado de São Paulo”. Entretanto, segundo o CNPq, a matéria do jornal “O Estado de São Paulo” não corresponde aos fatos. Em outras palavras, a informação do “estadão” é falsa. A esse respeito, veja os esclarecimentos do CNPq publicado no jornal da ciência nos dias 29 de março e 03 e de Abril de 2012 nos links abaixo:
    http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=81773
    http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=81834
    Atenciosamente,
    Manoel Carvalho

    ResponderExcluir
  2. Prezado Manoel Carvalho!

    O fato do CNPq divulgar que a matéria do Estadão não tem qualquer fundamento, não significa que a mesma não tenha. Além disso, após postar a matéria no blog, recebi diversos e-mails de pesquisadores participantes desse programa e de outros programas do CNPq confirmando os atrasos e os constragimentos, apesar deles acharem que o CNPq resolveria em breve o problema. Acontece que na realidade não era para haver problema algum, já que os estudamtes deveriam estar só preocupados com as suas pesquisas e estudos e não com os recursos financeiros que o governo se comprometeu enviar. Desculpe-me amigo, mas não possos concordar com isso.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Rússia Oferece ao Brasil Assistência no Desenvolvimento de Foguetes