As Atividades Espaciais do IAE nos Últimos Sete Meses

Olá leitor!

Apesar das conhecidas dificuldades financeiras e de recursos humanos que estão vivendo as instituições envolvidas com o Programa Espacial Brasileiro (PEB), em pouco mais de sete meses, em um grande esforço empreendido pelos valorosos servidores civis e militares do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do Comando da Aeronáutica (COMAER), ligado ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), diversas atividades relacionadas com importantes projetos desse instituto foram realizadas com sucesso.

Essas bem sucedidas ações foram iniciadas em 29/09/2011 com o “Ensaio de Separação do 1º Estágio do VLS-1” ocorrido no “Laboratório de Integração de Propulsores do IAE”.

Tratou-se do ensaio de separação dos quatro propulsores do primeiro estágio do VLS que foi realizado com sucesso e contou com uma equipe de 45 servidores entre técnicos e engenheiros do instituto.

Durante o ensaio foram feitas 167 medições entre choque mecânico, vibração quase-estática, deformação, pressão, deslocamento, simetria de separação, além da cobertura fotográfica e de vídeo. Abaixo segue o vídeo do ensaio.

Ensaio de Separação do 1º Estágio do VLS-1 - 29/09/2011

As ações seguiram com o importantíssimo teste de bancada do motor do Veículo Lançador de Satélites (VLS-1) realizado com sucesso dia 03/11/2011 na Usina Coronel Abner em São José dos Campos (SP).

Tratou-se do teste do motor-foguete sólido S-43TM (Operação Uirapuru), motor esse utilizado pelo primeiro e segundo estágios do VLS-1. Abaixo segue o vídeo do teste.

Teste do Motor-Foguete S43 do VLS-1 - 03/11/2011

Já entre os dias 22 e 26/11/2011 ocorreu com sucesso o “Ensaio de Qualificação Estrutural do Sara Suborbital”, ensaio esse realizado pelo Grupo de Projeto do Sara, pertencente á “Divisão de Sistemas Espaciais (ASE) do IAE”, tendo em vista o lançamento do veículo VS-40/Sara Suborbital, que até então estava previsto a ser realizado no final de 2012.

Vale lembrar que no ensaio, depois de realizadas as assinaturas, foram aplicadas as cargas de qualificação estrutural no regime senoidal e no regime aleatório e que para a sequencia do desenvolvimento, o modelo de qualificação do SARA deverá sofrer ainda outro ensaio de vibração, agora com a eletrônica “viva”. Abaixo segue algumas fotos desse ensaio.

Fotos do Ensaio de Qualificação Estrutural
do Sara Suborbital – 22 a 26/11/2011

Ainda em novembro, como parte da comemoração dos 40 anos do acordo tecnológico entre o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e o Centro Aeroespacial da Alemanha (DLR), foi realizada a “Operação Brasil-Alemanha” que envolveu técnicos e pesquisadores dos dois países em duas operações de lançamento de foguetes ocorridos do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

O primeiro lançamento ocorreu com sucesso às 20:00h do dia 25/11/2011 através do quinto voo realizado do Brasil (na versão monoestágio) do foguete norte-americano “ORION V05”, a partir novo "Lançador Móvel de Foguetes do CLBI" fornecido pelo próprio DLR.

O objetivo desse vôo foi o treinamento das equipes no emprego da Estação de Telemedidas Móvel, bem como a verificação dos meios de lançamento.

Já o segundo lançamento ocorreu com sucesso às 19:00h do dia 02/12/2011 através do oitavo voo do foguete brasileiro “VS-30 V08”.

Essa missão consistia no transporte ao ambiente de microgravidade de dois experimentos científico e tecnológico brasileiros, sendo o primeiro a “Sonda de Langmuir (LP) do INPE”, para realizar medidas do perfil da densidade numérica de elétrons a partir do perfil da corrente recolhida por um sensor de aço inox montado na ponta da coifa do foguete, e o “GPS para Foguetes de Satélites da UFRN/IAE”, que tem como função básica informar com precisão a posição e a velocidade do foguete ou de um satélite no espaço. Abaixo segue o vídeo dessa operação.

Operação Brasil-Alemanha - 25/11 a 02/12/2011

Em dezembro, a “Divisão de Propulsão Espacial (APE) do IAE” finalizou com sucesso os "Ensaios de Qualificação em Solo do Motor-foguete Líquido L5", concluindo assim uma importante etapa para a capacitação do instituto no desenvolvimento da tecnologia de propulsão líquida.

Os ensaios do Motor L5, que funciona com oxigênio líquido e etanol, foram retomados em agosto de 2011 e serviram para verificar o desempenho desse motor em condições atmosféricas, tendo sido realizadas medidas de empuxo, vazões, pressões e temperaturas em diferentes pontos das linhas de alimentação dos propelentes, bem como no próprio motor (cabeçote de injeção, câmara de combustão e tubeira.

Foram fabricados e testados dois conjuntos idênticos do Motor L5, composto de cabeçotes de injeção e câmara de combustão. O primeiro deles foi ensaiado com êxito em 2005, tendo sido submetido a mais de 400 s de testes a quente. O segundo motor totalizou, até o momento, aproximadamente 10 min de ensaios, em tiros com duração de 40 s, 60 s e 120 s.

Para essa segunda etapa, além dos ensaios de maior duração, também, foi testada pela primeira vez uma a câmara de combustão feita de liga de aço Inconel, com cerca 2 mm de espessura de parede. Segue abaixo o vídeo desse ensaio.

Ensaios de Qualificação em Solo do
Motor-foguete Líquido L5 - Dezembro 2011

Em 16 de dezembro de 2011, integrantes da Divisão de Ensaios do IAE (AIE) em conjunto com a Equipe do Projeto SARA, com apoio da Divisão de Mecânica e de representantes das empresas CENIC e Orbital realizaram com sucesso o “Ensaio de Funcional do Subsistema de Recuperação do Veículo Sara Suborbital”.

O teste foi realizado no interior do Prédio de Integração de Lançadores (PIL), que reunia as condições adequadas de altura para o desdobramento dos pára-quedas, e foi monitorado por um sistema de filmagem de alta velocidade. Abaixo segue algumas fotos desse ensaio.

Fotos do Ensaio Funcional do Subsistema de
Recuperação do Sara Suborbital – 22 a 26/11/2011

Já em 29/03/2012 ocorreu o segundo “Ensaio de Separação dos Quatro Propulsores do Primeiro Estágio do VLS”, ensaio esse que contou com uma equipe de 30 servidores entre técnicos e engenheiros sendo realizado no “Laboratório de Integração de Propulsores do IAE”.

Durante o ensaio foram feitas medições de choque mecânico, vibração quase estática, deformação, simultaneidade de separação dos 4 propulsores do primeiro estágio, deslocamento,  além da cobertura fotográfica e de vídeo. Abaixo segue o vídeo do ensaio.

2º Ensaio de Separação do 1º Estágio do VLS-1 - 29/03/2012

Vale lembrar também que durante esses pouco mais de sete meses, diversas outras ações que contaram com o envolvimento direto ou indireto do IAE, foram realizadas com sucesso, e aqui podemos citar algumas, como as operações de lançamentos realizadas na Europa, ou seja, a "Operação VSB-30/Texus 48" (27/11/2011), a "Operação VS-30/Orion/ICI-3" (03/12/2011) e a "Operação VSB-30/MASER 12" (13/02/2012).

Como o leitor pode notar, apesar das dificuldades herculanas que esse importante instituto e seus valorosos servidores civis e militares tem de enfrentar em seu dia-a-dia, nos últimos sete meses o IAE tem na medida do possível cumprido sua missão de buscar dotar o Brasil das tecnologias espaciais que o país necessita nessa na área de foguetes e tecnologias associadas.

É claro que muito mais poderia ter sido feito, mesmo nesses últimos sete meses, principalmente se levarmos em conta que o nosso programa espacial completou ano passado 50 anos de existência.

Entretanto, não há como negar que nem mesmo numa agência espacial como a NASA, com recursos financeiros e humanos inimagináveis em relação aos existentes no Programa Espacial Brasileiro, se faz mágica, e os resultados alcançados pela mesma são frutos de uma política espacial séria de estado adotada desde que essa agência foi criada nos anos 60.

No Brasil, após um bom começo no início dos anos 60 e um bom período de desenvolvimento entre os anos de 1987 e 1991 (mas precisamente no governo do ex-presidente José Sarney) foi iniciado por governos sucessivos 'um continuo desmonte' de toda infraestrutura física e humana montada nos anos anteriores, levando o PEB a essa situação de abandono intensificada ainda mais nos dois anos de governo da presidente Dilma Rousseff.

Duda Falcão


Fonte: Com informações do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentários

  1. Muito interessante e legal conhecer esses sucessos que pouca gente conhece.
    Imagina o que o IAE não faria com o dobro de pessoal, mas fazer o quê...
    Agora uma dúvida, tem alguma previsão de quando serão realizados os testes do 3º e 4º estágio do VLS ?
    Att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ramir, o foguete VS-40, no qual será lançado o SARA, é composto dos mesmos motores dos 3° e 4°s estágios do VLS. Ou seja, o VS-40 é a "parte de cima" do VLS, e já foi lançado com sucesso duas vezes.

      Excluir
    2. Ah é mesmo.
      Agora é torcer pra dar certo!
      Att.

      Excluir
  2. nao adianta contratar nem o triplo...... o sistema de gestao nao deixa as pessoas criarem nada novo, esse aí é o eterno VLS ou MRBM do governo militar

    ResponderExcluir
  3. Olá Ramir!

    Como colocado pelo Heverton, os testes do 3º e 4º estágios do VLS não são necessários, pois já foram feitos para o vôo do VS40/SARA Suborbital 1, entende? Quanto ao que foi colocado pelo Al.mor, em parte ele tem razão, mas em minha opinião não é por causa do modelo de gestão que funcionaria perfeitamente em outra situação, e simplesmente por falta de apoio do governo. Afinal, não adianta planejar nada de novo, pois não haveria como desenvolver já que não há dinheiro e nem recursos humanos para tanto. Seria até uma irresponsabilidade do IAE, além de falta de foco, entende?

    Abs

    Duda Falcão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite