AEB Libera Recursos para o Projeto do Satélite Amazônia-1

Olá leitor!

Foi publicado pela Agência Espacial Brasileira (AEB) no Diário Oficial da União (DOU) de hoje (17/04), um “Extrato de Cooperação” referente a termo de cooperação e descentralização de crédito (liberação de recursos) assinado entre a AEB e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) relacionado à ação orçamentária 10ZJ - Desenvolvimento do Satélite Amazônia-1. Segue abaixo o extrato como publicado no DOU.

Duda Falcão

AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA
EXTRATO DE COOPERAÇÃO

Espécie: Termo de Cooperação e Descentralização de Crédito nº 009/2012;
Processo: 01350.000014/2012-68;
Concedente: Agência Espacial Brasileira - AEB, UG 203001, Gestão 20402;
Proponente: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, UG 240106, Gestão 00001;
Ação Orçamentária: 10ZJ - Desenvolvimento do Satélite Amazônia-1;
Objeto: Desenvolver e fabricar satélites de observação da Terra com aplicação direta no monitoramento da Região Amazônica;
Valor: R$ 36.361.565,00;
Fundamento Legal: LOA 12.595/2012;
Decreto: nº 6.170/2007;
Portaria Interministerial: MPOG/MF/CGU nº 507/2011;
Assinam: Thyrso Villela Neto - Presidente Interino da AEB e Gilberto Câmara - Diretor do INPE;
Data: 12/04/2012.


Fonte: Diário Oficial da União – Seção 3 - pág 10 - 17-04-2012

Comentário: Pois é leitor, esse é mais um capitulo dessa interminável novela chamada “Satélite Amazônia-1” e por ter sido iniciada no principio dos anos 80, na época da antiga Missão Espacial Completa Brasileira (MECB), quando estão esse satélite era chamado de Satélite de Sensoriamento Remoto (SSR-1), transforma-o provavelmente no mais extenso projeto de satélite em desenvolvimento em toda a história das atividades espaciais no mundo. Segundo foi divulgado, a previsão de lançamento desse satélite é 2014, entretanto leitor, quem em sã consciência acredita mais em qualquer previsão divulgada pelo governo? Vamos aguardar.

Comentários

  1. Deixa eu ver se eu entendi: O governo liberou pro INPE mais de R$36 milhões. Essa grana já é do INPE, pronta pra construção do satélite ou o governo ainda pode bloquear parte desses recursos???

    ResponderExcluir
  2. Olá Heverton!

    É isso mesmo amigo, pelo menos na teoria. Entretanto, tudo é possível quando se trata dos de..loides do governo, mas a verdade é que agora a bufunfa já está na mão do INPE, e se não houver contratempos, deverá ser utilizada no projeto.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. será que 36 milhões são o suficiente para a construção do satélite AMAZONIA-1? ele vai ser construído só pelo o brasil ou vai ter cooperação com a china? eu rezo que seja totalmente construído no brasil pois assim o pais vai absorver e gerar mais tecnologias para a nação e para a defesa de seus interesses pelo globo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Persona!

    Na realidade o Amazônia-1 já vem sendo desenvolvido desde a época da antiga MECB até os dias de hoje. Assim sendo, esses 36 milhões só são parte do que já foi investido durante esse período. Vale dizer também que, além da falta de apoio do governo, o que pegou no desenvolvimento desse satélite foi o grande atraso no desenvolvimento da Plataforma Multi-Missão (PMM), que acredito já esteja em fase final de desenvolvimento.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. O Contrato da PMM/AEB é de 2001. Isto vai completar 12 anos!
    Não seria motivo suficiente para uma auditoria séria, técnica e responsável? O que entrou de dinheiro e o que saiu disto? Quem autorizou, quem fiscalizou, os envolvidos? 12 anos! Há explicação para tanto tempo e poucos resultados? Sim, claro que há! Está tudo bem aos olhos. Só não vê quem não quer, certo?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial