Modelagem para Controle da Dengue é Discutida no INPE

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (04/04) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que a modelagem para controle da Dengue será discutida no INPE.

Duda Falcão

Modelagem para Controle da
Dengue é Discutida no INPE

Quarta-feira, 04 de Abril de 2012

A Rede PRONEX de Modelagem em Dengue realiza nos dias 11 a 13 de abril, em São José dos Campos, o II Workshop de Modelagem Matemática Aplicada ao Controle da Dengue no Brasil. O evento será no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que integra essa rede dedicada ao estudo dos padrões de ocorrência da dengue e ao desenvolvimento de modelos que possam auxiliar no seu monitoramento e controle.

A programação prevê discussões sobre o estágio atual dos trabalhos nas áreas de indicadores de vulnerabilidade para epidemias de dengue; identificação dos gargalos no desenvolvimento dos sistemas propostos (SIGs, armazenagem de dados, ontologias); modelos desenvolvidos e estratégias de controle (políticas). Também serão definidas as metas da Rede para o próximo ano.

A Rede PRONEX tem como objetivos: avaliar alternativas de uso de armadilhas para monitorar e subsidiar a implantação de estratégias de controle da população de Aedes aegypti; desenvolver novas tecnologias para a análise automática de dados e detecção de epidemias, incluindo um aplicativo georreferenciado para entrada rápida de dados de armadilhas e identificação de áreas prioritárias para controle; propor e avaliar conceitualmente estratégias inovadoras para o controle de transmissão da dengue; desenho e análise de ensaios vacinais, e estratégias de vacinação, considerando diferentes características vacinais.

O evento não é aberto ao público. Pesquisadores e profissionais da área interessados devem entrar em contato com a Dra. Liliam Medeiros (lccastro@dpi.inpe.br), explicando sua motivação em participar.

Mais informações no site www.dengue.mat.br

Espaço e Sociedade

O INPE atua na Rede PRONEX através de seu programa Espaço e Sociedade, que desenvolve ferramentas de análise espacial para diversos setores, da gestão urbana ao monitoramento ambiental, tendo a saúde pública como tema de vários projetos.

Junto a parceiros como a Fiocruz, o INPE criou o SAUDAVEL - Sistema de Apoio Unificado para Detecção e Acompanhamento em Vigilância Epidemiológica, que insere as tecnologias de informação espaciais, como imagens de satélites e bancos de dados geográficos, no contexto do controle de endemias.

Especificamente para o combate a dengue, foi desenvolvido o Sistema de Monitoramento e Controle Populacional do Aedes aegypti (SMCP-Aedes). O sistema mostra em mapa os locais onde foram contados mais ovos da fêmea Aedes. Com o cruzamento da informação espacial com dados cartográficos, socioambientais e epidemiológicos, é possível ter um eficiente sistema de alerta e controle da doença para que os órgãos públicos possam intervir antes de surtos se transformarem em epidemias.

Os resultados do programa Espaço e Sociedade, assim como o monitoramento da Amazônia e a previsão do tempo, entre outras atividades do INPE, exemplificam como o brasileiro – muitas vezes sem perceber - usufrui do seu programa espacial, que gera dados que subsidiam pesquisas e resultam em produtos e serviços com impactos diretos na qualidade de vida da população.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial