Mais Perto do Céu

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (22/06) no site do jornal “Correio Braziliense” dando destaque ao projeto do Clube de Astronomia de Brasília para observação dos astros por alunos de escolas do Distrito Federal.

Duda Falcão

Mais Perto do Céu

Projeto do Clube de Astronomia de Brasília promove

a observação dos astros por alunos de escolas do Distrito Federal.

Na sexta-feira passada, foi a vez de estudantes de Taguatinga se

encantarem com as imagens dos corpos celestes

Gisela Cabral

Publicação: 22/06/2010 - 10:55

Céu de inverno sem nuvens, perfeito para a observação da Lua, de planetas como Saturno e Marte, e de aglomerados de estrelas. Uma noite especial promovida pelo Clube de Astronomia de Brasília (Casb) e pelo curso de física da Universidade Católica de Brasília (UCB) proporcionou a crianças, jovens e adultos uma experiência inesquecível: a observação de corpos celestes que habitam o Sistema Solar. Para várias dessas pessoas — entre profissionais, amadores e possíveis futuros astrônomos — esse foi o primeiro contato com telescópios. Os seis equipamentos de última geração foram estrategicamente posicionados na quadra de esportes do Centro Educacional Católica, em Taguatinga, na noite da última sexta-feira, e foram os responsáveis por um show de belas imagens.

O estudante Danilo dos Santos, 10 anos, estava eufórico com a possibilidade de ver de perto alguns dos mais famosos corpos celestes, como a Lua. “É como se eu pudesse tocá-la. Ela se parece muito com um queijo todo furadinho, mas cinza. A imagem é tão nítida e tão bonita que dá vontade de pular para o lado de lá”, brincou, sem descartar a possibilidade de se tornar um astrônomo profissional no futuro. “Gosto muito de estudar ciência e sempre tiro boas notas na escola. Além disso, sempre procuro notícias nos jornais e na internet sobre o Universo”, contou. A observação ao ar livre, porém, foi considerada uma maneira de aprender muito mais atraente. “É bem melhor e mais fácil aprender assim do que nos livros”, afirmou o aluno, na companhia das colegas de turma Flávia Barbosa, 11, e Lorena dos Santos, 10.

Já Guilherme Augusto Gessele, 11, conseguiu visualizar quatro pequenas estrelas no céu, além do planeta Saturno, com o auxílio da observação telescópica. “Saturno é bem diferente do que eu imaginava. A cor do planeta é amarela. Fiquei feliz em participar desse evento, pois gosto muito de astronomia. Todo dia tem uma novidade na área”, disse. Gabriel Ribeiro de Souza, 12, contou ter avistado Saturno com “imensa perfeição”. “Tenho um telescópio de brinquedo em casa. Com ele consegui ver algumas estrelas no céu”, revelou.

A perfeição das imagens que tanto impressionaram Guilherme foi obtida graças aos equipamentos utilizados na noite de observação. De acordo com os membros do Casb, os telescópios são semiprofissionais, sendo que dois deles pertencem à universidade. “Os equipamentos possuem motores que compensam o movimento de rotação da Terra”, explicou o vice-presidente do clube, Sandro Vieira Rosa.

Paixão

Atrás de cada um dos telescópios dispostos na quadra de esportes se formaram filas enormes. Pelo menos 100 pessoas compareceram ao evento, mais um do projeto Telescópio nas Escolas. Curiosas, muitas crianças que estavam na companhia dos pais pediam para repetir a dose. “O Clube de Astronomia existe desde 1986. Por meio do projeto transmitimos a nossa paixão para outras pessoas”, destaca o presidente do clube, Marcelo Domingues, que antes da observação ministrou uma palestra na qual explicou aos estudantes os procedimentos de uso dos equipamentos. Além disso, o encontro também serviu para estabelecer um debate entre profissionais, amadores e alunos sobre os avanços do homem no campo da astronomia.

O projeto do Casb existe há dois anos e já beneficiou pelo menos 50 instituições de ensino. Segundo a entidade, a maioria dos colégios participantes pertencem ao sistema público de ensin o. Os recursos para a iniciativa provêm do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq). O clube também costuma realizar observações gratuitas e abertas ao público na Praça dos Três Poderes, na Esplanada dos Ministérios.

O projeto desenvolvido nas escolas do Distrito Federal une ciência e tecnologia com o objetivo de demonstrar que o universo da astronomia não se resume a uma simples contemplação celeste, mas sim ao desenvolvimento do conhecimento humano. De acordo com o Centro Educacional Católica, a intenção é fazer com que os estudantes vivenciem os conhecimentos adquiridos em sala de aula na prática. A atividade, na opinião de Vicente Crivellaro, professor da instituição, leva conhecimento sobre astronomia e estimula os estudantes a desenvolverem projetos didáticos e científicos ligados a essa área da ciência. “A reação das crianças que visualizam os corpos celestes pela primeira vez é impressionante. Muitas gerações, como a minha, por exemplo, não tiveram essa oportunidade. Um evento como esse pode revelar vários novos talentos”, acredita o professor.

"O Clube de Astronomia existe desde 1986. Por meio do projeto transmitimos a nossa paixão para outras pessoas"

Marcelo Domingues, presidente do Casb

Fonte: Site do jornal “Correio Braziliense” - 22/06/2009

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro