A Área de Vegetação Nativa Suprimida no Bioma Cerrado no Ano de 2019 Foi de 6.484 km²

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (16/12) no site “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” informando que a Área de Vegetação Nativa suprimida no Bioma Cerrado no ano de 2019 foi de 6.484 km². 

Duda Falcão

NOTÍCIAS 

A Área de Vegetação Nativa Suprimida no Bioma Cerrado no Ano de 2019 Foi de 6.484 km² 

Por INPE
Publicado: Dez 16, 2019 

São José dos Campos-SP, 16 de dezembro de 2019 

O Ministério da Ciência, Tecnologia,Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgam os dados de desmatamento no bioma Cerrado para o ano de 2019, que totalizou 6.484 km2, correspondente ao período de agosto de 2018 a julho de 2019. Esse valor é o menor valor anual para a série, desde o seu início em 2000, e representa uma redução de 2,26% em relação ao ano de 2018, último período divulgado.

Esse resultado é proveniente do projeto PRODES Cerrado, desenvolvido e operado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), com o apoio dos ministérios do MMA e do MCTIC, financiado pelo Programa de Investimento Florestal (FIP) e administrado pelo Banco Mundial. Para o mapeamento, o projeto utiliza 118 imagens do satélite Landsat para identificar, mapear e quantificar as áreas maiores que 1 hectare, onde a vegetação nativa foi suprimida, independente da utilização subsequente dessas regiões. O bioma Cerrado, definido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2004, possui 2.036.448 km2 de extensão. Esse bioma corresponde a 24% do território brasileiro e abrange os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná e São Paulo.

A Tabela 1 mostra a área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado no ano de 2019 para cada estado. O estado do Tocantins foi o que apresentou a maior área de vegetação nativa suprimida, com 1.495,69 km2, seguido pelo Maranhão (1.309,50 km2) e Bahia (832,42 km2). 

Tabela 1 - Área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado em 2019 em cada estado. 


A Tabela 2 apresenta a variação da área de vegetação nativa suprimida entre os anos de 2018 e 2019. No total essa variação foi de - 2,26%, ou seja, a área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado foi 2% menor do que no ano passado, mas com valor absoluto muito próximo, totalizando mais de 6 mil km2 de vegetação natural suprimida.A maior variação percentual, em relação ao ano anterior,foino estado da Bahia, com um acréscimo de 19,43%, enquantoo Distrito Federal apresentou um decréscimo de 69,37%. 

Tabela 2 - Valores absolutos e variação percentual para cada estado em km2. 


A Tabela 3 apresenta a extensão da área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado por ano, entre 2001 e 2018, que engloba toda a série histórica gerada pelo INPE. Para os biênios 2001-2002, 2003-2004, 2005-2006, 2007-2008, 2009-2010 e 2011-2012, foi feito um mapeamento, e atribuiu-se a cada um dos anos a metade do incremento do respectivo biênio. Para o período compreendido entre 2013 e 2019 o mapeamento foi anual. 

Tabela 3 - Incremento anual da área de vegetação nativa suprimida por estado (km2). 


A Figura 1 mostra uma comparação gráfica entre a extensão da área de vegetação nativa suprimida no período de 2001 a 2019.


Além das tabelas que consolidam os valores de área de vegetação natural suprimida apresentadas nessa nota, o INPE também disponibiliza os dados espacializados, que podem ser visualizados através de portal na internet, no endereço: http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/.

Esse portal também apresenta um ambiente de consultas prontas sobre esses dados, para serem consumidas no ambiente da internet, permitindo ainda o download dos mapas e dos dados tabulares.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) -  http://www.inpe.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite