Missão da ESA Vai Avaliar os Resultados da Colisão de Asteroides

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (03/12) no site do “Olhar Digital” destacando que a Sonda Hera da Agência Espacial Europeia (ESA) vai avaliar os resultados da colisão de asteroides.

Duda Falcão

Missão Vai Avaliar os Resultados da Colisão de Asteroides

Sonda Hera vai analisar os efeitos do impacto em alta velocidade com rochas espaciais

Por Guilherme Preta
Editado por Matheus Luque
Olhar Digital
Fonte: Space
03/12/2019 - 12h37


A Agência Espacial Europeia (ESA) aprovou oficialmente a missão Hera, que vai avaliar os resultados do Teste de Redirecionamento Duplo de Asteroides (DART) da NASA. O lançamento será no dia 9 de julho de 2021, com o foguete SpaceX Falcon, e vai alcançar o sistema de dois asteroides Didymos em outubro de 2022.

A sonda da NASA vai colidir com o “Didymoon”, o satélite natural de 165 metros de largura que orbita o Didymos, uma rocha espacial de 775 metros. Enquanto isso, os telescópios aqui na Terra vão documentar como o impacto afeta Didymoon e sua órbita, ajudando os pesquisadores a avaliar a eficácia da estratégia de desvio de asteroides por impacto. A equipe do DART espera há muito tempo dados de longo alcance complementados por observações de perto.

Apesar de o lançamento do DART estar programado para 2021, o Hera deve ser lançado apenas em 2023 ou 2024, chegando ao sistema Didymos dois anos depois. A sonda europeia vai coletar uma variedade de dados sobre as rochas espaciais com a ajuda de pequenos CubeSat, satélites miniaturizados usados em pesquisas espaciais, que realizarão pousos nos asteroides, segundo a ESA.

O Explorador de Prospecção de Asteroides (APEX), fornecido por um consórcio formado por Suécia, Finlândia, República Tcheca e Alemanha, vai investigar a estrutura interior e a composição da superfície das rochas do sistema. Além disso, a missão estudará sua estrutura e seu campo gravitacional.

Originalmente, a ESA enviaria uma nave para observar o impacto em tempo real, o que agora será feito por um CubeSat italiano. A Agência Espacial Europeia também enviaria uma sonda chamada AIM para coletar dados antes e depois do impacto. A o projeto foi cancelado em 2016.

Porém, a decisão de aprovar a Hera significa que a NASA não fará o teste de defesa planetária sozinha. “Um dia, a missão pode ser crucial para proteger nosso planeta dos asteroides”, destacou a campanha #SupportHera.

O impacto direto, como o DART, não é a única maneira de afastar asteroides da Terra. Se ele estiver longe o suficiente é possível lançar uma sonda para acompanhar a rocha espacial e desviar leve e continuamente sua trajetória. Se o impacto estiver a apenas algumas semanas de distância, a opção seria uma explosão nuclear. Pesquisadores acreditam que as bombas atômicas poderiam explodir o asteroide ou pelo menos tirá-lo de seu trajeto inicial.


Fonte: Site Olhar Digital - https://olhardigital.com.br 

Comentário: Pois é leitor, é bom notar que duas das principais agências espaciais do mundo começam a se movimentar sobre essa questão tão importante para a sobrevivência da humanidade e tomara que outras sigam o exemplo e que não seja tarde demais. Aproveito para agradecer ao nosso leitor Rui Botelho pelo envio dessa notícia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro