Próximo Governo Terá Desafio de Rever o PEB

Olá leitor!

Segue abaixo uma pequena matéria publicada hoje (26/09) pelo site do jornal “O VALE” destacando que o próximo governo terá o desafio de rever o Programa Espacial Brasileiro.

Duda Falcão

Região

Próximo Governo Terá Desafio de
Rever o Programa Espacial

Criado durante o regime militar, o Programa Espacial Brasileiro
completa 30 anos com problemas crônicos


Chico Pereira
São José dos Campos
26 de setembro de 2010 - 06:03


Embora considerado estratégico para o desenvolvimento do país, o Programa Espacial Brasileiro enfrenta problemas crônicos, como a falta de verbas e a carência de recursos humanos.

Ao longo de 30 anos de atividade, o programa experimentou avanços, caso da projeção e construção de satélites nacionais pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), mas também revezes, como o do projeto do VLS (Veículo Lançador de Satélites), sob responsabilidade da Aeronáutica, que ainda não foi concluído.

O DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), responsável pelo projeto e construção do lançador, já efetuou duas tentativas de lançamento do VLS, ambas sem sucesso.

Em 2003, um incêndio destruiu completamente o sítio de lançamento de Alcântara, com a morte de 23 técnicos, o que atrasou ainda mais o projeto do foguete.

Concebido durante o período do regime militar, o programa espacial ainda é visto com desconfiança por setores da sociedade e por outros países.

Dentre as várias restrições impostas ao projeto nacional estão os embargos internacionais para a compra de equipamentos e tecnologia necessários ao desenvolvimento de projetos, principalmente do VLS.

Para especialistas e dirigentes vinculados diretamente ao Programa Espacial consultados por O VALE, o próximo governo terá o desafio de reavaliar o Programa Nacional de Atividades Espaciais para adequá-lo à realidade atual do Brasil, e para que o país possa recuperar atrasos acumulados em décadas nesse setor.

"O Programa Espacial Brasileiro precisa ser tratado como uma política e prioridade de Estado e não de governo", disse Carlos Ganem, presidente da Agência Espacial Brasileira.


Fonte: Site do Jornal “O VALE” - 26/09/2010

Comentário: Apesar do equívoco do jornalista Chico Pereira quanto aos 30 anos do PEB (na realidade o PEB completará em 2011 50 anos de existência, sendo o quarto programa espacial mais antigo em todo mundo só atrás do russo, do americano e do francês) o mesmo está absolutamente certo quanto ao grande desafio que terá o próximo presidente em transformar o nosso programa espacial em um programa realmente estratégico e não no chamado estratégico vendido por oito anos pelo governo LULA. Precisamos transformar o PEB num programa verdadeiro e exitoso e para tanto o mesmo precisa ser coordenado e dirigido por profissionais competentes e as soluções necessárias discutidas há décadas passarem a ser aplicadas com o dinamismo que o setor exige. Tanto os problemas que afetam o desenvolvimento do PEB quanto às soluções para esses problemas são de conhecimento de todos e chega de lero-lero e vamos à ação. Porém, para ser sincero com o leitor, não acredito que algo de significativo venha mudar, mas espero estar enganado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial