Brasil Lança 1º Satélite Astronômico em 2015

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (25/09) no site da Força Aérea Brasileira (FAB) publicada no “Jornal do Commercio” de Pernambuco de hoje, destacando que o Brasil lançará o seu primeiro satélite astronômico em 2015.

Duda Falcão

Brasil Lança 1º Satélite Astronômico em 2015

MIRAX custa aproximadamente R$ 10 milhões e
usará raios-X para registrar buracos negros e estrelas
de nêutrons entre outros corpos celestes


25/09/2010


O primeiro satélite astronômico do Brasil, com lançamento previsto para 2015, utilizará raios-X para registrar buracos negros e estrelas de nêutrons entre outros corpos celestes. O MIRAX tem custo estimado de R$ 10 milhões e ficará a 600 quilômetros, em órbita quase equatorial, informou, ontem, em simpósio no Recife, o coordenador do projeto, o astrofísico João Braga.

Sigla de Monitor e Imageador de Raios X, o MIRAX será lançado com o satélite atmosférico EQUAR. Um ficará voltado para cima, registrando o espaço, e o outro para a Terra, descreve Braga. O MIRAX e o EQUARS integram uma estrutura chamada LATTES, homenagem ao físico César Lattes (1924-2005).

O astrofísico descreve o LATTES como dois cubos de um metro de altura colados. Um deles é a plataforma com painéis solares, bateria e sistemas como o de propulsão. O outro abrigará o MIRAX e o EQUARS, detalha João Braga.

Vice-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (IINPE), ele realizou palestra sobre o tema no Simpósio Internacional de Ciência e Tecnologia Georg Marcgrave - 400 anos, a ciência unido velho e novo mundos, na Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), em Casa Forte, Zona Norte do Recife.

O LATTES, com custo de aproximadamente R$ 50 milhões, pesará 500 quilos e tem vida útil estimada em quatro anos. Colaboração firmada recentemente com a Itália, adianta João Braga, permitirá a incorporação de um conjunto de instrumentos para o registro de diferentes faixas de energia. São câmaras que farão imagens usando várias fontes de raios X ao mesmo tempo, adianta Braga.

Essas fontes de raios X apresentam comportamento variável no tempo e precisam de instrumentos que observem um grande número de fontes pelo máximo de tempo possível. Os emissores de raios X estão geralmente associados à presença de objetos compactos remanescentes de estrelas (buracos negros, estrelas de nêutrons e anãs brancas) e, em muitos casos, manifestam-se através de gigantescas explosões cósmicas, explica.

Além da colaboração com a Itália, o desenvolvimento do LATTES conta com interação científica com as universidades da Califórnia e de San Diego, nos Estados Unidos. Para João Braga, um quarto do projeto está concluído.

Enquanto o MIRAX estará voltado para os céus, o EQUARS fará o monitoramento da atmosfera na região equatorial. O EQUARS permitirá pesquisas sobre vapor d’água e convecção de nuvens, além da variação da temperatura.


Fonte: Jornal do Commercio (PE) via NOTIMP do site da Força Aérea Brasileira (FAB)

Comentário: Uma das novelas da TV PEB, o satélite LATTES (MIRAX e EQUARS são as missões que compõem o satélite) aparentemente começa a ter seus capítulos escritos como demonstra essa matéria do Jornal do Commercio de Pernambuco. As missões MIRAX e EQUARS eram na realidade inicialmente dois satélites, porém com a dificuldade gerada pela falta de apoio financeiro e de interesse adequado do Governo e do Congresso pelo Programa Espacial Brasileiro, os profissionais do INPE resolveram juntar as missões em um único satélite aproveitando-se da versatilidade proporcionada pela Plataforma Multi-Missão (PMM) e a oportunidade para fazer essa homenagem (mais que justa) ao físico brasileiro Cesar Lattes.

Comentários

  1. Does anyone know, what has happened to the Lattes satellite. Is it still planned to be launched or has it been cancelled?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello Mr. Gunter Krebs!

      The Lattes Satellite consisted of two missions, namely the MIRAX Mission and the EQUARS Mission. According to what was disclosed these missions became two satellites with the same names, as it was before moving to Lattes. However of the non-compromise form as the Brazilian Space Program is conducted, I do not believe that these satellites will be developed in less than 10 to 15 years.

      Greetings from Brazil

      Duda Falcão
      (Brazilian Space Blog)

      Excluir
    2. Thank you very much for the info.

      Excluir
    3. Hello Mr. Gunter Krebs!

      No need to thank, we're here for that.

      Greetings from Brazil

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial