ORBISAT em Espaço

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/09) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski onde o mesmo apresenta um trecho da reportagem sobre a empresa brasileira ORBISAT publicada na edição de nº 122 da revista Tecnologia & Defesa (encontra-se nas bancas) que trata da colaboração desta empresa com o projeto do satélite MAPSAR.

Duda Falcão

OrbiSat em Espaço

27/09/2010

A edição nº 122 de Tecnologia & Defesa, que se encontra nas bancas, conta com uma reportagem com um perfil da OrbiSat, uma das mais bem sucedidas indústrias brasileiras no setor de defesa, especializada em sensoriamento remoto, radares para vigilância aérea e terrestre, e também no desenvolvimento de produtos eletrônicos de consumo (antenas e receptores). A empresa tem também interesse no setor espacial.

Abaixo, reproduzimos o trecho que trata de seu envolvimento com o Programa Espacial Brasileiro, mais especificamente, com o projeto MAPSAR:

"Satélite

Sendo a empresa brasileira com mais experiência em tecnologias de sensoriamento remoto por radares, o envolvimento da OrbiSat em projetos relacionados a satélites com sensores radares seria mais do que lógico. E é o que acontece. Já há alguns anos, a Agência Espacial Brasileira (AEB) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) consideram a construção de um satélite-radar, chamado MAPSAR, de modo a preencher a lacuna na capacidade nacional de observação terrestre a partir do espaço. O Brasil conta apenas com satélites próprios dotados de sensores óticos, incapazes de imagear determinadas regiões, como a Amazônia, em razão da cobertura de nuvens. Em princípio, o MAPSAR deve contar com cooperação internacional.

A OrbiSat está envolvida com os estudos do MAPSAR desde 2002, ano em que foi responsável por um curso de projeto de radar SAR satelital para pesquisadores do INPE. Entre 2002 e 2007, a empresa acompanhou o desenvolvimento do programa de satélite-radar do INPE e, em 2008, foi contratada para projetar um radar satelital que cumprisse com os requisitos dos Programas PRODES e DETER, de monitoramento do desmatamento na região amazônica. A solução tecnológica apresentada prevê o atendimento das necessidades nacionais com um só satélite."


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial