Saiba Mais Sobre o Atual Estagio da Rodovia MA-106


Olá leitor!

Quem me conhece sabe que eu costumo dizer que na vida nada ocorre por acaso. Ou seja, para se construir um prédio com segurança é necessário um engenheiro qualificado, para se operar alguém com segurança é necessário um bom médico cirurgião, para ser bem representado judicialmente é necessário um bom advogado, portanto para se administrar ou gerir uma empresa, programa, obra, governo é necessário da mesma forma bons administradores, sejam eles públicos ou privados. Infelizmente no Brasil isso é coisa rara na área publica, área essa que o cambaleante "Programa Espacial Brasileiro" infelizmente está diretamente ligado. Portanto, o seu estado atual representa o resultado de anos de incompetência gerencial tanto de seus gestores, quanto da classe política ignorante e ineficiente, mas que sempre teve e terá a palavra final quanto ao programa.

É claro que essa incompetência política, seja ela motivada por outros interesses ou não (não sejamos ingênuos), não se restringe ao PEB. Ela na verdade é um câncer que se alastra do Oiapoque ao Chuí em todos os níveis de governo. Sendo assim, o PEB não poderia de forma alguma sair ileso dessa onda cancerígena que infelizmente rege as regras de como se faz política nesse país.

Para piorar a situação, minha avó que era uma mulher humilde costumava dizer-me: “Meu neto, nunca esqueça, um exemplo vale mais do que mil palavras”. Interessante notar leitor que hoje em dia esse exemplo vem fielmente sendo seguido à risca na incompetência e na ineficiência do servidor público, motivado por leis que só existem num país onde a sua sociedade tem como lema o ditado: Levar vantagem em tudo, certo?

Vejamos o caso das obras de reparos da rodovia MA-106 que liga o Terminal do Cujupe à cidade de Alcântara, obra essa que está diretamente ligada aos interesses da empresa bi-nacional Alcântara Cyclone Space e é fruto de um convênio entre a AEB, ACS e o governo do Maranhão.

O evento de assinatura desse convênio foi realizado em 13 de agosto do ano passado em cerimônia ocorrida na residência da governadora Roseana Sarney na cidade São Luís com a participação do presidente da AEB (Carlos Ganem), do ministro da Ciência e Tecnologia (Sérgio Rezende), do secretário estadual de Infra-Estrutura do Estado do Maranhão ( José Max Pereira Barros) e de outras autoridades ligadas ao PEB.

Na época foram liberados pelo MCT/AEB R$ 33 milhões para as obras de reforma do trecho de 11 quilômetros que liga o Terminal de Cujupe à rodovia MA-106 e de outro trecho de aproximadamente 47 quilômetros na MA-106 que segue até Alcântara.

Dinheiro em caixa, o que resta fazer? Tocar a obra, né verdade? Não é bem assim, na época segundo informou o secretário de Infra-estrutura Max Barros o processo de licitação para as obras de restauração das estradas seria aberto no dia 11 de setembro, com prazo máximo de seis meses para conclusão. Seis meses que estão se concluído no prazo citado pela notícia anterior postada aqui no blog, ou seja, em fevereiro, quando então se iniciarão as obras. Seis meses leitor. isto é Brasil.

Para que o leitor possa conhecer o atual estágio de conservação do trecho que será restaurado por essa obra de grande interesse estratégico para ACS, convido-o a assistir o vídeo abaixo de autoria desconhecida.

Duda Falcão


Trecho da rodovia MA-106 entre o Terminal
de Cujupe e a cidade de Alcântara-MA


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Da Sala de Aula para o Espaço

O CLA e Sua Agenda de Lançamentos Até 2022