Empresa de São José dos Campos Fará Motor do VSB


Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada dia (23/12) pelo jornal “Valeparaibano” destacando que a “Friuli”, empresa da cadeia aeroespacial de São José dos Campos, venceu licitação realizada pelo DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) para a fabricação dos motores do foguete VSB-30 brasileiro.

Duda Falcão

Empresa de S. José Fará Motor do VSB

Valeparaibano
23 de dezembro de 2009


Friuli vence licitação para fabricar propulsores de
foguete do DCTA; montagem começa no 1º trimestre

São José dos Campos - A Friuli, empresa da cadeia aeroespacial de São José dos Campos, venceu licitação realizada pelo DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) para a fabricação dos motores do VSB, foguete de pesquisas desenvolvido pela instituição.

A empresa, estabelecida no distrito industrial das Chácaras Reunidas, região sul de São José, será a responsável pela produção dos motores, denominados propulsores, dos primeiro e segundo estágios do VSB. O contrato irá possibilitar à Friuli capacitação em um novo campo tecnológico.

"Deveremos receber do DCTA a tecnologia necessária para a fabricação dos propulsores e também treinamento para nossos funcionários", afirmou Gianni Cucchiaro, diretor da companhia.

Ele relatou que sua empresa participou do processo licitatório com mais uma concorrente, do Rio de Janeiro. "Nós já fornecemos peças e equipamentos para o VSB, mas será a primeira vez que iremos produzir os motores para o foguete", disse o executivo.

De acordo com Gianni, a Friuli forneceu equipamentos e peças para outras partes do VSB, sendo responsável por mais de 60% de todos os componentes do artefato espacial.

Segundo ele, além do contrato, outro fato importante nesse processo é a capacitação tecnológica que a empresa irá ganhar com o trabalho. "É uma oportunidade a mais para a empresa e aumenta o profissionalismo e conhecimento da Friuli para o mercado externo", disse.

Pelo menos seis funcionários da indústria deverão ser qualificados para trabalhar na montagem dos motores, que serão construídos em aço. Depois de pronto, serão realizados teste de qualidade e a integração das peças ao VSB. O DCTA é quem irá fornecer e manusear o combustível sólido dos motores.

O contrato da Friuli com o DCTA é estimado em seis meses, a começar no primeiro trimestre de 2010. Segundo Gianni, os motores devem ficar prontos até o começo do segundo semestre.

FOGUETE - O VSB é um foguete espacial desenvolvido pelo IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço), vinculado ao DCTA.

O artefato foi desenvolvido a partir de 2001 em parceria com a Agência Espacial Alemã para experimentos científicos-tecnológicos.

No ano passado, o modelo VSB-30 foi certificado pelo IFI (Instituto de Fomento Industrial), tornando-se o primeiro foguete espacial brasileiro a receber esse documento.

O DCTA já promoveu sete lançamentos do VSB-30, todos com êxito, sendo dois no Centro de Lançamento de Alcântara (MA) e cinco no campo de lançamento de Esrange, na Suécia.

O VSB-30 foi projetado para levar uma carga útil de 400 quilos com experimentos e atinge o apogeu de 230 km. O IAE estima que há mercado para a comercialização desse modelo de foguete, para a realização de experimentos científicos.

MAQUETE - Além do DCTA, a Friuli também produziu maquetes do lançador de satélites Cyclone 4, que resulta de uma parceria do Brasil com a Ucrânia.

A empresa fabricou as maquetes para que o projeto do lançador seja apresentado em outros países, em feiras, eventos e simpósios.

Com lançamento previsto para 2010, o Cyclone 4 está atualmente sendo desenvolvido na Ucrânia, por um custo estimado de US$ 120 milhões. A maquete produzida pela Friuli possui tamanho de 40 metros de altura.


Fonte: Jornal Valeparaibano - 23/12/2009

Comentário: Notícia já citada anteriormente aqui no blog (veja a nota O Foguete VSB-30 - Artigo) essa matéria do jornal Valeparaibano é mais específica e fica uma pergunta. O fato dos os motores só ficarem prontos até o começo do segundo semestre de 2010 significa que o vôo do VSB-30 com os experimentos do 3° AO (a pouco divulgada e suposta Operação Maracati II) ficarão para o segundo semestre? Se assim for, fica explicado também o porquê da “Agência Espacial Sueca” alterar a previsão de vôo das plataformas “Texus 48 e 49” e “Maser 12” para o primeiro semestre de 2011. Com isso vai para quase quatro anos que a “Comunidade Científica Brasileira” está esperando a boa vontade da AEB e dos órgãos envolvidos concretizarem esse 3° AO. Assim fica muito difícil se dar seqüência a qualquer pesquisa relacionada com o Programa de Microgravidade da AEB. E o pior disso tudo é que como há os três vôos já citados aqui que estão previsto para ocorrerem da Europa em 2011, pode ser que o vôo do VSB-30 no Brasil seja mais uma vez prejudicado em prol do Programa Europeu de Microgravidade (PEM). Sinceramente espero que isso não ocorra, mas infelizmente devido ao histórico tudo leva a crer que acontecerá dessa forma. Quanto ao assunto da matéria fica então concretizada a total industrialização desse foguete, o que é uma grande notícia para o PEB. O blog torce para que exemplos como este sejam cada vez mais freqüentes em todas as áreas do Programa Espacial Brasileiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial