Projetos Espaciais Impulsionam Setor no País


Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (19/01) no Jornal “Valor Econômico” destacando que projetos espaciais estão impulsionando o setor no Brasil.

Duda Falcão

Projetos Impulsionam Setor no País

Virgínia Silveira
19/01/2010


O programa CBERS (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) está ajudando a intensificar no país o desenvolvimento de tecnologias e equipamentos utilizados em missões espaciais com satélites. A capacitação nacional - iniciada na década de 90 com os satélites SCD, de coleta de dados ambientais, meteorológicos e de química da atmosfera -, levou a indústria nacional a atingir, nos últimos tempos, uma participação superior a 80% nos projetos de satélites do programa espacial brasileiro.

"No CBERS 1 e 2 a participação brasileira no projeto era de 30%, subindo para 50% no CBERS 3 e 4", diz o coordenador geral de engenharia e tecnologia espacial do Inpe, Mário Quintino. Esse incremento de participação, diz ele, também se refletiu no valor dos contratos com a indústria nacional, que atualmente estão avaliados em R$ 400 milhões. "A nossa política e diretriz é passar tudo para a indústria. A responsabilidade do Inpe hoje, que corresponde a 20%, é ser o arquiteto do sistema, fazer o gerenciamento do projeto, o sistema de controle térmico, a montagem, integração e testes dos satélites", afirma Quintino.

O programa de satélites do Inpe envolve 15 companhias brasileiras. A demanda atual de serviços na indústria, segundo Quintino, é maior e os valores contratados já permitem a manutenção de um parque industrial bem mais estável. "Trata-se de um mercado de empregos de alta tecnologia, com a geração de produtos e serviços de alto valor agregado e perspectiva de inserção no mercado internacional", afirma o especialista.

O desenvolvimento da Plataforma Multimissão (PMM), que será totalmente feito por companhias brasileiras, deve aumentar ainda mais o conhecimento do país em tecnologia espacial, especialmente em sistemas de controle para estabilização em órbita e supervisão de bordo. "A indústria brasileira tem capacidade para competir internacionalmente em diversos segmentos espaciais, principalmente nos sistemas de gerenciamento de energia, estruturas e de comunicação de serviço", diz Quintino. (VS)


Fonte: Jornal Valor Econômico - 19/01/2010 - Via Portal ClippingMP

Comentário: Bom, muito bom e só não é melhor pela bagunça instalada no PEB há anos. O Brasil é um país engraçado, pois temos tudo para crescer e nos tornarmos uma das nações mais poderosas do mundo e fazemos de tudo para que isso não aconteça. Porém, mesmo assim o país se desenvolve (fenômeno mundial mesmo nos países africanos) é claro que de forma proporcional ao esforço empreendido, que em minha opinião é fruto de uma rara e difícil coordenação administrativa competente e idônea em todos os níveis da sociedade brasileira devido a sua cultura de levar vantagem em tudo.

Comentários

  1. hello... hapi blogging... have a nice day! just visiting here....

    ResponderExcluir
  2. Hi Hapi!

    Be welcome any time

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Da Sala de Aula para o Espaço

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Por Que a Sétima Economia do Mundo Ainda é Retardatária na Corrida Espacial