Roberto Amaral Deve Dar Adeus à ACS

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (15/02) no blog “Panorama Espacial” do jornalista André Mikeski, onde o mesmo nos traz a informação de que o senhor Roberto Amaral deverá deixar em breve a direção-geral da mal engenhada empresa bi-nacional Alcântara Cyclone Space (ACS).

Duda Falcão

Roberto Amaral Deve Dar Adeus à ACS

André M. Mileski
15/02/2011

De acordo com as últimas informações recebidas pelo blog Panorama Espacial, Roberto Amaral, diretor-geral da ACS, deve deixar a binacional em breve. Seu adeus estaria pendente apenas da posse de Marco Antonio Raupp na Agência Espacial Brasileira (AEB), e de acertos para que assuma outra posição fora do setor de C&T.

Para alguns observadores, sua saída era de certo modo esperada, já que o partido ao qual Amaral é filiado (PSB) não controla mais o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que agora está sob as égides de Aloisio Mercadante, do PT. As últimas notícias envolvendo a binacional - não início das obras, não integralização de capital e dificuldades no relacionamento com os ucranianos, entre outras - também não eram as mais animadoras, como noticiamos em janeiro (ver "Tensão na Alcântara Cyclone Space").

A saída de Amaral, que tem liderado a ACS desde a sua constituição em agosto de 2006, será provavelmente o estopim para outras mudanças na empresa.

Comenta-se também que seria do interesse do MCT (leia-se, Mercadante) que a AEB tivesse uma maior ingerência sobre a ACS. Atualmente, as duas organizações não tem qualquer relação de subordinação, ambas respondendo diretamente ao Ministério.


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: A possível queda do senhor Roberto Amaral, se realmente ocorrer, não resta dúvida que é uma grande notícia para o Programa Espacial Brasileiro, mas não resolve o problema dessa mal engenhada empresa. Em nossa modesta opinião para que essa empresa se torne viável, o Brasil teria de buscar um foguete com maior capacidade de carga útil, com a participação da indústria brasileira no seu desenvolvimento, utilizando-se de uma tecnologia não tóxica e prejucial ao meio-ambiente e que fosse transformada numa empresa de capital misto (público e privado) sob a direção de profissionais qualificados e preparados para enfrentar o mercado internacional de lançamentos de satélites. Não acreditamos que os ucranianos aceitem essas exigências nessa altura do campeonato e também achamos que seria muito mais vantajoso se tivéssemos como sócios os russos, donos em nossa opinião da tecnologia mais avançada e de melhor custo-benefício nesta área.

Comentários

  1. Oi Duda,

    Já é um avanço esta notícia. Nunca vi um empreendimento tão maluco quanto esse.
    Mudando o assunto: você teve notícias da equipe do Brasil do Google Lunar X Prize?

    Um abraço,

    José Gustavo

    ResponderExcluir
  2. Olá José Augusto!

    É realmente um bom avanço, mas não vai alterar muita coisa se negociações não forem feitas para mudar a atual situação dessa mal engenhada empresa. Olha, quanto a sua pergunta, eu não ouvi falar mais nada e acho que infelizmente a equipe se defez.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  3. Bye Bye Amaral. Mas não sabemos o que virá depois. Não adianta tirar e não fazer nada. Mas já é um caminho andado.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ricardo!

    Vamos aguardar amigo, já que não é ainda nada oficial. Entretanto, isso só não basta e ainda tem muita coisa a ser feita. Se será feita, bom, ai é uma outra história.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite