Rapidinha 1

Olá leitor!

Segundo o jornal “Valor Econômico" de hoje (10/02), o governo surpreendido com o aumento da inflação, anunciou ontem um corte de R$ 50 bilhões nas despesas previstas no “Orçamento Geral da União” deste ano.

O corte de R$ 50 bilhões abrangerá, segundo o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, e a Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, todos os Ministérios e órgãos públicos, incluindo o BNDES, e será concentrado nas despesas de custeio. Os programas sociais e os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) serão preservados.

Pois é, como temíamos os cortes serão feitos, agora é oficial e certamente o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) será prejudicado. Com isso afetará também as duas vertentes do atual “Programa Espacial Brasileiro”, ou seja, "o verdadeiro" e a mal engenhada empresa ACS.

Acontece que numa dividida na briga por recursos, quem você acha que vai ficar com a maior parte dos recursos disponíveis? Espero estar enganado.

Duda Falcão

Comentários

  1. O atraso do Brasil na área espacial é lamentável. Não preciso mais comparar com americanos, russos e chineses, pois eles já estão a ANOS LUZ de distância. Inatingíveis. O Brasil poderia estar no segundo escalão, se fizesse as coisas certas desde os anos 80. Então estariamos no mesmo nível que India, Israel, Coreia e Iran.

    Hoje, o programa espacial indiano, já vislubra um voo tripulado depois de 2015.

    O Irã, tem lançadores potentes, e também já sonha com voos tripulados pós 2020. Eles irão lançar ao espaço um macaconauta, igual os americanos faziam pré-Mercury.

    Em 2022, bicentenário da nossa independência, seria o prazo final para termos completado o programa Cruzeiro do Sul, com lançadores potentes, mas estamos a 11 anos desta data e nem o primeiro lançador que é o VLS 1 modificado, ficou pronto. Ainda não lançamos nada...

    ResponderExcluir
  2. Tenho acompanhado o os comentários do jornalista Duda Falcão, notado criticas abertas e tendenciosas à ACS. Conheço muito bem a empresa, concordo que tudo nela deva ser revisto pelo novo comando do MCT, entretanto, nada diferente deveria ser feito aos projetos espaciais brasileiros, que merecem uma profunda avaliação do que é verdadeiro e o que é farsa.

    ResponderExcluir
  3. Olá Ricardo!

    Concordo com em gênero, número e grau com as colocações do amigo e lamento profundamente que tenhamos perdido o bonde da história.

    No entanto, ainda acredito no Programa Espacial Brasileiro e que poderemos recuperar esse tempo perdido se houver um verdadeiro esforço do governo e da sociedade brasileira.

    Será difícil, mas temos pessoas altamente qualificadas em nossos centros de pesquisas e nas indústrias e outras tantas sendo formados, que num esforço conjunto poderão mudar essa situação para que pelo menos façamos parte do segundo escalão do clube espacial.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  4. Olá J!

    Obrigado amigo pela sua colaboração, e sinta-se a vontade nesse espaço para colocar a sua opinião como melhor desejar. Porém deixe-me esclarecer duas coisas. Em primeiro lugar eu não sou jornalista, trabalho em outra área, apenas um amante do tema que acompanha o desenvolvimento do PEB desde os meus sete anos de idade, ou seja, há exatamente 40 anos.

    Em segundo lugar, acredito que não tenha entendido (ou foi eu que não entendi a sua colocação) quando disse: “nada diferente deveria ser feito aos projetos espaciais brasileiros, que merecem uma profunda avaliação do que é verdadeiro e o que é farsa”. Veja bem, o que eu chamo de programa espacial brasileiro verdadeiro é o PEB que é conduzido no seu desenvolvimento pelo INPE/DCTA/IAE. A ACS não é uma farsa, muito pelo contrário, é até uma boa idéia, mas que foi muito mal elaborada, é muito mal conduzida e não traz benefício algum ao país da forma que foi elaborada, além de tirar os recursos que poderiam está sendo aplicados no verdadeiro PEB, este sim o grande prejudicado nesta história toda.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite