Qualidade Espacial Russa em Xeque

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (16/02) no blog “Panorama Espacial” do jornalista André Mikeski, onde o mesmo faz uma interessante analise sobre as falhas ocorridas recentemente no Programa Espacial Russo e suas possíveis conseqüências.

Duda Falcão

Qualidade Espacial Russa em Xeque

André M. Mileski
16/02/2011

Desde o final do ano passado, a Rússia tem enfrentado de forma mais intensa problemas relacionados ao controle de qualidade de seu programa espacial, acentuados por duas falhas em lançamentos.

A primeira ocorreu no início de dezembro de 2010, envolvendo um lançador Proton transportando três satélites de navegação da série GLONASS. Após investigações, descobriu-se que o problema foi o excesso de propelentes no último estágio do foguete, causado por erro humano. Já em 1º de fevereiro, o foguete Rockot / Briz-KM falhou ao colocar na órbita errada o satélite Geo-IK-2, considerado um dos mais modernos de seu tipo já desenvolvidos no país.

Sobre a mais recente falha, os comentários iniciais davam conta de que estaria relacionada à deficiências no controle de qualidade do hardware, mas, essa semana, algumas notícias citando fontes não identificadas inovaram ao afirmar que uma potência estrangeira poderia estar por trás do ocorrido. "A provável causa pode envolver intrusão eletromagnética nos controles automáticos", afirmou uma autoridade não identificada em matéria da AFP.

Além dos claros prejuízos financeiros, as falhas também afetam a imagem da tecnologia espacial russa, considerada robusta e confiável. E isto, é claro, tem reflexos também no mercado internacional, tanto privado (lançamento de satélites de comunicações) como governamental. Há quem afirme que a Rússia está perdendo mercado na área espacial para novos players, como a China. Na América do Sul, por exemplo, alguns países (Venezuela e Bolívia) considerados mercados promissores pelos russos em matéria de defesa, preferiram a tecnologia espacial chinesa na hora de contratar os seus satélites.


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Veja você leitor que se as suspeitas de sabotagem no programa espacial russo não forem só suspeitas, isso demonstra que, se nem a Rússia estar imune a esse tipo de ataque, imagine o Brasil. Portanto, toda e qualquer ação do Comando da Aeronáutica (COMAER), do INPE, do governo, das instituições de pesquisas e de inteligência do país, devem de ser adotadas e levadas muito a sério, para prevenir essa prática em todas as áreas de pesquisa no Brasil.

Comentários

  1. "A provável causa pode envolver intrusão eletromagnética nos controles automáticos".

    O assunto PEM - Pulso Eletromagnético voltando à tona...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Antônio,

    Pode realmente ter sido.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro

Janeiro de 2015 Registra Recorde de Focos de Queimadas Detectados Por Satélite