Espaçomodelismo no Brasil - Uma Nova Fronteira

Olá leitor!

Diferentemente do que ocorre com o “Programa Espacial Brasileiro” que vive uma crise sem sem solução até o momento, o espaçomodelismo vem atingindo um grande crescimento no Brasil nos ultimos anos.

Grupos como o “Auriflama Foguetes (Vando Medici Faria)”, “Próxima Cetauri (Robson Hahn)” e “Última Fronteira (Erick Netto)”, entre outros, vem desenvolvendo motores-foguetes e diversas outras tecnologias para foguetes amadores muito interessantes.

Vale lembrar leitor que o próprio senhor Wagner Brito da “Coyote Rockets Company” começou sua trajetória como espaçomodelista, expandindo recentemente seus horizontes nas atividades espaciais com o desenvolvimento do projeto do foguete VES e do futuro Veículo Transportador de Satélites (VTS).

Recentemente o grupo “Última Fronteira” da cidade de Olímpia (SP), realizou com sucesso o teste estático do motor-foguete “MONSTER”, classe M, alcançando um impulso total de 6799,5 N/s. Abaixo segue o vídeo deste teste.

Teste Estático do Motor-Foguete MONSTER
Grupo Última Fronteira - Olímpia (SP)

O blog “BRAZILIAN SPACE” se coloca a inteira disposição dos grupos atuantes no "Espaçomodelismo Brasileiro" para divulgar suas atividades, bastando para isso que entrem em contato com o blog pelo e-mail: brazilianspace@gmail.com

Duda Falcão

Comentários

  1. Prezado Duda Falcão
    Gostaria de tirar o Chapéu para:

    Alem destes nomes de Espaçomodelistas do Brasil que você escreveu como Erick Netto da Ultima Fronteira, Robson Hahn da Próxima Cetauri, Wagner Brito da “Coyote Rockets Company , tive o prazer de conhecer de perto seus trabalhos e tenho grande respeito e admiração p/ todos eles. Também temos vários Projetistas de foguetes experimentais como Marcos Brasil, Francisco, Oswaldo Loureda entre tantos que fazer parte da antiga ANFA. Em Pernambuco Temos o Prof. José Félix de Santana da cidade de Carpina Prof. da UFRPE que foi um dos Pioneiros em Foguetes no Brasil e continua em Plena Atividade com Foguetes de níveis 1- 2- 3.
    Para estes todos acima citados e muitos que não recordo os nomes eu Tiro o Chapéu.
    Um abraço Marcos Luna

    ResponderExcluir
  2. Endosso suas palavras professor Luna e rendo saudações a todos esses realizadores e as suas magníficas realizações.

    Forte abraço

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space

    ResponderExcluir
  3. Deveria ter uma competição a nivel internacional apoioado tanto pela iniciativa privada quanto pelo governo em pro da ciÊncia no Brasil. Isto iria elevar ainda mais o conhecimento e agregar tecnologia mais rapidamente. Mas acho que no Brasil, vai demorar....não acredito no impossível.

    ResponderExcluir
  4. Pois é Ricardo, deveria mesmo, mas infelizmente quem tem o poder na mão para viabilizar isso não se mexe.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  5. Olá. Depois de algum tempo fora do Brasil, voltei a pesquisar um dos meus temas favoritos, oriundo da minha juventude: espaçomodelismo. Fico, entretanto, profundamente decepcionado ao ver que os modernos pesquisadores de hoje ignoram, ou não sabem, ou não querem saber a verdadeira história do precursor do espaçomodelismo no Brasil. Isso remonta a 1968, em pleno regime militar, na cidade de Franca, SP. O nome é Ronaldo Faleiros, fundador do Nucleo Astronäutico de Franca (NAF).Viraram notícia nacional naquela epoca, foram matéria da TV Tupi (que documentou lançamentos), foram inclusive apoiados pela NASA, gravaram entrevistas para a Voz da America, receberam a doação de um laboratório de física da esposa do governador de São Paulo, viraram entidade de pesquisa científica com entidade jurídica reconhecida pelo municipio, foram até utilizados pelos políticos da epoca. O que aconteceu com eles em 1970? Após testarem um protótipo de dois estágios na pista do aeroclube de Franca, que explodiu e provocou uma cratera de dois metros de profundidade na pista, a aeronáutica passou a monitorar suas atividades. A molecada tinha entre 17 e 18 anos. Antes de se dispersarem e cuidar de suas vidas, lançaram um foguete de dois estágios,de combustível sólido, devidamente documentado e que chegou próximo de 30 kms numa fazenda próxima da divisa de São Paulo com Minas.Porque sei tantos detalhes? Fui um dos expectadores pois vivia em Franca nessa epoca.A história do NAF, foi disponibilizada há uns anos atrás para um desses sites especializados,inclusive com os documentos, fotos, matérias dos jornais da epoca, etc.Tudo isso foi disponibilizado pelo fundador do NAF pois um dos contemporâneos ligados ao presente conseguiu localiza-lo em Brasilia, onde residia fazendo um trabalho totalmente adverso. Lamento não ter gravado ou salvo na epoca em que vi.Não sei onde foi parar esse documentário ou em qual site esta ou estava.Talvez o Brasilian Space saiba. Me reporto a voces no sentido do resgate da história real que a maioria desconhece de um pioneirismo que não pode ser esquecido.Hoje o sr.Ronaldo Faleiros, deve ter por volta dos 60 anos ou mais, mas sei que pode ser localizado facilmente pelo google porque continua sendo um nome nacional: pasmem, ele é maestro e presidente da confederação nacional de bandas.Consegui seu e-mail no site deles e quando enviei uma mensagem perguntando sobre o documentário do NAF doado a um dos sites de espaçomodelismo a reposta foi lacônica e de decepção ou arrependimento. Como creio que esse nosso precursor foi enganado, ou usado, espero, com a moral que tem esse espaço, que possamos resgatar a verdadeira história do espaçomodelismo no Brasil. Parabens pelo trabalho.
    Marcus Cavalcante

    ResponderExcluir
  6. Olá Marcus!

    Sempre defendemos aqui no blog que deve-se dar a 'César o que é de César'. Assim sendo amigo, veja se você consegue parte desses documentos (fotos e vídeos) e caso se interesse, escreva um artigo que postarei aqui no blog, ou então envie o material que nós mesmo escreveremos, tá ok? O resgate da história do espaçomodelismo brasileiro é importantíssimo para as gerações de hoje e futuras. Valeu pelo contato e pelo esclarecimento.

    Abs

    Duda Falcão
    (Blog Brazilian Space)

    ResponderExcluir
  7. Julio Zanetti - Projeto Mercurio18 de agosto de 2015 08:58

    Olhei a postagem, e apesar do comentário ser muito posterior à postagem do artigo, mas não resisti em não comentar. Este propulsor Classe M do Erick me traz boas recordações. Me faz lembrar o ímpeto daquela moçada, da natimorta ANFA. Aquela moçada, realmente sabia fazer a diferença. Em alguns momentos parecia um bando de baloeiros querendo ver a cangalha pegar fogo, mas na maioria do tempo, o jogo de egos e a vontade de fazer algo acontecer, mostrou que mentes brilhantes existem neste pais, pena que o país é um lugar árido para pessoas com grande intelecto. Em particular este teste, me fez lembrar das tentativas e erros, dos lançamentos bem sucedidos, onde os erros produziam acertos e assim por diante, me faço lembrar das grandes explosões e os shows de maestria daquela moçada. Parabéns para aquela turma, e faço votos que muitos daqueles tenham bem se sucedido, como técnicos, engenheiros e projetistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sr. Julio Zanetti!

      Obrigado pelo seu depoimento e lhe convido a fazer mais comentários em nosso Blog. Esteja a vontade.

      Saudações Aeroespaciais

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 5 - Principais Satélites Brasileiros

Ouviu o Barulho no Céu? Entenda o Fenômeno Que Assustou os Brasileiros no Último Final de Semana

Operação CRUZEIRO: Primeiro Ensaio em Voo de um Motor Aeronáutico Hipersônico Brasileiro